VANCOUVER CANADÁ

Entre grandes prédios comerciais, casinhas charmosas afastadas do Centro, e uma imensidão de vegetação verde está localizada Vancouver: a linha tênue entre o calmo e o agitado, com atrações turísticas para todos os gostos, indoor em seus centros comerciais e outdoor em seus parques e praias com temperatura razoável o ano todo.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Montreal: roteiro de 3 dias pela cidade mais francesa do Canadá

VANCOUVER CANADÁ

Quando ir a Vancouver

Em abril a neve já cessou e até outubro o clima da cidade fica agradabilíssimo: não muito calor, mas sem o frio rigoroso. Durante o inverno, de novembro a março, apesar dos termômetros baixos, também há atrativos mil para aproveitar Vancouver – e vale lembrar que a região é a menos fria de todo Canadá, com temperaturas que raramente ultrapassam zero graus negativos.

Como chegar em Vancouver

Não há voos diretos para Vancouver. A Air Canada é a melhor opção com trajetos saindo do Brasil com conexão em Toronto – a viagem leva 17 horas e custa desde CAD$ 1 000.

(CAD$ 1 = US$ 0,76)

Documentos obrigatórios

O visto é obrigatório. Quem possui visto de turismo para os Estados Unidos, ou já visitou o Canadá nos últimos 10 anos, pode solicitar o ETA (autorização eletrônica de viagem), emissão de um documento virtual que vale como visto e tem validade de até 5 anos. O período do visto de turismo é de 24 semanas (quase 6 meses). Para aqueles que não se enquadram na categoria citada anteriormente, é necessário organizar e reunir todos os documentos e formulários solicitados pelo governo (confira a lista aqui), preencher, pagar a taxa de CAD$ 100 e submeter à aplicação, que pode ser tanto online, ou pessoalmente em um CVAC (Canadian Visa Application Centre). Além disso, desde 2018 está vigente a obrigatoriedade da biometria, que deve ser cadastrada em algum centro de visto disponível em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Recife, pelo valor de CAD$ 85 por pessoa.

O seguro de viagem para o Canadá não é obrigatório, mas se a sua programação incluí atividades de trilha, ski ou snowboard, é sempre bom estar bem amparado. Para maiores informações, leia este post: qual é o melhor seguro viagem para esportes na neve? (em perguntas e respostas)

LEIA TAMBÉM: 5 razões pra nunca mais viajar sem seguro de viagem

VANCOUVER CANADÁ

O que fazer em Vancouver

Entre as 10 cidades mais habitáveis do mundo segundo a The Economist (graças ao tanto de verde que Vancouver conserva), essa província da British Columbia reserva atrações mil pra você. Vem ver as melhores:

Stanley Park

O maior parque urbano do Canadá, com mais de 400 hectares, é tudo que você já leu e muito mais. Suas ciclofaixas são quase todas cercadas pelo mar, o som dos passarinhos é constante, e a cada novo percurso descobre-se algo novo ou mais um point especial para relaxar debaixo de suas mais de meio milhão de árvores. A pedida é alugar uma bike em uma das lojas disponíveis na entrada do Stanley e aproveitar a vibe do passeio. Para quem quiser algo mais calmo, também é possível fazer um piquenique e reunir os amigos para uma tarde gostosa. Se a fome bater, há três restaurantes lá dentro (fora as barraquinhas espalhadas). A The Tea House, que oferece lanches e saladas em um ambiente mega charmoso e com uma vista privilegiada pro oceano, o The Fish House, como o nome já indica, uma ótima opção para quem gosta de frutos do mar, e o The Waterfall Café,  que possui o menu mais variado e está do ladinho do aquário.

LEIA MAIS: Um giro pelo Stanley Park, em Vancouver, o maior parque urbano do Canadá

Aquário de Vancouver

Aproveitando a passada pelo parque e sua reserva natural, há também o Vancouver Aquarium para visitar. São mais de 70 mil animais, parte deles resgatados de situações de risco e cuidados hoje por voluntários ativistas. As maiores e mais procuradas atrações são as águas-vivas, a baleia branca, golfinhos, leões marinhos e muito mais. Além disso, há um jardim tropical com borboletas e um espaço totalmente dedicado à Amazônia.

Em tempo: não perca o cinema  com um filminho sobre as mais variadas espécies marinhas, em 4D – já está incluso no valor do ingresso, que custa a partir de CAD$ 30.

English Bay

Ainda perto do parque está a faixa de areia urbana mais famosa da cidade, a English Bay. A praia, que no inverno fica coberta por neve, no verão dá espaço para seu grande gramado verde, banquinhos de tronco e muitas pessoas observando o espetacular  pôr-do-sol que se reflete nas águas do Oceano Pacífico. Quase todo fim de tarde artistas de rua ligam seus instrumentos e divertem os turistas e moradores locais com um som calmo e vibe de fim de tarde. Em datas comemorativas também há memoráveis fogos de artifício.

Em tempo: lembre-se de que no verão o pôr-do-sol começa mais tarde, por volta das 21h.

english-bay

Capilano Suspension Bridge

capilano-suspesion-bridge

Esse parque é uma parada obrigatória se você vai passar por Vancouver.  Além de dar pra aproveitar a mata tropical e andar por suas árvores, ele também rende lindas fotos. A ponte principal fica a 70 metros de altura do Capilano River e possui 140 metros de comprimento. Além dela são mais 7 pontes suspensas, a 30 metros do chão, que se encontram espalhadas pela floresta, e o Cliffwalk, caminho que te leva para o meio da vegetação numa série de passarelas suspensas. As entradas custam  desde CAD$ 16. Quanto ao acesso, há um ônibus gratuito que sai e volta para o Canada Place.

Dica: para conseguir ainda melhores cliques, vá no perído da manhã, perto do horário de abertura (9h), assim, a movimentação da ponte não é tão forte e o número de pessoas atrapalhando sua foto é mínima.

Science World

É um dos cartões-postais de Vancouver por conta de seu formato redondo e bem grande visto de vários ângulos da cidade – é um programa recomendado especialmente para as crianças. Seu museu de ciências proporciona diversas atividades interativas aos seus visitantes, com experiências que testam a ciência e às vezes até a mente como uma sala dedicada à quebra cabeças e jogos de ilusão e a famosa bola de plasma para te deixar de cabelo em pé. Além das atrações permanentes, o museu constantemente inova na programação com exposições de arte e exibição de peças e filmes. Ingressos a partir de CAD$ 18. Se ainda tiver um tempo, aproveite para conhecer os arredores da vizinhança aconchegante de False Creek com uma bike.

Canada Place

Localizado no coração da cidadeo Canada Place, além de ser um ponto de encontro chave em Vancouver, também é um lugar privilegiado por conta de sua arquitetura moderna em forma de uma navio gigante, infraestrutura com restaurantes chiquetosos como o Five Sails e o Oceans 999, ambos localizados dentro do hotel Pan Pacific, e uma bela vista do mar da cidade (onde, inclusive, os grandes navios atracam). Fique atento à programação, lá os eventos nunca acabam: entre julho e agosto há exibição de filmes ao ar livre e aulas de zumba gratuitas.

Dica: é também o melhor lugar para se comemorar o Dia do Canadá, no dia 1º de julho, e, durante dezembro, toda sua extensão se ilumina com as luzes de Natal.

canada-place

Fly Over

Depois de dar uma volta pelo Canada Place, ainda no porto, nada como um passeio relaxante e emocionante pelos céus do Canadá – só que de uma maneira diferente. A experiência proporcionada pelo Fly Over é nada mais, nada menos, que um voo de realidade virtual, em uma espécie de cinema 4D, pelas mais belas paisagens do país. Cachoeiras, rios, mares, matas e muito mais, a bordo de um uma cadeira flutuante que espirra água, vento e cheiros característicos. Preços desde CAD$ 29.

Estádio BC Place

bc-place

Aos fãs de esportes em geral, a passada pelo BC Place é mandatória. A casa do time de futebol Vancouver Whitecaps é considerada a maior de todo país, e é também o maior estádio do mundo com um teto retrátil e inflável. Sua infraestrutura é impecável, e se não der para assistir um jogo, vale uma visita guiada para ver a instalação e o mini museu esportivo que há dentro dele. E não é só em partidas de futebol que você pode conhecer o espaço: lá também são sediado jogos de basquete, hockey e os maiores shows de música em Vancouver.

vancouver-public-library

Vancouver Public Library

Vancouver Canadá: essa biblioteca pública com certeza não vai passar despercebido pelos seus olhos enquanto estiver andando pelas ruas do Centro. Ela, além de encantar com a arquitetura inspirada no Coliseu de Roma, é considerada uma das maiores bibliotecas do mundo, com seus 9 andares de estrutura com um gigantesco acervo. No seu interior, as grandes janelas trazem a luminosidade ideal e uma perspectiva diferente de Vancouver. Mesmo pra quem não é muito fã de livros vale a passada pelo prédio e talvez até entrar para tomar um café, no térreo.

mercado-publico

The Granville Island Public Market

Além de ponto turístico, essa dica também se encaixa muito bem na parte de restaurantes gostosos da região. Esse mercado público é uma verdadeira experiência sensorial de sabores e cores, onde você encontra uma variedade imensa de vegetais, frutas, queijos, doces e muitas delícias da região – além de ficar petiscando em cada tendinha. Fora do galpão existem estabelecimentos e um espaço para ficar sentado e vendo os artistas de rua fazerem suas apresentações como shows de mágica.

Robson Street

No coração do Centro de Vancouver está localizada a badalada e versátil Robson Street. Lá, além de estarem localizadas ótimas opções de restaurantes, como o Cin Cin, uma pausa sofisticada e deliciosa para uma boa comida italiana, também é o point ideal para ir às compras. Você vai encontrar as maiores e mais conceituadas lojas da Sephora, New Balance, Victoria’s Secret e todas os nomes de marcas que amamos.

Grouse Mountain

grouse-mountain

Ao Norte de Vancouver, tem diversão pro ano todo. No verão, a neve derrete e da lugar ao sol e ao verde. Quem quiser pode subir a montanha pela gôndola e aproveitar a vista panorâmica da cidade, mas a experiência principal nesta época do ano é a Grouse Grind, uma trilha íngreme e bem sinuosa de aproximadamente 2 horas para ir ao topo da Grouse Mountain. No inverno, o local torna-se um centro invernal em meio à cidade. Para ir ao topo é necessário pegar a gôndola para chegar na estação de ski. Mais acima ainda está o Eye of the Wind, primeira e única turbina eólica que te permite ficar sob um chão de vidro no topo da montanha e de quebra ainda ver Vancouver de cima com uma vista de 360° (aberto entre maio e outubro, período em que não produz energia).

Durante o verão há transporte gratuito com intervalo entre 30 ou 60 minutos a partir do centro até a montanha.

VANCOUVER CANADÁ

Bate-voltas desde Vancouver

Whistler

whistler-canada

peak-to-peak

A 2 horas de Vancouver, Whistler é considerado como destino de bate-volta preferido desde Vancouver. Lá, existem duas grandes montanhas com uma vila alpina aconchegante, onde o destaque vai para a estação de ski e snowboarding, os cursos de golfe, os shoppings com artigos pro frio, com lojas como a North Face e Patagonia e muitos souvenirs (vale a passada pela temática Bear Necessities), restaurantes e bares à beça como o italiano Trattoria di Umberto e spas. No inverno, as montanhas se tornam o maior aglomerado invernal de ski do país e com a descida mais íngreme da América do Norte. Já no verão, um ponto da cidade para aproveitar a vista linda dos montes, fazer caminhadas e trilhas na natureza. Independente da época do ano, não deixe de ir ao Peak 2 Peak, teleférico a mais de 2 mil metros do chão por onde pelas janelas de vidro ou pela abertura transparente no chão (disponível nos bondes de cor prateada) você pode admirar a imensidão da natureza, os riachos, geleiras e bosques, formando um tapete verde embaixo dos seus pés. Desde CAD$ 51.

Se a ideia for estender o passeio e passar a noite nas montanhas, opte pelo Nita Lake Lodge (diárias desde CAD$ 299), que tem pegada rústica e chique na décor e nos aposentos, equipados com banheira e lareira e com vista para o lago a apenas 500 metros do teleférico de Whistler.

Victoria

victoria-canada-parlamento

buchart-gardens-victoria

Capital da província canadense de British Columbia, Victoria é localizada na ponta sul da ilha de Vancouver. Para chegar até lá a partir de Vancouver é necessário pegar um ferry moderno e equipado de aproximadamente 1 hora.  Na cidade, há um parlamento, com uma estrutura monumental e um gramado onde você pode ficar deitado aproveitando o tempo passar. Mas a verdadeira atração se encontra a 40 minutos do centro, no Butchart Gardens, um campo de flores lindíssimo que com certeza você já viu fotos por aí. Durante todo o ano seus jardins ficam abertos para a visitação, proporcionando uma bela experiência visual: são mais de 900 variedades de flores e árvores bem cuidadas e que por vezes nem parecem reais – fora o cheiro delicioso das plantações. Preço do ingresso desde CAD$ 14.

VANCOUVER CANADÁ

Onde comer em Vancouver

tim-hortons-bagel

Tim Hortons

Vancouver Canadá: essa cafeteria é um clássico canadense e motivo de orgulho nacional. É perfeita para um café da manhã, café da tarde e até mesmo um brunch. Todas as bebidas, tanto gelada, quanto quentes são maravilhosas, e os bagels são uma ótima pedida quando não quer arriscar.

poutine-canada

Frenchies

Se existe uma comida típica canadense, o poutine certamente é ela, e você não pode deixar da passar no Canadá e não experimentar. O prato consiste em uma mistura de batata frita com molhos, queijos e carnes de sua escolha, garantindo uma refeição completa e muito saborosa.

japadog

Japadog

Quem está em Vancouver não pode deixar de experimentar essa iguaria da região: o japadog. Ele nada mais é que um cachorro quente de filme americano, feito em um trailer perto da estação Waterfront e com sabores um tanto quanto inusitados – como um que é servido com alga.

tea-house-vancouver

Tea House Stanley Park

Com uma vista privilegiada para o Stanley Park e o oceano, este restaurante é a opção ideal para um almoço ou jantar mais chique e romântico acompanhado de um bom vinho. O carro chefe da casa  é o cogumelo recheado com camarão e cream cheese.

VANCOUVER CANADÁ

Onde se hospedar em Vancouver

Hotel Fairmont Pacific Rim (diárias desde CAD$ 367)

A 5 minutos a pé do Canada Place, na região central, esse é um dos hotéis mais respeitados e conhecidos de Vancouver, contando com uma bela infra: arquitetura modernosa cheia de vidros, piscina no rooftop, banheira de hidro nos quartos amplos e super equipados, academia, spa, fogueira pro frio e tudo que hotéis cinco-estrelas proporcionam no melhor esquema. Dentre suas três opções de bares e restaurantes o destaque fica pro Botanist, que apresenta um cardápio sazonal, inspirado na botânica e com princípios sustentáveis e bem saudáveis.

Rosewood Hotel Georgia (diárias desde CAD$ 289)

Aos pés da principal rua de compras da cidade, a Robson Street, se encontra o Rosewood. Sua arquitetura em madeira traz um clima luxuoso ao lounge enquanto seus quartos com enormes janelões proporcionam iluminação natural e vistas deslumbrantes de Vancouver. A piscina interna destaca-se por ser de água salgada.

O Canada House (diárias desde CAD$ 143)

Para se sentir sentir um verdadeiro canadense, este hotel é a opção ideal. Seu edifício se assemelha às casas da região e a decoração é vitoriana, sofisticada, e toda pensada no conforto e na sensação de aconchego familiar. Além disso, ele está localizado a 2 quilômetros do Stanley Park e a alguns minutos da principais atrações turísticas e restaurantes da cidade. Para se sentir ainda mais em casa, durante todo o dia estão disponíveis lanchinhos, sucos, cafés a chás na recepção e na cozinha (que é aberta ao hóspede).

Hotel Budget Inn Patricia Hotel (diárias desde CAD$ 55)

Uma opção mais em conta, este hotel está localizado ao lado da badalada região de Chinatown e mantém a simplicidade e organização nos cômodos amplos e bem iluminados. Ainda em suas instalações há o Pat’s Pub & Brewhouse, com decoração vintage e que serve cervejas artesanais feitas no próprio estabelecimento e petiscos para um bom happy hour.

(CAD$ 1 = US$ 0,76)

Pietra Palma

Estudante de jornalismo e aspirante a viajante profissional aqui no Carpe Mundi. Férias, feriados e finais de semana são sempre oportunidades para conhecer uma nova cultura, um novo lugar, um novo espaço. Gosta de colecionar momentos e pedaços desses caminhos através da escrita e acredita que uma boa viagem tem o poder de reanimar a alma.

1 comentário

Deixe seu comentário

voltar ao topo