O bairro do Marais (pronuncia-se “marré”) continua sendo uma das frações mais cool de Paris. A parte turística concentra-se basicamente no 4º arrondissement, nos arredores da linda Place des Vosges, onde estão as lojas de grife que a gente conhece, galerias de arte famosas, mansões dos séculos XVII e XVIII, a antiga população judaica e barzinhos gay.

Só que, nos últimos tempos, o Marais se expandiu em direção ao norte e deu origem a uma nova região, ainda mais interessante, o sub-bairro Haut Marais, com contornos pouco definidos no 3º arrondissement.

A região acabou se expandindo devido ao aumento no valor dos aluguéis. Os artistas que moravam no coração do Marais se deslocaram um pouco mais ao norte, à procura de valores mais baixos.

O Haut Marais (Alto Marais em francês), como é chamada a extensão do bairro, é um passeio fora da rota turística. Adentrando as ruas decoradas com grafites, galerias de arte descoladas, restaurantes vegetarianos e cafés descolados, você se encontra mais próximo da vida local parisiense. Na simpática área está o melhor Museu Picasso do mundo, boutiques ecléticas com peças de estilistas independentes e cafés artesanais que disputam pelo grão mais saboroso – a maioria nas Rues Bretagne, du Temple e Dupetit-Thouars.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Montmartre — uma tarde no bairro mais boêmio de Paris

Onde comprar os melhores chocolates de Paris

Os novos cafés que estão com tudo em Paris

O QUE FAZER NO HAUT MARAIS

Almoçar no Marché des Enfants Rouges

Ponto de encontro dos parisienses no almoço de sábado, o delicioso mercado de 1615 (é o mais antigo de Paris) tem bancas de frutas e hortaliças, minirrestaurantes onde dá pra comer ostras e crepes com recheios variados, e barracas vendendo vinhos finos e flores.

Mas os grandes sucessos da feira são os sanduíches do Chez Alain Miam Miam — que já levou o título de uma das melhores comidas de rua da Europa. Os sanduíches e galettes custam cerca de € 11 e são bem generosos. A galette vegetariana com queijo, cebolinha, tomate e cebola caramelizada é uma delícia! E o sanduíche de carne com queijo, tomate, cenoura e salada também é um excelente pedido.

O sucesso dos sanduíches é tanto que o proprietário, Alain, abriu um pequeno restaurante na rua ao lado da feira (26 Rue Charlot). Por isso, se a fila estiver grande no quiosque — o que é bem comum nos finais de semana, recomendo que você tente encontrar uma mesinha disponível no restaurante.

Curtir um evento cultural no Carreau du Temple

Antigo mercadão todo envidraçado que foi transformado em centro cultural, sempre sedia algo, de shows de música e desfiles de moda a peças de teatro, exibição de filmes, aulas de dança e feiras de comida. Confira a programação de eventos no site ou, na hora, dê uma chegada até a porta e confira se está rolando um jazz ou se uma bandinha francesa que você provavelmente não conhece está se apresentando.

Descansar no jardim do Square du Temple

Esse charmoso jardim à inglesa fica em frente à prefeitura do 3° arrondissement. Antes de ser um parque, o espaço já foi convento, quartel e prisão na Revolução Francesa. Transformado em jardim em 1857, o Square du Temple guarda uma placa com os nomes de 85 crianças judias do 3º arrondissement que foram deportadas pra Auschwitz. O jardim, muito frequentado pelas famílas do bairro, tem um laguinho e mais de 70 espécies de árvores e quase 200 de plantas.

Folhear e comprar livros de design na OFR

Mais que uma livraria com as publicações mais lindas do mundo de arte, moda e design, a OFR (20, Rue Dupetit-Thouars) é o point não-oficial da criatividade em Paris. O espaço é pequeno, mas incorpora toda a vibe do Haut Marais com quadros, discos de vinil, fotos artístisticas e letreiros em neon na parede. A galeria dos fundos costuma ter ótimas exposições de fotografia. Ponto também para os guias de viagem fofinhos e originais, dos tipos que não te mandam visitar só pontos turísticos. Nos domingos há chá e bolo.

Visitar o Museu Picasso e seu acervo com mais de 5 mil obras de arte

É o melhor de todos os museus Picasso que existem por aí, talvez pela relação tão intrínseca do artista com a cidade. Tem gente que critica a casa do século XVII que abriga o museu por ter uma disposição ilógica e confusa. A real: a casa é linda e desorientação é logo suplantada por quadros geniais como Mulheres no Banheiro. São, ao todo, mais de 5 mil obras cobrindo todas as fases de Picasso, tudo doado pelos descendentes do artista pra quitar impostos.

Dormir no Hôtel du Petit Moulin

Superbem localizado, não só o influente estilista Christian Lacroix decorou cada um dos 17 pequeninos quartos deste hotel com sua paleta de cores vivas, mobiliário clássico e inconfundível mix de estampas, como o edifício histórico abrigava a padaria onde Victor Hugo supostamente comprava sua baguete. Diárias desde € 170 (RESERVE SUA ESTADIA AQUI!).

O QUE FAZER NO HAUT MARAIS

Comer um delicioso crepe no Breizh Café

Críticos e locais concordam: um simples crepe de queijo, presunto, creme de leite e champignons do estabelecimento já é a combinação perfeita. Dizem que o segredo é a massa incrivelmente leve e saborosa. As receitas salgadas são chamadas de galettes e as doces, de crepes mesmo. O lugar é pequeno, vive lotado e tem atendimento até que ok para os padrões parisienses. Mas a rede tem outros restaurantes abertos espalhados pela cidade. Confira a localização de cada um deles aqui.

Comprar objetos de decoração e suvenires hypados na Merci

Uma seleção de peças de roupas, joias, móveis e decoração minimalista é distribuída pelos três pisos da descolada loja, estabelecida numa antiga fábrica de papéis de paredes. Seus lucros são doados pra caridade – daí o nome. O espaço conta também com um café livraria super charmoso. As paredes desse espaço são preenchidas por estantes de livros, a janela de vidro dá vista para o charmoso carrinho vermelho na entrada loja, sendo o refúgio perfeito pra quando cai aquela chuvinha à tarde. Pra mais dicas de compras em Paris, leia o nosso post com 16 endereços em que vale a pena gastar na capital francesa.

O QUE FAZER NO HAUT MARAIS

Comer um delicioso pain au chocolat no Chez Dupain

A pouco mais de 100 metros da loja Merci, fica essa pequena padaria chamada Chez Dupain. A boulangerie vende pães orgânicos, feitos com ingredientes locais. O pain au chocolat da casa é uma delícia. O doce é como um croissant recheado com chocolate. O da casa, mais precisamente, contém gotinhas do chocolate Valrhona. Se você está hospedado em um Airbnb, aproveite pra comprar uma baguete o pão best-seller La Miche Dupain para o café da manhã.

Fazer um brunch no café Neighbours

O café com fachada azul é bem pequeno. O salão branquinho é decorado com mesas de madeira, plantas, chão de azulejo azul com estampas geométricas e xícaras também azuis que compõem a foto flatlay perfeita. Neighbours foi fundado por um casal australiano e serve pratos coloridos e fotogênicos como avocato toast, ovos mexidos, quiche, granola e outras delícias, tudo isso com um delicioso café ou cappuccino. Nos finais de semana o lugar fica cheio de locais que se acomodam nas mesinhas externas pra tomar um brunch.

O QUE FAZER NO HAUT MARAIS

Pirar nas câmeras da Leica Store

A lendária – e possivelmente melhor – fabricante de câmeras fotográficas não abriu mão de ter filial no Haut Marais. Seus modelos estão entre os mais caros existentes (um protótipo vintage de uma Leica com filme 35mm foi vendido em 2012 por mais de € 2 milhões), mas há as exceções: a compacta Leica C-Lux custa € 995, já a Leica M10-P “Ghost Edition” só tem 250 exemplares no mundo sai por € 14 950 mil.

LEIA TAMBÉM: Quais equipamentos fotográficos levar na viagem

As melhores câmeras pra viajar: uma seleção de modelos de várias categorias

Comer um hambúrguer vegano no Hank Burguer

Os hambúrgueres veganos do Hank Burguer são suculentos. Os menus incluem batata frita, sobremesa e somente refrigerantes orgânicos. Nada ali é de origem animal nem mesmo a maionese ou o queijo. O ambiente é descontraído e pequeno, embaixo você faz o seu pedido e come no andar de cima em um salão de teto baixo, com mesinhas apertadas e um papel de parede florido. É uma opção bacana pra um almoço rápido e barato. O menu com hambúrguer, batata, bebida e sobremesa custa € 15.

O QUE FAZER NO HAUT MARAIS

Beber um drink no Little Red Door

Após entrar pela curiosa porta vermelha, a iluminação é suave, os sofás de couro marrom são confortáveis e o mezanino escuro é ideal pra observar o movimento. Bem frequentado pela galera descolada do bairro, o bar tem drinks de € 12 a € 16.

Você gostou das nossas dicas de o que fazer no Haut Marais? Conta nos comentários! 😉

Giovanna Saba

Você deve conhecê-la de outro endereço, do blog Gigi em Paris, seu diário sobre a vida na capital da França. E, como pode imaginar, aqui no Carpe Mundi produz o melhor conteúdo sobre Paris. Acredita que os macarons ganham um sabor mágico se degustados em um quarto de hotel com vista para a Torre Eiffel.

Deixe seu comentário

voltar ao topo