frança


A sua primeira vez em Paris num roteiro bem completinho de 3 dias

A cidade mais desejada do mundo é romântica e é modernosa, é cosmopolita e é provinciana, é conservadora e é antenada.

Escolha sua mesinha em uma esquina da Paris do século 21 enquanto toma um café na clássica Montmartre; sinta muita emoção ao ver ela, a Torre Eiffel, o cartão-postal mais famoso de todos; e veja museus de peso, lojas únicas e toques de boemia no miolo nobre dos arredores do Louvre, da Ópera Garnier e das pontes sobre o Rio Sena. Roteiro Paris: vem ver aqui o que fazer na primeira viagem à Cidade-Luz num itinerário perfeito de 3 dias.

ROTEIRO PARIS: 3 DIAS PARA INICIANTES

ROTEIRO PARIS: DIA 1

MANHÃ: Uma boa maneira de começar seu roteiro Paris é mergulhar de cara no clichê dos clichês: a Torre Eiffel. Pra chegar lá, pegue a linha 6 do metrô e desça um pouco antes da torre na estação Bir Hakeim (linha 6), onde você tem a ponte de ferro homônima que já foi cenário do filme A Origem, protagonizado por Leonardo DiCaprio, e uma vista linda para a Dama de Ferro. Siga as bordas do Rio Sena e voilà: você estará embaixo do cartão-postal mais famoso do mundo.

Quando foi construída para a Exposição Universal de 1889 celebrando o centenário da revolução, a Torre teve forte oposição da elite artística e literária de Paris. Ela só foi salva pois provou ser uma plataforma ideal para antenas de transmissão de rádio. Hoje, é o ponto turístico mais visitado do mundo.

Quem faz questão de subir no monumento tem que desembolsar € 17 para chegar até o topo – compre o ingresso com horário marcado aqui. Indo lá em cima ou não você com certeza vai querer se sentir parte daquilo tudo fazendo um piquenique improvisado no comprido gramado embaixo do monumento. Vale comprar moranguinhos, vinho, baguette, chocolates e o que mais bater na telha em lojinhas próximas à área, armar uma canga no chão e ficar ali degustando besteiras e admirando a Torre Eiffel.

PARIS-viagem

Um outro ponto de vista bacana da Torre Eiffel é subindo as escadas do Trocadéro, um antigo palácio de exposições que hoje funciona melhor como um terraço gigantesco de cara pra torre. Em tempo: uma vista mais bonita de Paris com a Torre Eiffel inclusa no cenário é a do 56° andar da Torre Montparnasse, o Top of the Rock parisiense, por €15. No crepúsculo a foto costuma sair mais bonita ainda.

TARDE: Na hora da fome vá ao Les Ombres, restaurante do Musée Quai de Branly – Museu de Artes e Civilizações da África, Asia, Oceania e América, um prédio de vidro coberto por plantas que fica ao lado da Torre Eiffel. O menu com entradinha de carpaccio de robalo, prato principal que pode ser a vitela com raspas de abacate e sobremesa de ganache de chocolate sai por € 42. Já quem quiser comer mais barato deve continuar o caminho às margens do Rio Sena, na Quai d’Orsay direto para a Pont Alexandre III, a ponte com postes de luz e ornamentos em dourado que é a mais suntuosa de Paris. Ela foi construída para a Exposição Universal de Paris em 1900 como símbolo da amizade entre os povos russo e francês. Atracado ao cais, próximo à ponte fica o Bistrot Alexandre III, que serve crepes salgados completos desde € 12.

Atravesse a ponte passando entre os suntuosos centros de exposição Petit e Grand Palais até chegar na Avenida Champs-Élysées.

avenida-champs-elysees

Ali você tem das lojas de grife mais luxuosas como a Cartier, a Louis Vuitton e a Guerlain até as de praxe que a gente ama como a Sephora, a H&M e a Zara. Não deixe de passar no supermercado Monoprix – um tipo de Target francês, pra comprar objetos de decoração e marcas de maquiagem mais baratinhas como a L’Oréal e a Maybeline. No número 75 você tem a famosa Ladurée, onde a boa é aproveitar pra tomar um chazinho da tarde sem pressa nas mesinhas externas observando o movimento da avenida e e experimentar os icônicos macarons da marca. Os de pistache e vanilla são os que mais saem. Dá pra levar uma caixinha a partir de 6 unidades de presente também.

Já viu nosso post com mais sugestões de onde comer os melhores macarons de Paris? Veja mais aqui

Roteiro Paris: andando até o fim da Champs-Elysées você chega na imponência do Arco do Triunfo, monumento que é símbolo da vitória francesa, construído às ordens de Napoleão. Mas guarde o fôlego, porque são mais de 280 degraus até seu topo. Dentro do Arco você tem um museu bem interessante e rapidinho que explica o processo de construção do monumento e sua ligação com a história francesa. O acesso custa € 12.

Do Arco desça toda a Avenida Champs-Élysées novamente até chegar na Place de la Concorde. A caminhada é demoradinha, mas as calçadas são super largas e, como já sabemos, recheadas de vitrines incríveis. Ao passar pelo obelisco, você entrará no Jardim das Tulherias, que fica ainda mais lindo com a luz do entardecer. Aproveite para sentar nas cadeiras de ferro à beira das fontes ou embaixo das árvores e descansar por alguns minutos.

LEIA MAIS: 13 apartamentos pra alugar em Paris lindos e baratos

Veja como ir de Paris ao Monte Saint-Michel, o cartão-postal da região da Normandia

Como visitar o Palácio de Versalhes a partir de Paris

jardim-das-tulherias

Saia pelos portões laterais do jardim e siga pelo burburinho da Rue Rivoli. Do outro lado da rua você vai ver algumas lojinhas de souvenires (em tempo: não compre nada ali; tudo é bem mais em conta em Montmartre). Chegando na Rue des Pyramides, que fica na altura da Place du Carrousel, vire na Rue de Rohan, depois, vire à direita na Rue Saint-Honoré (a Quinta Avenida francesa, onde os locais chiques realmente vão pra comprar) e você chegará ao suntuoso Palais Royal, um complexo que reúne um palácio, um jardim à francesa e lojinhas bem autênticas. Não deixe de ir no pátio do palácio para muitas fotos nas Colunas de Buren, todas listradinhas e super fotogênicas. Você está a um passo do Louvre (se quiser, inclusive vale uma passada na icônica pirâmide de vidro pra fotografá-la no crepúsculo), mas deixe a visita pro dia seguinte.

palais-royal

NOITE: Quem quiser um jantar de luxo em um restaurante com estrela Michelin pode continuar por ali e comer no Restaurant du Palais Royal, que fica nos jardins do complexo e serve menu-degustação de oito pratos com criações como o polvo com batatas caramelizadas e o confit de bacalhau com limão e espinafre assado por € 142. Quem quiser comer algo mais em conta pode ir no Paradis du Fruit no número 4 da Rue Saint-Honoré. No menu você tem um hambúrguer de salmão delicioso por € 14 e sucos naturais gostosos feitos na hora. Depois da janta, pegue a Rue de la Pont Neuf até chegar às margens do Rio Sena: você vai de cara com a ponte mais antiga de Paris, que fica mais linda ainda de noite, toda iluminada. Dali, você pode pegar a linha 7 do metrô, estação Pont-Neuf, e seguir pro hotel.

ROTEIRO PARIS: DIA 2

ROTEIRO PARIS

MANHÃ: O Musée du Louvre abre de terça à domingo às 9h da manhã. Pra evitar as longas filas de espera, faça dele o primeiro ponto de visita do seu segundo dia. A estação de metrô mais próxima do museu é a Palais-Royal Musée du Louvre (linhas 1 e 7 do metrô). Pra conhecer o essencial do Louvre, você precisa de no mínimo duas horas. Deixe sua mala no guarda-volumes (serviço gratuito) e saia à caça da Monalisa, da Vênus de Milo, dos apartamentos de Napoleão e das esculturas de Michelangelo. As entradas custam € 15.

museu-do-louvre

ROTEIRO PARIS

TARDE: Saindo do museu vá às margens do Rio Sena para conferir a Pont des Arts, a antiga ponte dos cadeados. Atravesse-a e ande dez minutos pela charmosa Rue Bonaparte, repleta de restaurantes, galerias e boutiques. Chegando no Boulevard Saint-Germain, vire à direita rumo ao Café de Flore, café histórico frequentado por ninguém mais ninguém menos que Pablo Picasso e Jean-Paul Sartre. Ali, você pode comer o clássico croque-monsieur, uma espécie de misto-quente coberto de queijo, por €12, acompanhado de uma taça de vinho.

Depois do almoço, siga pela Rue Bonaparte até chegar no lindíssimo Jardim de Luxemburgo. Passeie pelo parque e aprecie toda beleza arquitetônica do prédio do senado, curtindo o frescor da fonte e fotogrando as flores coloridas.

Dali, na saída da Rue de Médicis, desça toda a Boulevard Saint-Michel até chegar na beira do Rio Sena. Olhando pra sua direita você já vai enxergar a Catedral de Notre-Dame. Mas, antes de ir até lá, faça uma parada na livraria inglesa Shakespare & Company, ponto de encontro dos escritores norte-americanos que tem paredes e paredes cobertas de livros.

A próxima parada é a Catedral de Notre-Dame. Obra-prima da arquitetura gótica francesa e ponto focal da Paris católica há sete séculos, o local tem 10 milhões de pessoas cruzando seus limiares a cada ano e pisando na estrela de bronze da calçada que indica o ponto zero das estradas francesas. Após as lutas de Revolução Francesa, a catedral ficou em ruínas, até que em 1831 o romance O Corcunda de Notre-Dame de Victor Hugo inspirou novo interesse na construção. Finalmente em 1991, o monumento foi tombado pela UNESCO. Em tempo: a catedral é dedicada à Notre Dame, ou Nossa Senhora, a Virgem Maria. O acesso ao interior da basílica é gratuito, mas dependendo do dia você tem que esperar uns 20 minutos na fila. Atrás da Catedral você tem a Square Jean XXIII, uma praça bem gostosinha, onde você pode sentar e olhar as costas da catedral sem ficar na muvuca.

Passeios em Paris: depois é só seguir atravessando a Pont Saint-Louis pra chegar na Île Saint-Louis, uma ilhazinha bem pitoresca que fica no meio do Rio Sena. Quem quiser pode tomar o melhor sorvete de Paris, na Berthillon.

ILE-DE-LA-CITE

ROTEIRO PARIS

NOITE: Saia da ilha pela Pont Marie e siga a Rue des Nonnains d’Hyères até chegar na estação de metrô da linha 1, Saint Paul. Pegue o metrô em direção a estação Vincennes e desça na Gare de Lyon (duas estações depois). Siga oito minutos na Rue Charles Baudelaire pra tomar um vinho extraído direto do barril no Le Baron Rouge. Essa região é extremamente conhecida como o centro dos melhores chefes de Paris. Logo, as opções de restaurantes são inúmeras. Você tem a cozinha italiana do chefe estrelado Passerini que serve pratos rústicos, porém refinados e com um preço justo, por volta de € 24 – nada mal para o que se diz ser o melhor restaurante italiano de Paris. Pra quem quer algo mais à francesa, pode ir no Bistrot Paul Bert, um antigo açougue transformado em um restaurante supercozy onde serve-se um delicioso peixe à meunière, o preferido da apresentadora norteamericana Julia Child. Uma janta sem vinho sai por volta de € 38.

ROTEIRO PARIS: DIA 3

ROTEIRO PARIS

MANHÃ: Comece o seu último dia às 10h visitando o suntuoso Palais Garnier, também conhecido como Opéra de Paris. O lugar não é prioridade pra quem está em Paris pela primeira vez, mas deveria ser! A decoração em mármore com ornamentos dourados é majestosa. Ao entrar na sala de espetáculo não tem como não ficar impressionado com o teto todo colorido pintado por Chagall nos anos 1960. A entrada custa € 11 e a visita dura cerca de uma hora.

opera-garnier

Passeios em Paris: de lá é fácil chegar na Galeries Lafayette, loja de departamento que vende roupas, artigos de decoração, bolsas, maquiagem, utensílios de cozinha, objetos de papelaria das marcas mais luxuosas e extravagantes. Mesmo que não queira fazer compras, entre pra conferir o teto de vidro no centro da galeria e também o terraço que fica no último andar com vista incrível de Paris e da Torre Eiffel que a gente ama.

5 bate-voltas de até 1h30 pra fazer desde Paris (além de Versalhes!)

As 3 melhores casas de chá pra conhecer em Paris

Onde ficar em Paris: seleção de hotéis até € 150

ROTEIRO PARIS

TARDE: Passando pela Rue Chaussée-d’Antin, na lateral da galeria, você chega na Rue Saint-Lazare. Em frente à igreja Trinité, pegue o ônibus número 12 (direção Front Populaire), depois de cinco paradas desça na estação Lamarck-Caulaincourt. Você vai estar na parte residencial de Montmartre, mais local e autêntica. Seguindo a Rue Caulaincourt por 300 metros, direção leste, você vai ver o charmosíssimo Soul Kitchen, um restaurante com carinha de casa de vó que serve deliciosos pratos caseiros à € 13, com direito à sobremesa. O cardápio muda todos os dias segundo os alimentos disponíveis.

Saindo dali, você começa a adentrar a parte mais bucólica de Montmartre com suas ruas em paralelepípedo e arborizadas. Pouco a pouco a basílica de Sacré-Cœur vai aparecer atrás de alguns prédios, suntuosa e imponente ela se destaca no meio de toda a simplicidade artística de Montmartre.

Sua arquitetura romana e bizantina não é tão popular entre os parisienses, mas a igrejona faz muito sucesso entre os turistas que lotam seus degraus.

sacre-coeur-paris

Finalizada em 1914, começou a se erguer em 1870 em louvor ao Sagrado Coração de Jesus, numa promessa feita na guerra franco-prussiana. Hoje sua cúpula de 80 metros é o segundo ponto mais alto de Paris (só perdendo pra Torre Eiffel). Entre seus tesouros está a escultura da Virgem Maria, o Menino de Brunet e, claro, o panorama inigualável da Cidade Luz. É no fim do dia que a vista fica ainda mágica, quando o céu ganha um tom alaranjado e as luzes da cidade começam a se acender.

O que fazer em Montmartre: uma tarde no mais boêmio bairro de Paris

Passeie pelo burburinho turístico que é a Place du Tertre, uma praça repleta de desenhistas e pintores de rua prontos para fazer um retrato seu em troca de algumas dezenas de euro. Não vá em nenhum café dessa praça, eles são caros e de péssima qualidade. Se estiver com sede prefira ir no Le Consulat, um café charmosinho com mesinhas redondas na calçada e flores na janela do andar de cima – a cara de Montmartre.

Passeios em Paris: voltando à Sacré-Cœur, pare alguns minutos pra observar a vista de seus gramados verdes, onde todo mundo se reúne pra assistir o entardecer; fotografe a Torre Eiffel das grades à direita da estação do funicular (melhor foto!); e então siga o passeio descendo as escadarias da Rue Foyatier, que te levam à base de Montmartre.

Na Rue de Steinkerque, que fica bem em frente ao carrossel, você tem a lojinha de souvenires L’Atrappe Coeur – simplesmente *O* melhor lugar pra comprar presentinhos legais e baratos. De lá são dez minutos de caminhada até o Moulin Rouge, que não é nada além de uma fachada vermelha com um moinho em cima.

Pegue o metrô na estação Blanche (linha 2, direção Nation), em frente ao Moulin Rouge, e troque para a linha 11 na estação Colonel Fabien. De lá você só tem quatro paradas até chegar em Rambuteau – onde se encontra o museu de arte contemporânea Centre Pompidou, com exposições ficam acessíveis até às 21h e entrada que custa € 14. Subindo as escadas rolantes do museu, você verá Paris se revelando aos seus olhos através das paredes de vidro do museu; à sua direita, a Basílica de Sacré-Coeur mais uma vez.

centre-pompidou

ROTEIRO PARIS

NOITE: O Centre Pompidou é porta de entrada para o bairro do Marais – o mais antigo de Paris onde você encontra prédios que datam da Idade Média. As luzes amareladas desse bairro dão aquele charme parisiense típico de filme. E nada melhor que encerrar a sua estadia em Paris passeando pelo local e observando os terraços de cafés lotados, as vitrines das boutiques e as galerias de arte que pontilham as ruelas com calçadas extremamente estreitas.

fleux-paris

Passe na loja de decoração Fleux, que parece ter tirado todas as suas inspirações do Pinterest; passeie pela Rue des Rosiers pra encontrar livrarias, padarias e restaurantes judeus (o bairro do Marais é também o coração da comunidade judaica parisiense) e experimente o falafel do L’As du Fallafel – eleito o melhor de Paris e uma boa opção pra quem quiser economizar no fim da viagem.

No Marais também está o ótimo Museu Picasso, que fecha às 18h. Se fizer questão de ver de perto as pinturas cubistas, esculturas variadas e gravuras inacadas do pintor, melhor dispensar o Centre Pompidou do roteiro e seguir direto pra lá. A entrada sai por € 12,50.

Paris: 14 programas pela descolada região do Haut Marais

A autora

Giovanna Saba

Giovanna Saba

Colaboradora do Carpe Mundi, a jornalista é graduada pela Sorbonne. Num clichê perfeito, trocou o Brasil pela França em 2014 depois que encontrou o amor em Paris. Hoje coordena o Gigi em Paris, com dicas da capital francesa.

- Website


Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *