mês a mês


Para onde viajar em junho: os melhores destinos do mês selecionados a dedo

CALENDÁRIO DE VIAGEM

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO: MELHORES DESTINOS NO BRASIL E NO EXTERIOR

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

BRASIL

Para praias, aposte no Sudeste: do Rio a Búzios, de Paraty a Ubatuba e São Sebastião, Ilha Grande (Juquehy, Maresias, Praia da Baleia…). No Nordeste, fique por Jericoacoara e Fortaleza ou sul da Bahia – no resto da região, chove. Aproveite essa época para desbravar o meião do Brasil: valem Jalapão, as chapadas (das Mesas, Veadeiros, Guimarães), Bonito, cidades históricas de Minas. Também é época de curtir destinos de serra e cachoeira: Serra do Cipó (MG), Visconde de Mauá (RJ), Ibitipoca (MG), São Francisco Xavier (SP), Campos do Jordão (SP), entre outros. No Sul está muito frio pra pegar praia, mas vale ir à Serra Gaúcha no início de temporada.

chapada-guimaraes

CHAPADA DOS GUIMARÃES (MT)

A Chapada dos Guimarães (MT) é menos roots do que as outras chapadas do Brasil por seu fácil acesso a partir de Cuiabá, mas também capricha nas belezas naturais, com paredões rochosos alaranjados, cachoeiras e cavernas de arenito. Se a proximidade com a capital mato-grossense já foi sinônimo de farofa e lixo nos fins de semana, hoje só é possível entrar no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, que protege 33 000 hectares, com acompanhamento de guia, o que fez o movimento regredir mas fortaleceu a preservação. Ali tem pousadas bacanas como a Pousada do Parque e passeios pra ver, por exemplo, a maior caverna de arenito do Brasil, a Aroe Jari.
Dica: Alugue um carro em Cuiabá pra facilitar os deslocamentos.
LEIA TAMBÉM: Miniguia da Chapada dos Guimarães

INHOTIM E BELO HORIZONTE (MG)

Para onde viajar em junho: diferente do que muita gente acha, o ideal não é ir pra BH e fazer um bate-volta, mas sim ir direto pra Inhotim e ficar pelo menos dois dias inteiros. Depois, aí sim, reserve uns dois dias pra curtir capital mineira. Maior centro de arte contemporânea a céu aberto do planeta, Inhotim é um destino por si só. O jardim botânico com mais quase 5 mil espécies de plantas conversa perfeitamente com as obras – são 23 galerias e mais 22 instalações pelos 140 hectares do parque, representando alguns dos mais importantes artistas dos séculos 20 e 21, nacionais e estrangeiros. Tem ainda loja de plantas, restaurantes e várias áreas de convivência e descanso com lagos, gramados, bancos e até piscinas.
LEIA TAMBÉM: Guia completo de Inhotim

inhotim

CHAPADA DIMANTINA (BA)

Para onde viajar em junho: na Chapada mais singular do Brasil, são mais de 1 500 km² de grutas com grandes salões subterrâneos, cânions gigantes e cachoeiras das mais belas e altas do país. Os atrativos estão distribuídos entre as cidades de Lençóis, Vale do Capão, Igatu e Mucugê – a cereja do bolo é a travessia do Vale do Pati, o mais cultuado dos trekkings em território brasileiro. Não perca também a vista do Morro do Pai Inácio, catão-postal da chapada, as sensacionais Cachoeira do Buracão e Cachoeira da Fumaça e o os poços Encantado e Azul.
Dica: O ideal pra conhecer a chapada com profundidade é ficar 10 dias.

Poço_Azul_-_Chapada_Diamantina_-_BA

CAMBARÁ DO SUL (RS)

Município acanhado de 7 mil habitantes e meia dúzia de ruas empoeiradas, Cambará do Sul está posicionada entre os parques nacionais dos Aparados da Serra e da Serra Geral. Ali fica a maior cadeira de cânions do Brasil e boa dose de trilhas e cachoeiras, entre a vegetação do extremo sul da Mata Atlântica, pontuada por florestas de araucárias, banhados e campos de altitude. Pousadas charmosinhas acolhem casais que vão atrás do clima de serra, com friozinho, noites de fondue, lareira e céu farto de estrelas regadas a vinhos regionais. No inverno, a neblima dá uma trégua e é mais fácil ver os cânions.
Dica: Pode ser uma boa esticada de uma viagem para Gramado e Canela.
LEIA TAMBÉM: Miniguia de Cambará do Sul (RS)// Como é ficar no Parador Casa da Montanha

o-que-fazer-cambara-do-sul

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

EXTERIOR

AMÉRICA DO SUL: Para turistas em Buenos Aires e Santiago pode fazer frio e chover. Vinícolas estão em período mortinho, evite. Galápagos em boa época; Colômbia também pode ir. Entramos também na melhor época pra ir a Peru e Bolívia: boa hora para sua viagem para Machu Picchu. Conjugar Salar do Uyuni com Deserto do Atacama também vale. É início da temporada de esqui na América do Sul: cheque as datas de abertura das estações no fim do mês para ir a Valle Nevado, Las Leñas, Chillán, Bariloche, Chapelco, Portillo, Pucón.

paracas-peru

PERU

Para quem já conhece Machu Picchu, o Peru tem várias outras possibilidades de roteiro. Você pode, por exemplo, ir a Huaraz, ao norte de Lima, cidade-base pra conhecer a Cordilheira Branca, onde há trilhas e lagoas de água azul.  Siga depois a Ica, onde você conhecerá o Oásis de Huacachina e poderá fazer um passeio de bate-volta para Paracas e Ilhas Ballestas. Daí, vá a Nazca ver as curiosas linhas com um um sobrevoo. A próxima parada pode ser o Arequipa e depois o Vale do Colca (é melhor dormir uma noite na cidade de Chivay, os passeios bate-volta são muito cansativos). Volte a Arequipa para voar de volta ao Brasil.
Dica: Se quiser, estenda até Puno para ver o Lago Titicaca.
LEIA TAMBÉM: 9 ideias de roteiro entre Peru, Bolívia e Atacama

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

CARIBE: É pré-temporada de furacões, mas ainda está super ok ir para Turks e Caicos, St. Maarten, Cacún, Cuba, Cartagena e Punta Cana. Curaçao, Aruba e Barbados estão sempre fora da rota deles. Melhor evitar San Andrés – se for à Colômbia, fique pelas Islas del Rosário para ver praia bonita. Em Bahamas e no Panamá, chove.

TURKS E CAICOS

Turks e Caicos é o arquipélago azul onde há sol durante 320 dias do ano e a temperatura sempre beira os 30 graus. Com hotelaria impecável, restaurantes de primeira e a terceira maior barreira de corais do mundo, o destino é refúgio dos americanos e europeus, que lotam voos a Providenciales, a ilha mais importante, diariamente. Seus 370 km de praias de areia branca estão entre o que existe de mais exclusivo – e caro – na região, onde a herança da colonização britânica repercute por tudo. Prepare-se para hablar inglês com sotaque caribenho, dirigir na mão inglesa e ver casas em estilo vitoriano. Grace Bay, já eleita uma das praias mais bonitas do planeta, concentra a maior parte do público endinherado dessas 40 ilhas e ilhotas, mas segredinhos como Malcom’s Beach, faixa de areia deserta e base do maravilhoso hotel Amanyara.
Dica: Pra uma hospedagem mais acessível, veja o Aparthotel Island Club Turks Grace Bay.

Turks-and-Caicos-Islands

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

AMÉRICA CENTRAL E DO NORTE: A meia-estação é ideal para viajar por ali. Disney, Chicago, Boston, Califórnia, Washington D.C., Nova York: quase tudo é uma boa ideia. Miami está em um de seus meses mais chuvosos, só vale pra fazer compras. No México pode ir para a capital e para Cancún, mas a região de Oaxaca tem seu mês mais chuvoso. Canadá entra na rota, principalmente com viagens de natureza. Nicarágua e Guatemala estão na estação úmida, mas a precipitação é baixa.

PARQUES NACIONAIS DE UTAH E ARIZONA, EUA

Aproveite o final da primavera e início do verão para uma road trip pelos fantásticos parques nacionais desses dois estados. Você pode visitar o  Canyonlands National Park, que tem vistas estarrecedoras de cânions alaranjados no  Dead Horse State Park (onde foi gravada a cena final do filme Thelma e Louise), vista para uma cratera de meteorito em Upheaval Dome e um arco rochoso no Mesa Arch. Veja o nascer do sol Arches National Park e continue para ver o fotogênico Monument Valley, com sua paisagem desértica marcada por formações avermelhadas de arenito, pináculos estreitos e montes maciços. Pare ainda no icônico Grande Canyon National Park (quem sabe com um passeio de helicóptero?) e no Zion National Park, com trilhas entre rios por dentro de cânions.
Dica: Conjugue a viagem com uma ida a Las Vegas, logo li.

Monument-Valley-estrada

BOSTON, EUA

Boston é, antes de tudo, uma cidade histórica. Estabelecida em 1630, foi o centro comercial e intelectual das colônias britânicas e, mais tarde, da luta revolucionária que culminou na independência do país. Apesar disso, ela teve uma das mais bem-sucedidas histórias de renascimento urbano nos últimos 20 anos, com várias iniciativas para tornar a cidade melhor e mais funcional, e reverbera uma população cosmopolita (e universitária, claro, já que tem mais 50 universidades nas proximidades), lojas bacaninhas, museus e restaurantes de frutos de mar. E a cidade ainda é compacta, fácil de cursar a pé e de metrô.
Dica: Você pode fazer Boston, Washington D.C. e Nova York numa mesma viagem
LEIA TAMBÉM: O que fazer em Boston em três dias

boston-eua

VANCOUVER E MONTANHAS ROCHOSAS, CANADÁ

Um dos higlights da natureza poderosa do país, as Rocky Montains ficam mais próximas da costa oeste do país, por isso a ideia de unir a viagem com um pouco de divertimento urbano em Vancouver. De lá, pegue um voo de 1h20 até Calgary, alugue um carro e pé na estrada. Dirija 125 km e se hospede em Banff, cidade-base pra fazer a trilha por Johnston Canyon e visitar os lagos azulados cercados por montanhas Louise, Emerald e Moraine. Depois, siga até a cidade de Jasper, vendo no caminho outras maravilhas como o Peyto Lake e as Athabasca Falls. Termine se hospedando em Jasper para consolidar uma overdose de lagos lindos, como o Ochre Lake e o Patricia Lake, emoldurados por florestas de coníferas.
Dica: Mesmo em junho, a temperatura podem cair para cinco graus de noite; leve roupas adequadas.

banff-canada

PARA ONDE VIAJAR EM  JUNHO

EUROPA: É hora de quase qualquer outra coisa que você pensar: roteiros pela França (já tem lavanda na Provance!), Itália, Alemanha, Holanda, Leste Europeu, Espanha, Portugal. As capitais estão vibrantes, cheias de eventos ao ar livre e gente deitada nos parques. Aposte também nos destinos de praia antes da multidão de julho e agosto: Ilhas Baleares (Espanha), Grécia, Algarve (Portugal), Costa Amalfitana, Sardenha e Sicília (Itália), sul da França. Quem gosta de sair do lugar-comum (e de gastar menos), cheque praias em países como Albânia e Montenegro. Boa hora pra ver lugar que passam a maior parte do ano na maior friaca: Islândia, Escandinávia, Rússia, Países Bálticos. Deixe roteiros de vinho mais pra frente, quando os vinhedos estiverem mais crescidos.

croacia

CROÁCIA

Para onde viajar em junho: hit da Europa nos últimos anos, oferece o combo sítios históricos + praias perfeitas por um preço consideravelmente menor do que a Grécia, por exemplo. Pra quem vai a uma primeira viagem no país, o roteiro base de 15 dias pode Zagreb (2 noites) – Parque Nacional de Plitvice (de passagem) – Zadar (1 noite) – Split (3 noites, com bate e volta para Trogir e arredores) – Ilha de Vis (3 noites) – Ilha de Hvar (3 noites) – Ilha de Brac (2 noites) – Dubrovnik (1 noite). Pra quem quer festa, o verão lá bomba.
Dica: Dá tranquilamente pra circular pelo país de ônibus.

LONDRES

O clima da capital britânica é ingrato; na maior parte do ano aquela garoa chata e céu nublado. Eis que junho a coisa clareia, dá passear só de camiseta e aproveitar festivais que começam a ferver nessa época. Os parques ficam mais vibrantes do que nunca (e enorme Hyde Park tem de parquinhos que esguicham água a restaurantes e galerias de arte e Primrose Hill, um pôr do sol de matar), os pubs colocam mesas ao ar livre, fica muito mais gostoso comer em mercados como o Borough e o Brick Lane Market e a bicicleta pode ser usada como um meio de transporte sem vento frio na cara.
Dica: Não perca o enorme Kew Gardens, um dos maiores jardins botânicos do mundo.
LEIA TAMBÉM: O que fazer em Londres para principiantes: roteiro de 3 dias

londres

MOSCOU E ST. PETESBURGO, RÚSSIA

Para onde viajar em junho: aproveite o tempo bom para conhecer esse país usualmente assolado pelo frio. Na capital, se maravilhe com a singularidade da Catedral de São Basílico (foto ao lado), veja um balé no Teatro Bolshoy e caminhe pela Rua Arbat. Em St. Petesburgo, admire as obras do Museu Hermitage, veja a bela Catedral do Sangue Derramado, embarque num passeio de barco pelo Rio Neva e faça um bate-volta ao suntuoso Palácio Peterhof, com seus jardins e fontes.
Dica: Conjugue a viagem com um rolê pelos Países Bálticos (Lituânia, Letônia e Estônia) ou até com a Escandinávia.

rússia-viagem

MALTA

Pequeno arquipélago entre a Sicícila e a Tunísia que tem atraído intercambistas (o inglês é uma das línguas oficiais da ilha), Malta é o menor território da União Europeia. Veja a lidinha cidade de Valetta, que figura heranças árabes, faça o passeio de barco até a Blue Grotto, uma gruta no meio do azulão do Mediterrâneo, veja ruínas neolíticas como as de  Hagar Qim, vá para noitadas em Paceville e, claro explore o cardápio infinito de praias cênicas: Ghajn Tuffieha é uma das mais bonitas (e vazias, mesmo no verão), Mellieha Bay tem faixa de areia extensa boa para caminhadas e Paradise Bay tem bar turquesa inesquecível.

Dica: Fique de cinco dias a uma semana.

malta

LESTE EUROPEU

É hora de pegar essa parte da Europa (que a gente chama de leste mas na verdade é no centro do continente) com tempo bom e significativamente mais alegre. As maiores joias do leste são Praga e Budapeste, mas pode-se adicionar ao roteiro pequenas cidades encantadoras como Ceský Krumlov (na República Tcheca). A Polônia também entra com Cracóvia e Varsóvia, e a Eslováquia, com Bratislava. Tirando Viena, na Áustria, que é mais cara, você vai gastar consideravelmente menos aqui do que se for a França, Itália, Espanha.
Dica: De trem e ônibus você viaja baratinho entre as cidades
LEIA TAMBÉM: O que fazer em Budapeste// O que fazer em Praga

praga-old-town

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

ÁFRICA: É início da alta temporada de safári. É bom momento pra ir aos parques nacionais da África do Sul (mas não tanto para Cape Town e as praias da Rota Jardim, onde pode chover). Outra ideia é combinar um safári no Quênia ou na Tanzânia e aí continuar com um trekking para ver gorilas em Uganda e Ruanda ou um dias relax nas praias de Zanzibar. Zâmbia, Zimbabwe, Quênia, Madagascar: tudo recomendável. Ilhas Maurício também têm clima razoável.

victoria-falls

ZÂMBIA

Para onde viajar em junho: point de safári ainda com muitas partes inexploradas, o South Luangwa Safari foi pioneiro nos safáris guiados a pé, ou seja, você fica a passos de leões, rinocerontes, búfalos, elefantes – fique hospedado em acampamentos como o Zungulila. Em Zambezi tem outra modalidade de safári: o feito de canoas, com crocodilos-do-Nilo e hipopótamos ao seu redor (lodges como o Chiawa Camp tem vista para o rio). Depois, parta para Livingstone para ver o lado “zâmbio” das Victoria Falls, as maiores cachoeiras do mundo (um milhão de litros de água correm pela garganta rochosa por segundo).
Dica: Você pode juntar na mesma viagem outros países vizinhos, como Moçambique e Zimbabwe.

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

ÁSIA E OCEANIA: As monções chegam com tudo em boa parte do continente. Se salvam Indonésia, costa leste da Malásia e norte da Austrália. Está muito quente para ir ao Oriente Médio. Na Nova Zelândia faz frio e tem esqui.

POLINÉSIA FRANCESA

Com vegetação exuberante e oceano composto por matizes de azul que não se encontra em quase nenhum outro lugar, este arquipélago deserto e montanhoso é um convite ao romance, melhor nos icônicos bangalôs cercados por recifes de corais sobre palafitas com teto de sapê e chão de vidro. Os voos chegam em Papeete, e de lá você pode seguir para Rangiora, com mergulho cinco-estrelas, Moorea, a apenas 30 minutos de balsa,  Raiatea e Taha, mais tranquilas, e Bora Bora, o suprassumo do sonho de lua de mel mundo afora.
Dica: A viagem pode ter parada em Santiago ou na Ilha de Páscoa, quase que uma linha reta até a Polinésia. Muitos pacotes têm, inclusive, apenas um day use em hotéis de Hanga Roa, a capital da ilha chilena.

bora-bora

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO

+ EVENTOS LEGAIS PELO MUNDO

Montreux Jazz Festival (Montreux, Suíça)

O festival é de jazz, mas os gêneros musicais vão desde o hip hop até as bandas africanas, passando pelo samba, pelo rock e pelo tecno. Na Suíça, aos pés dos Alpes, o festival acontece desde 1967.

Bordeaux Fête Le Vin (Bordeaux, França)

Evento bienal que reúne 80 rótulos da região vinícola mais importante da França. Workshops, degustações de comidas du terroir, e, claro, dos potentes tintos embalados pelo Bordeuax Music Festival, cujos shows rolam paralelamente à festa dos vinhos.

Glastonbury (Somerset, Reino Unido)

Sediado em uma fazenda, o pai de todos os festivais de música tem um mundo de atrações e mais 100 palcos: este ano o line up é vasto e inclui desde Katy Perry e Ed Sheeran a Tha XX, Alt-J, Radiohead, Phoenix, Metronomy, The Flaming Lips e Lorde. Firme há mais de 5 décadas, Glastonbury é uma instituição e ajudou a moldar o formato e o espírito dos outros grandes festivais do mundo. Do tipo que tem que ir uma vez na vida. Ingressos custam £ 238.

PARA ONDE VIAJAR EM JUNHO: e você, quais são as suas sugestões de destinos? Deixe aqui nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *