É complicado se locomover em Bali. A ilha é grande, não tem transporte público organizado e, na parte mais lotada, no sul, o trânsito é intenso. No geral, as scooters são a melhor e mais usada forma de locomoção, mas pra quem não quer se aventurar nas motinhas, apps de transporte funcionam bem. Vem ver aqui como se locomover em Bali.

*IMPORTANTE: Assim que chegar em Bali, compre um chip de celular. Ter 4G é essencial para você se achar com mapas e poder usar aplicativos de transporte.

LEIA TAMBÉM: Como montar um roteiro por Bali: melhores destinos

Como se locomover em Bali: carro, Uber, moto, van

Chegada ao aeroporto de Bali

Se você estiver cansado e disposto a pagar mais, pegue um táxi e pronto (vão ter muuuuitos tentando se vender na sua chegada). Negocie pra cerca de 200 000 rúpias (US$ 14) pra ir até a região de Canggu/Seminyak (pra Uluwatu ou Ubud vai dar um pouco mais). Se quiser pagar menos, use o Wi-Fi do aeroporto pra baixar o aplicativo Grab (ou já baixe antes de chegar lá), o Uber local, e chamar um carro, que vai cobrar cerca de 90 000 rúpias (US$ 6) pra ir até a região de Canggu/Seminyak.

Como é alugar scooter em Bali

Scooter (as motinhos automáticas) são o transporte oficinal do Sudeste Asiático. É ridículo de fácil e barato alugá-las: todos os hotéis, dos mais simples aos grandes resorts, normalmente alugam para os hóspedes, além de que dá pra achar vários lugares mais informais na rua alugando-as. As mais baratas saem a partir de US$ 5 o dia e não é pedido nenhum documento. Em Canggu e Seminyak fica a questão sobre alugar ou não, porque o trânsito é muito caótico (o que pode ser um pouco perigoso). Mas pra passear pelas praias de Uluwatu, nos arredores de Ubud e nos templos do leste da ilha, por exemplo, pode ser uma boa pra quem é aventureiro e topar dirigir na mão-inglesa.

Pode/vale a pena alugar carro em Bali

Em Bali não é permitido alugar um carro sem motorista. Então é melhor se virar de táxi e aplicativos de transporte como o Grab  (porque não há necessidade de ficar com motorista o tempo todo, especialmente nas áreas onde o trânsito é intenso).

Como de locomover em Canggu/Seminyak

O Grab e o outro app concorrente, o Go-Jek, funcionam superbem nas duas regiões. Você chama o carro no app (ou até mesmo moto-táxis para os mais aventureiros) e voilà. Quem não confia e prefere mais conforto pode pedir táxis tradicionais no hotel. Mas fica a dica de que o trânsito é muito ruim nessas áreas, por isso o ideal é tentar se hospedar numa localização conveniente (perto da praia é uma boa referência pra poder andar aos restaurantes, bares e lojas).

Como ir de Canggu/Seminyak a Uluwatu ou Ubud

Para Uluwatu também dá para usar os apps, funcionam superbem e são baratos. Para Ubud eles podem reclamar porque tem muita briga com taxista naquela região, então pode ser melhor pedir um táxi normal ou então comprar um transporte coletivo de van em alguma agência.

Como se locomover em Uluwatu

Aqui o Grab e o Go-Jek também funcionam relativamente bem, mas se o percurso for a praias mais isoladas como Melasti Beach, há a chance de não encontrar um carro pra voltar. Nesse caso você pode 1) contratar um táxi pra ficar o dia todo com você; 2) alugar uma scooter.

Como se locomover em Ubud

Se você ficar hospedado no centrinho de Ubud não precisa de carro para passear: é só sair a pé pelas lojinhas, cafés, mercados, templos, museus e restaurantes. Para ver os templos, cachoeiras e terraços de plantação de arroz dos arredores, porém, precisa de um veículo. Você pode: 1) comprar um tour com uma agência (mas aí é aquele esquema excursão, nem sempre legal); 2) contratar um táxi pra rodar o dia com você (boa opção pra quem está em grupo) ou 3) alugar uma scooter.

Como se locomover pelo resto de Bali

Pra ir de Ubud para Amed ou Lovina, por exemplo, você pode tentar vans coletivas que as agências organizam (mas elas dependem da demanda). Pra ir a Munduk pode ser que não tenha van; aí vai ser táxi ou scooter. Pra chegar nas ilhas vizinhas (Gilis e Nusas), compre pacotes com as agências que já incluem transporte terrestre até o píer e barco (eles saem principalmente de Padang Bai e Sanur).

Indo a Bali?

LEIA TODOS NOSSOS POSTS DE BALI AQUI

Betina Neves

Seus 10 anos de experiência escrevendo sobre turismo deram o tom da linguagem do Carpe Mundi. Perita em traçar roteiros e na eterna busca pela passagem aérea mais barata, escreve um e outro post por aqui enquanto explora metrópoles insones, prova comidas exóticas e relaxa em praias vazias deste mundão.

1 comentário

Deixe seu comentário

voltar ao topo