frança


5 bate-voltas de até 1h30 pra fazer desde Paris (além de Versalhes!)

Fazer um bate-volta desde Paris deve valer a pena de duas formas: 1) o deslocamento não deve ultrapassar 1h30 (pra não se tornar cansativo e justificar a ida e vinda no mesmo dia) e 2) o destino obviamente deve ter atributos interessantes capazes de te proporcionar um dia ainda mais legal do que na Cidade Luz. Veja aqui 5 bate-voltas desde Paris sem erro (além de Versalhes!).

LEIA TAMBÉM: Como visitar o Palácio de Versalhes a partir de Paris

O que fazer em Montmartre: atrações no clássico bairro de Paris

Os novos cafés que você precisa conhecer em Paris

Airbnb: 14 apartamentos pra alugar em Paris lindos e baratos

CONHEÇA 5 BATE-VOLTAS DESDE PARIS:

REIMS

A cidade é Patrimônio Mundial da UNESCO por suas famosas caves de champagne – ali estão as sedes de vinícolas como TaittingerVeuve Clicquot , que você pode visitar -, sua arquitetura art déco e seus diversos monumentos que homenageiam a história da França, como a Catedral Notre-Dame de Reims, símbolo da arte gótica nacional. Ao contrário de outras cidadezinhas de interior, Reims é um destino movimentado, uma cidade universitária pulsante. A prova você encontra na praça Drouet-d’Erlon, centro da vida noturna local – o Sherlock Pub é um dos mais lotados.

Como ir: Pegue o trem TGV Est Européen com destino à Reims-Centre. A viagem dura cerca de 45 minutos.

LEIA TAMBÉM: Onde ficar em Paris: seleção de hotéis até € 150

GIVERNY

Bate-voltas desde Paris: a cidade mais do que charmosa fica apenas a 80 km de Paris em uma colina à beira do Rio Sena. Foi ali que Claude Monet morou de 1883 até a sua morte, em 1926. Sua casa e seus jardins, que hoje abrigam o Musée des Impressionismes e a Fondation Claude-Monet, são visitados por gente de todo o mundo, principalmente na primavera, quando as flores colorem a paisagem pitoresca no meio dos lagos e pontes arqueadas – uma cena comum pra quem conhece suas famosas ninfeias. Dá pra fazer tranquilamente o passeio em uma manhã ou tarde.

giverny-paris

Como ir: saindo da Gare Saint-Lazare, você pega a linha intercités Paris – Saint Lazare – Rouen – Le Havre em direção a Le Havre. A viagem é rápida e você desce depois de uma estação na Gare de Vernon. De lá, um ônibus que te leva diretamente a Giverny. Dá 1h30 desde Paris.

AUVERS-SUR-OISE

A passagem de Vincent Van Gogh pela pequena cidade ao longo Rio Oise explica a presença de alguns turistas na região. Auvers-sur-Oise não atraiu só o pintor holandês, mas também Cézanne, Daumier e Pissarro. Em duas horas você conhece a cidadezinha a pé – não deixe de ver a casa de Van Gogh, o Musée de l’Absinthe (que recria cafés da Belle Époque), o pequeno cemitério onde você encontra lado a lado as sepulturas de Van Gogh e seu irmão Théo e o fotogênico Château d’Auvers sur Oise. Veja também a igreja do século 12 eternizada no quadro L’Église d’Auvers-sur-Oise, que hoje está no Musée d’Orsay, em Paris.

Como ir: 1h30 de viagem saindo da Gare du Nord em direção a Pontoise e baldeação em Saint-Ouen-l’Aumône, ou em direção à Creil-Persan- Beaumont com baldeação em Valmondois (sentido Pontoise) / 1h15 saindo da Gare Saint-Lazare até Pontoise e mais um trem em direção a Creil-Persan- Beaumont.

CHANTILLY

Bate-voltas desde Paris: o castelo conhecido entre os brasileiros por ter sido cenário do casamento de Ronaldo e Daniela Cicarelli (quem lembra?), parece ter saído de um conto de fadas. Além de abrigar a segunda maior coleção de arte antiga no mundo, perdendo só pro Louvre, o Castelo de Chantilly é rodeado por um lindo jardim com lagos deslumbrantes de diferentes formas geométricas – tudo desenhado por André Le Nôtre, o jardineiro real de Louis XVI. De quebra você tem uma uma floresta encantadora ao redor do castelo, o lugar ideal pra fazer um piquenique. Em tempo: não foi ali que foi inventado o chantilly; o creme já era apreciado pelos príncipes de Condé no final do século 18 e o castelo data do século 19.

chantilly-france

Como ir: 25 minutos saindo da Gare du Nord e indo diretamente para Chantilly-Gouvieux.

FONTAINEBLEAU

Versalhes guarda o maior e mais célebre castelo da França, mas é na simpática cidadezinha de Fontainebleau que mora um acervo ainda mais interessante de arte e história, no Castelo de Fontainebleau. Napoleão morou ali quando imperador e declarou a construção como a verdadeira casa dos reais – não à toa, por sete séculos o castelo foi base da realeza francesa, dos Bourbons aos Médicis e Louis XVI, o Rei Sol. São 1 530 salas recheadas de obras do renascimento italiano (não deixe de visitar a sala do trono) e 130 hectares de jardins e parques, que se encontram com a imensa floresta de carvalhos, castanheiros e pinheiros que cerca a cidade (a área verde do castelo não é tão bem cuidada como em Versalhes, mas dá pra fazer atividades como alugar um barquinho e navegar por seu lago). Dica: se curtir restaurantes estrelados, invista num almoço no L’Axel, com criações ousadas como o ouriço-do-mar com sopa de trufas pretas. Também vale comer um dos deliciosos macarons da pâtisserie Dardonville e tomar um espresso no Le Grand Café, pra ver gente e ser visto na principal praça da cidade, superfotogênica.

Como ir: Partindo da Gare de Lyon em um trem com direção para Monterau/Montargis/Laroche-Migennes – todos eles param na estação Fontainebleau-Avon. A viagem dura 38 minutos e você chega a 4 km de Fontainebleau; dali é só continuar o passeio a pé ou pegar um ônibus urbano.

Bate-voltas desde Paris: e você, indica algum lugarzinho em especial? Conta pra gente aqui nos comentários 🙂

A autora

Giovanna Saba

Giovanna Saba

Colaboradora do Carpe Mundi, a jornalista é graduada pela Sorbonne. Num clichê perfeito, trocou o Brasil pela França em 2014 depois que encontrou o amor em Paris. Hoje coordena o Gigi em Paris, com dicas da capital francesa.

- Website


Instagram

Há 4 comentários para “5 bate-voltas de até 1h30 pra fazer desde Paris (além de Versalhes!)

  1. Olá Giovanna, parabéns pelo seu lindo Blog! Gostaria de saber um pouco mais sobre o Château de Vaux le Vicomte, Maincy, França, local de gravação do filme “o homem da máscara de ferro”. Pelo que vi no mapa, ele é mais perto que Fontaineblue. O que você acha desse Castelo como eu passeio bate e volta em Paris?

    1. Oi Valéria, tudo bem?
      Obrigada pelo seu comentário! Então, o Fontainebleau e o castelo de Vaux le Vicomte são diferentes: o primeiro era a morada dos reis, já o segundo era a casa do superintendente de finanças do Luís XIV, mas os dois são maravilhosos e valem a visita. Se estiver no pique pode fazer os dois no mesmo dia, já que eles estão apenas 25 minutos um do outro. No Fontainebleau a visita é mais longa, já no castelo de Vaux le Vicomte conte com umas três horas pra conhecer tudo. Sugiro uma visita à tarde, já que dá para passear nos jardins, desenhados pelo paisagista real Lê Nôtre, que ficam ainda mais lindos no anoitecer. Hoje o castelo do Vaux le Vicomte é a propriedade privada mais importante da França. Acho que por conta disso ele parece ser melhor preservado que o castelo de Fontainebleau.
      Ele também foi cenário do James Bond: Moonraker, do filme Maria e outros. Um bate e volta até lá vale super a pena.
      Beijos!

  2. Olá Giovanna. Ótimas informações e muito valiosas, principalmente para quem vai pela primeira vez. Eu gostaria de saber se posso fazer confortavelmente dois destinos num mesmo dia. Exemplo. Giverny e Chantily ficam na mesma direção não é? Abraços

    1. Oi, Luiz!
      Olha, acho que visitar esses dois lugares no mesmo dia fica cansativo e um pouco fora de mão, até porque Chantilly fica a nordeste de Paris e Giverny a noroeste. Acho melhor você fazer as visitas separadas ou, se não tiver tempo suficiente, eleger um lugar só. Obrigada e boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *