CALENDÁRIO DE VIAGEM

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO: MELHORES DESTINOS NO BRASIL E NO EXTERIOR

*Em tempo: Julho é mês de alta temporada em muitas partes do globo, como no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa e em partes da América do Sul. Por isso, tenha consciência de que nessa época você vai pagar mais caro em passagens aéreas, hospedagens e serviços em geral – e deve reservar tudo com mais antecedência. Também espere por atrações cheias.

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

BRASIL

No Nordeste, faz tempo aprazível no Maranhão (Lençóis é uma boa), Piauí e Fortaleza. Fernando de Noronha também sai da época de chuvas. A Bahia se divide: chove em Salvador e Morro do São Paulo, mas Praia do Forte e Trancoso estão ok. Em Pernambuco e Alagoas, chove. No litoral do Rio e São Paulo não está quente, mas faz sol. É hora mesmo de explorar o interior do país: Jalapão, Chapadas, Bonito, Cidades Históricas de Minas. Pantanal entra no mapa. Também é época de curtir destinos de serra e cachoeira: Visconde de Mauá (RJ), Ibitipoca (MG), Campos do Jordão (SP). No Sul, a Serra Gaúcha está bombando.

serras-paulistas

SERRAS PAULISTAS (SP)

Para a paulistada, não precisa pensar em ir tão longe pra tirar uns dias de folga; nossa região é riquíssima em atrativos naturais. No geral, o inverno significa menos chuvas e época propícia pra fazer trilhas. Em casal, família ou grupo de amigos, os destinos de serra dão uma ótima trip de fim de semana, feriado ou até férias. Quem curte esportes de aventura tipo rapel e rafting pode conferir Brotas, a 3h da capital; para os ares bucólicos das montanhas e pousadas charmosas, cheque cidades como São Francisco Xavier, Cunha, Gonçalves, Santo Antônio do Pinhal e a boa e velha Campos do Jordão.
Dica: Reserve com antecedência; julho é mês disputado por ali.
LEIA TAMBÉM: 38 pousadas românticas pra ir no inverno
8 destinos de cachoeira e montanha em SP, MG e RJ

PARATY (RJ)

É uma das cidades coloniais mais charmosas do Brasil, com ruas de paralelepípedo e um casario colorido que abriga ateliers, restaurantes e lojinhas de produtos típicos – uma grande variedade de cachaças regionais (não deixe de provar a Gabriela) e artesanatos de papel machê e cabaça. O centrinho enche e desenche ao sabor da grande variedade de festivais que acontecem durante o ano, mas o auge da vida cultural de Paraty é a Flip, que acontece em julho. De barco, de carro ou a pé você chega a praias com água verde-esmeralda, que você pode curtir numa boa neste mês sem chuvas.
Dica: Durante a Flip o melhor esquema para se hospedar é alugar uma casa, já que os preços das pousadas vão às alturas. Hostels também podem ser bom negócio.

LEIA TAMBÉM: Guia de Paraty (RJ): charme colonial, praias e tudo o que você precisa saber

paraty

TRANCOSO (BA)

Num dos pedaços mais charmosos do litoral brasileiro, o sul da Bahia, Trancoso tem praias gostosas banhadas por um mar azul-esverdeado que contrasta com falésias e coqueirais, beach clubs animados pra curtir o dia e um movimento agradável entre os bons restaurantes, barzinhos e lojas de artesanato do gramado verdinho do Quadrado, o centrinho do vilarejo, cercado por casas coloridas voltadas pra uma simplória igrejinha onde, sem querer, virou moda trocar alianças – hoje, a fila pra casar ultrapassa um ano. Em julho não chove pela região.
Dica: Aproveite o rolê pelo sul da Bahia para conhecer também Praia do Espelho, Caraíva e Arraial d’Ajuda.
LEIA TAMBÉM: Melhores pousadas e hotéis em Trancoso

transoco-praia

AMAZÔNIA (AM)

É quase um dever de todo brasileiro dedicar uma viagem pra adentrar aquela imensidão verde e úmida e pescar piranha, nadar com botos, ver jacarés, bichos-preguiça e araras, entender a vida da população ribeirinha. Entre junho e setembro, as chuvas já cessaram, e os rios atingem sua altura máxima, tornando possível navegar entre os igarapés vendo as copas das árvores. Você pode passear por Manaus e depois seguir a um hotel de selva – há desde opções econômicas até mais luxuosas.
Dica: Se você quer uma experiência mais roots e profunda, pode pegar um barco de Manaus a Santarém e lá conhecer as praias de rio de Alter do Chão.
LEIA TAMBÉM: Hotel de selva na Amazônia: FAQ completo // Como é ficar no Juma Lodge // 9 programas em Manaus

passeios-na-amazonia

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

EXTERIOR

AMÉRICA DO SUL: Para turistas em Buenos Aires e Santiago pode fazer frio e chover. Vinícolas estão em período mortinho, evite. Galápagos em boa época; Colômbia também pode ir. Entramos também na melhor época pra ir a Peru e Bolívia: boa hora para sua viagem para Machu Picchu. Conjugar Salar do Uyuni com Deserto do Atacama também vale, mas saiba que de noite faz bastante frio. A temporada de esqui está com tudo em estações como Valle Nevado, Las Leñas, Nevados de Chillán, Bariloche, Chapelco, Portillo, Pucón.

Correntoso-Lake-&-River-Hotel

VILLA LA ANGOSTURA, ARGENTINA

Para onde viajar em julho: é uma escolha acertadíssima por vários motivos. Primeiro, ela fica perto o suficiente de Bariloche (1h30) para poder passear pela cidade sem ter que encarar hordas de adolescentes brasileiros de férias. Depois, o belo vilarejo é cercada por florestas de cedros, montanhas e pelos lagos Nahuel Huapi e Correntoso e tem uma estação de esqui pequena a exclusiva, Cerro Bayo, e cafés, restaurantes e hotéis de charme – fique no Correntoso Lake & River Hotel ou no Las Balsas.
Dica: De lá você também pode ir a Chapelco e San Martín de Los Andes, que não estão longe.

VALLE NEVADO, CHILE

É a estação mais fácil, barata e família para quem quer ver neve e arriscar os primeiros passos no esqui – e é a maior da América Latina, vale saber. A meras 2h30 de estrada de Santiago, funciona até como passeio bate-volta da capita chilena. Para quem for pernoitar, o complexo conta com três hotéis e um conjunto de apartamentos. O povoado vizinho de Farellones tem um parque onde dá para encarar caminhada com raquetes, tubing e tirolesa.
Dica: Para bate-volta, veja as vans da SkiTotal.

valle-nevado

USHUAIA, ARGENTINA

Localizada no arquipélago da Tierra del Fuego, repartido entre Chile e Argentina, Ushuaia é a porta para o “fim do mundo”, ou a cidade mais austral do planeta. A cidade em si não é muito vistosa, mas as oportunidades de explorar a natureza patagônica ali são muitas: no clássico passeio de barco pelo Canal de Beagle, por exemplo, você pode observar lobos-marinhos e cormorões. No inverno, é possível explorar a região branquinha da neve farta que cai entre o fim de junho e o fim de setembro (a temporada mais longa da América do Sul), e esquiar e fazer atividades como passeio de trenó e quadriciclo no Cerro Castor e seus arredores.

Dica: Para dormir com vista para lagos e montanhas, fique no charmoso Arakur Ushuaia Resort & Spa.

ushuaia

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

CARIBE: Já é temporada de furacões teoricamente, mas ainda está super ok ir para Turks e Caicos, St. Maarten, Cancún, Cuba, Cartagena e Punta Cana. Curaçao, Aruba e Barbados estão sempre fora da rota deles. Melhor evitar San Andrés – se for à Colômbia, fique pelas Islas del Rosário para ver praia bonita. Nas Bahamas e no Panamá, chove.

RIVIERA MAYA, MÉXICO

O Caribe mexicano, na bonita área da Riviera Maya, localizada na Península de Yucatán, fica centrado ao redor de Cancún, balneário americanizado com praias bonitas e resorts grandes do tipo “tudo num lugar só”. Apesar de julho ser, teoricamente, início da má temporada caribenha, o mês conta com tempo bom e é raríssimo que ocorra um furacão de fato (mas em meados de agosto a possibilidade vira real).  Playa del Carmen tem vibe parecida com a de Búzios e fica mais próxima de passeios legais pra fazer por ali, como ao sítio arqueológico Chichen Itza e à ilha de Cozumel. Para um destino mais calmo, fique em Tulum, com pegada rústico-chique.

Dica: Escolha uma ou duas bases principais entre as praias e, pra ter mais liberdade, alugue um carro.

LEIA TAMBÉM: O melhor roteiro por Cancún e região // O que fazer em Playa del Carmen // Por que se hospedar em Tulum

onde-ficar-em-tulum

islas-del-rosario

ISLAS DEL ROSÁRIO, COLÔMBIA

Cartagena é a cidade colonial mais lindinha e badalada da América, mas carece de uma coisa: praia bonita. Por isso, dezenas de pessoas lotam passeios de barco até esse arquipélago para ter um gostinho de água turquesa e areia branquinha de Caribe. Ledo engano: bom mesmo é dormir pelo menos duas noites por ali. Há diversas opções de hotéis, que vão de hostels como o Golden Froge o Samán Hostel Island até acomodações um pouquinho mais sofisticadas do Coralina Island e do Hotel San Pedro de Majagua.
Dica: Em julho chove em San Andrés, mas o clima é quente e seco em Cartagena e nas Islas del Rosário.
LEIA TAMBÉM: Guia completo da Colômbia pra montar seu roteiro // O que fazer em Cartagena

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

AMÉRICA CENTRAL E DO NORTE: Faz calor por todo lado: Miami, Disney, Chicago, Boston, Washington D.C., Nova York, e as férias dos americanos enchem atrações, principalmente nos fins de semana e feriados. Saiba que passear pelas cidades grandes pode ser cansativo pelo solzão sem trégua. Uma roadtrip  pela Califórnia é uma ótima. Cancún está ok, mas na região de Oaxaca e na Cidade do México pode chover. Canadá super na rota, principalmente com viagens de natureza. Nicarágua e Guatemala estão na estação úmida, mas o nível de precipitação é baixo.

SAN DIEGO, EUA

Ao sul da Califórnia, a queridinha de jovens brasileiros em temporadas curtas de curso de inglês vive sua em alta temporada nas férias de verão americanas. Graças à brisa costeira e à localização, porém, o calor não é tão intenso quanto em cidades como Los Angeles, mas ainda assim deixar curtir as praias e a vida ao ar livre. Não perca o enorme Balboa Park, cujos museus ficam abertos até mais tarde nessa época e há noites de food trucks, a região relax de Ocean Beach, onde o Sunset Cliffs Boulevard convida a pores do sol inesquecíveis, e as águas calmas de Mission Bay, onde dá para remar uma prancha de stand up paddle. A cena gastronômica floresceu nos últimos anos em lugares como o mercadão Liberty Public Market.

Dica: No início de julho você pode curtir as comemorações de 4t of July, o dia da independência dos EUA, com shows de fogos e outras atrações pela cidade.

san-diego

ALASKA, EUA

O Alaska é terra de superlativos: o maior estado americano abriga o maior pico, o maior parque nacional e a maior floresta dos Estados Unidos. Aqui, há glaciares mais extensos do que países inteiros, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 kg. Geleiras, lagoas, vulcões, montanhas, florestas: ao mesmo tempo que sua paisagem natural é uma das mais remotas e selvagens do planeta, ela é facilmente alcançada por voos com uma escala só, cruzeiros confortáveis com múltiplos roteiros que transitam pela costa (maior do que a do resto dos Estados Unidos inteiro somada) e a Alaska Highway, uma rodovia ampla e moderna que percorre mais de 2 mil quilômetros.
Dica: Não perca o Wrangell-St. Elias National Park, onde ficam nove das 16 montanhas mais altas do país e mais de 150 glaciares.

alaska

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

EUROPA: É hora de quase qualquer coisa que você pensar, de roteiros pela França (já tem lavanda na Provence!), Itália, Alemanha, Holanda, Leste Europeu, Espanha, Portugal… As capitais estão vibrantes, cheias de eventos ao ar livre e gente deitada nos parques – mas também estão QUENTES. Destinos de praia devem estar cheios nessa época (saia dos burburinhos turísticos e procure praias ou ilhas mais reclusas, sempre tem): Ilhas Baleares (Espanha), Croácia, Grécia, Algarve e Alentejo (Portugal), Costa Amalfitana, Sardenha e Sicília (Itália), sul da França. Quem gosta de sair do lugar-comum (e de gastar menos), cheque praias em países como Albânia e Montenegro. Boa hora pra ver lugares que passam a maior parte do ano na maior friaca mas agora têm clima ok: Islândia, Escandinávia, Rússia, Países Bálticos. Vinhedos já estão crescidos, mas sem uvas.

berlim

BERLIM, ALEMANHA

Para onde viajar em julho: capital mais cool da Europa, Berlim ressurge mais vibrante do que nunca no verão depois do coma do longo inverno. É hora de tomar pints de cerveja nos beer gardens, de deitar de canga e tudo sob o sol nos parques, de curtir festivais ao ar livre. A turistagem básica tem que incluir o Museu Judeu, um dos mais completos do mundo, a feirinha e karaokê do Mauer Park, o domo do Reichstag e uma foto com os restos do muro de Berlim na East Side Gallery.
Dica: Aproveite o clima bom para ver sessões de cinema ao ar livre.

SUÍÇA

Perfeitinha, civilizada, pitoresca: assim é esse pequeno país de cidades impecáveis e natureza poderosa, que o calor do verão deixa muito mais agradável. Com sete a oito dias você consegue fazer uma volta básica pelo país, passando por Zurique, a cidade mais “metrópole” do país, Berna, a capital compacta e fofinha, Interlaken, base para o turismo alpino entre lagos e montanhas nevadas o ano todo, Lucerna, ondeo circuito Classic Rigi, que combina travessia de barco do lago com trem e teleférico de montanha ao monte Rigi, e Montreux, para ter um gosto da suíça francesa e ouvir jazz.
Dica: A Suíça é um dos melhores países da Europa pra viajar de trem – se sua trip tiver a partir de 4 dias de duração o Swiss Travel Pass pode valer a pena.
LEIA TAMBÉM: O que fazer em Berna // O que fazer em Interlaken // O que ver na região de Jungfrau

suiça

PROVENCE E CÔTE D’AZUR, FRANÇA

Habemus campos de lavanda na Provence. Se hospede em Avignon ou Aix-en-Provence, as cidades maiores e com mais infra, e caia na estrada para ver essas plantações roxinhas em Valensole, a bela Abadia de Sénanque e vilas medievais como Banon, Apt e Bonnieux (veja outras sugestões de paradas no mapa), com mercados de rua e comida sensacional. Também vale conhecer a única fábrica da L’Occitane do mundo, onde dá para ver todo processo de produção e comprar produtos com descontos. Depois, você pode partir para o litoral e curtir cidades como Nice, Cannes e St. Tropez, sem perder maravilhas escondidas como Èze Village, a Plage Mala e as calanques de Marselha e Cassis.
Dica: Para não cansar de trocar de hotel, escolha algumas cidades principais de base e faça viagens bate-volta.
LEIA TAMBÉM: Conheça a praia mais bonita de Côte D’Azur

provance

noruega

NORUEGA

Para onde viajar em julho: no topo do primeiro mundo, com sua qualidade de vida, segurança e políticas públicas exemplares e cidades perfeitinhas, o país ainda tem natureza à altura. Há mais de mil fiordes (enormes vales rochosos inundados pelo mar) e formações rochosas malucas como Kjeragbolten e Trolltunga, que ficam muito mais visitáveis no verão. Um roteiro de oito dias pelo país pode incluir Stavanger, Odda, Flam, Fjaerland, Forde, Bergen e a capital, Oslo.
Dica: Nessa época você pode ver o sol da meia-noite em lugares como Lofoten.

ISTAMBUL, TURQUIA

Um pé na Europa e outro na Ásia. Istambul é uma metrópole moderna habitada por 15 milhões de pessoas, numa nação islâmica progressista e cada vez mais alinhada à União Europeia (ainda que as vertentes mais conservadoras da cidade estejam sempre militando pelo caminho oposto). Mas isso não é um problema ao turismo, que atrai mais de 10 milhões de visitantes anualmente pra ver algumas das mesquitas mais belas do mundo, palácios suntuosos e monumentos históricos bizantinos, seus mercados de especiarias e vivenciar seu exotismo cultural. Istambul é fácil de chegar desde as principais capitais europeias, fascinante de ver e incrível de viver.

Dica: De lá, estenda a viagem por Goreme, Pamukkale, Selçuk, Bodrum e Oludeniz.

turquia-istambul

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

ÁFRICA: É início da alta temporada de safári. É bom momento pra ir aos parques nacionais da África do Sul (mas não tanto para Cape Town e as praias da Rota Jardim, onde pode chover). Outra ideia é combinar um safári no Quênia ou na Tanzânia e aí continuar com um trekking para ver gorilas em Uganda e Ruanda ou um dias relax nas praias de Zanzibar. Zâmbia, Zimbabwe, Quênia, Madagascar: tudo recomendável. Ilhas Maurício também têm clima razoável.

UGANDA

Para onde viajar em julho: este notável país africano situado entre planaltos e montanhas abriga aproximadamente 20% da população de gorilas-das-montanhas do mundo. Vá ao Parque Nacional Biwindi participar de caminhadas que levam a encontros inesquecíveis com os bichões. Lá você também pode ver o Lago Vitória, o maior da África, e fazer trabalho voluntário para aprender mais sobre as comunidades locais – o site Workaway tem várias opções de projetos sociais no país, e você não paga quase nada para participar.
Dica: A Venturas Viagens vende pacotes para ver gorilas em Ruanda e Uganda com guia, uma extensão para unir com outros roteiros pelo África.

uganda

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

ÁSIA E OCEANIA: Está muuuito quente para ir ao Oriente Médio. As monções chegam com tudo em boa parte da Ásia – é potencialmente o pior mês para viajar para a Tailândia e outros destinos do Sudeste Asiático. Se salvam Indonésia, costa leste da Malásia (que tem praias lindas!) e norte da Austrália. O Japão tem forte calor, tempo úmido, chuvas e podem ocorrer tufões. A Rússia é uma boa: verão ameno (mas com possibilidade de chuvas). Na Nova Zelândia, faz frio e tem esqui.

INDONÉSIA

Bali está na bucket list de meio mundo depois que apareceu em Comer, Rezar e Amar, mas há muito mais o que ver nesse país formado por 17 mil (!) ilhas. Você encontra vida e caos na capital Jacarta, praias quase-Maldivas nas Gili Islands, o maior monumento budista do mundo em Borobudur, cultura e mercados na cidade de Yogyakarta, lagartões endêmicos e paisagens incríveis em Komodo (foto abaixo) e trilhas para vulcões em Lombok.

Dica: A Flores Runaway faz tours pelas ilhas de Komodo nos quais você dorme dentro do barco.

LEIA TAMBÉM: Como montar um roteiro por Bali, na Indonésia // Praias de Bali e arredores: onde estão as mais bonitas // Onde ficar em Bali: hotéis nas melhores partes da ilha // Como se locomover por Bali: carro, Uber, moto, van

bali-indonesia

MALÁSIA

Tem solzão sem fim na costa leste do país: dê um Google em lugares como Kuantan, Tioman Island, Perhentian Islands, Terengganu, Redang e Kota Bharu para ficar babando na água turquesa. Depois de uns dias relaxando, visite a capital Kuala Lumpur, com seus contrastes orientais e ocidentais, e as montanhas de Cameron Highlands, para fazer trilhas e ver plantações de chá. Na fofinha cidade de Penang e nas cênias ilhas Langkawi pode estar mais úmido, mas costumam predominar chuvas rápidas de verão.

Dica: Como a maior parte do Sudeste Asiático, o país ainda é bastante barato (pense gastos entre US$ 25 e US$ 50 por dia ficando em hostels ou hotéis simples).

malasia

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO

+ EVENTOS LEGAIS PELO MUNDO

Festival de Salzburgo (Salzburgo, Áustria)

Na terra Natal de Mozart acontece desde 1877 o festival de referência em música erudita. Todo ano há um homenageado diferente. Destaque também para os programas voltados para as crianças, como as adaptações infantis das grandes óperas.

Nos Alive (Lisboa, Portugal)

Três dias de música com gente tipo The National, Queens of the Stone Age, Future Islands e sim, Mallu Magalhães.

Tomorrowland (Boom, Bélgica)

Maior festival de música eletrônica do mundo, hoje em dia acontece anualmente também nos EUA e no Brasil, mas foi na Bélgica, na cidade de Boom, que tudo começou. E onde o agito é maior.

PARA ONDE VIAJAR EM JULHO: e você, quais são as suas sugestões de destinos? Deixe aqui nos comentários!

Betina Neves

Seus 10 anos de experiência no Jornalismo de Turismo deram o tom da linguagem do Carpe Mundi. Perita em traçar roteiros e na eterna busca pela passagem aérea mais barata, escreve um e outro post por aqui enquanto explora metrópoles insones, prova comidas exóticas e relaxa em praias vazias deste mundão.

Deixe seu comentário

voltar ao topo