Engana-se quem pensa que São Paulo é só a selva de pedra e ponto. O estado é também lar de mais de 34 parques estaduais e muitos resquícios da Mata Atlântica, com quedas d’água que podem chegar a até 200 metros de altura, mas também aquelas menores para tomar um banho restaurador. 

Confira aqui 13 cachoeiras em São Paulo para entrar em contato com a natureza sem precisar ir muito longe.

Veja também: 12 trilhas perto de São Paulo para entrar em contato com a natureza

Antes de ir explorar as cachoeiras em São Paulo, prepare-se:

  • Pesquise sempre o caminho da trilha, mesmo para aquelas de grau de dificuldade leve. Na dúvida, contrate um guia certificado;
  • Sempre verifique a profundidade antes de pular na água;
  • Cuidado com pedras escorregadias;
  • Não atravesse uma corredeira, ela pode parecer tranquila, mas muitas vezes as águas enganam;
  • Vá com o calçado adequado e roupas confortáveis. Evite fazer as trilhas de chinelo, você pode se machucar;
  •  Leve repelente, protetor solar e petiscos se for passar o dia.

Itens básicos para levar nas trilhas para cachoeiras em São Paulo:

Cachoeiras em São Paulo

Queda dá'gua vista de lomge em meio a rochedos e muita vegetação

Cachoeira do Véu da Noiva, Cubatão

(69 km de São Paulo, cerca de 1h06)

Localizada dentro do Parque Ecológico do Perequê, a cerca de 70 km da capital, a Cachoeira do Véu da Noiva é um respiro em Cubatão. O parque possui 168 hectares, entre muito verde, piscinas naturais e a cachoeira em questão. Uma trilha de oito quilômetros, ida e volta, completam o trajeto de nível difícil, passando por rochas, mata e, por vezes, um percurso bem íngreme. Chegando lá, admire a água caindo a uma altura de 80 metros desde o imponente paredão. Embaixo, forma-se um poção, local ideal para recarregar as energias e tomar um belo banho de água doce. Há também outras pequenas quedas d’água pelo espaço, onde se formam piscinas naturais. As visitas precisam ser agendadas no site e devem obrigatoriamente incluir o acompanhamento de um monitor ambiental cadastrado (adquirido no momento do cadastro).

Cachoeira do Jammil, Parelheiros

(72 km de São Paulo, cerca de 1h40)

No extremo sul de São Paulo, na região de Parelheiros, está localizada a Cachoeira do Jammil, queda d’água pertencente ao dono de mesmo nome e que faz parte da área de preservação ambiental Mono Capivari. Ela também é conhecida como cachoeira secreta, isto porque apesar da pouca distância, seu acesso não é dos mais fáceis. A trilha é de um quilômetro e a cachoeira em si é pequena, com duas quedas de nove metros de altura, banhada pelo rio Capivari. Mas o destaque fica para a prainha ao fim, com espaço para tomar sol e mergulhar na piscina natural – a água gelada é para poucos. Quem quiser mais, é possível acampar na propriedade. Paga-se R$ 25 para entrar.

Pequena cachoeira com uma queda maior ao fundo e pedras no primeiro plano
Cachoeira com queda pequena e extensa com muitas pedras ao arredor

Cachoeira dos Pretos, Joanópolis

(136 km de São Paulo, cerca de 2h25)

Estamos falando aqui da segunda maior cachoeira do estado de São Paulo, localizada em Joanópolis, entre as montanhas da Serra da Mantiqueira, e próxima de Monte Verde. O detentor dessa beleza natural é o Parque Municipal da Cachoeira dos Pretos, com infra boa para turistas, com estacionamento, banheiros, restaurantes, quiosques e áreas de venda. Abastecida com as águas da nascente do Rio Piracicaba, ela tem 154 metros de altura e o volume e barulho das águas são de renovar as energias. Por lá, espere por corredeiras e outras pequenas quedas, além de um pequeno poço para mergulho.

Trilha das Cachoeiras, Socorro

(140 km de São Paulo, cerca de 2h20)

socorro-lugares-para-visitar-sp-mg-rj

Em Socorro, para aproveitar o melhor da natureza, desbravar a Trilha das Cachoeiras é a pedida. Com cerca de dois quilômetros de percurso, ida e volta, a trilha tem dificuldade de leve a moderada, na qual a maior dificuldade será um morrinho que é preciso subir e descer com o apoio de uma corda. Por 1h30, ande por entre a mata com a companhia de aves, borboletas e macacos e faça três paradas para banho. A primeira e a segunda são verdadeiras piscinas e a terceira e última é uma queda boa para se refrescar e de quebra receber uma massagem natural. É recomendado um guia para a jornada. Preços a partir de R$ 69 com a Mundaka Aventura, empresa que inaugurou o trekking. É pet-friendly! Se for estender o passeio, veja aqui onde se hospedar em Socorro.

Cachoeira do Paraiso, Peruibe

(153 km de São Paulo, cerca de 2h55)

A Cachoeira do Paraíso faz parte do Parque Estadual do Itinguçu, uma Unidade de Proteção Integral em Peruíbe formada por piscinas naturais e cercada por um paredão de pedras, sendo a principal delas com a inclinação propícia para tornar-se um toboágua natural – um dos principais atrativos do destino. A queda tem aproximadamente 17 metros de comprimento e cardumes de peixes de companhia. Para alcançá-la, basta percorrer uma trilha de 350 metros. O parque possui controle de visitantes, por isso a visita precisa ser agendada com antecedência. No local existem lanchonetes e restaurantes com lanches, bebidas e refeições básicas.

Água caindo em uma grande pedra e desembocando em um lago

Cachoeira Grande, Lagoinha

(190 km de São Paulo, cerca de 2h36)

Cachoeira em fundo desembocando em um riacho e com coqueiro ao lado

Na cidade de Lagoinha, no Vale do Paraíba, a Cachoeira Grande se destaca pelo contato genuíno com a natureza. Este cantinho especial fica dentro de uma propriedade particular e familiar de conservação ambiental e conta com mais de 20 mil m² de mata nativa, onde a principal atividade é contemplar o visual e, sempre que der, dar uma refrescada debaixo da cascata. São quase 40 metros de queda livre que deságua em um raso lago natural – legal para crianças. A estrutura é das mais completas: tem estacionamento, restaurante, petiscaria, salão de festas, quiosques, banheiros, fraldário, vestiários e redário. Para quem curte mais aventura, há ainda a opção de rapel e tirolesa de 100 metros.

cachoeira-paqueta

Cachoeira do Paquetá, Ilhabela

(208 km de São Paulo, cerca de 4h10)

Ilhabela é também considerada a ilha brasileira com o maior número de cachoeiras do Brasil. No total, são mais de 360 quedas d’água, sendo 30 delas aberta ao público para banho. Se seu tempo é limitado, a do Paquetá é a mais procurada. Entre a Praia do Julião e a Praia Grande, ela é dividida em três paradas ao longo de uma trilha leve (mas bem inclinada e por vezes até escorregadia). As duas primeiras paradas com poços de água cristalina para mergulho e a terceira que é a que dá fama ao lugar. Por lá, uma correnteza que serve de tobogã e que forma uma piscina de borda infinita maravilhosa com vista para o mar. Pra estender o passseio veja aqui onde se hospedar em Ilhabela.

Cachoeira Cassorova, Brotas

(220 km de São Paulo, cerca de 3h20)

As dezenas de cachoeiras e corredeiras fizeram de Brotas um destino certeiro para um final de semana na natureza. Localizado na região do Circuito das Cachoeiras, o Eco Parque Cassorova é casa da Cachoeira Cassarova e da dos Quatis. Em ambas, as opções de atividades são diversas;  tem trilhas, tirolesas, arvorismo e canoismo. No entanto, a atração principal é a que deu nome ao local. O diferencial é que ela é formada por uma queda dupla de 60 metros de altura, criando um grande volume de água e um local único para banho. Uma das atividades do parque inclui fazer rapel de 46 metros na dos Quatis, seguindo por uma caminhada entre o rio e terminando em um rapel nos dois níveis da Cachoeira Cassorova. 

brotas-cassorova
Imagem aérea da cachoeira do Saltão. Queda d'água ao meio e morro com vegetação ao arredor

Cachoeira do Saltão, Itirapina

(242 km de São Paulo, cerca de 3h10)

De quebra, no mesmo dia da Cachoeira Cassarova ainda dá pra desfrutar de um passeio pela Cachoeira do Saltão, localizada no Parque Mirante das Águas. Ela está no ranking das mais altas do estado de São Paulo, esbanjando seus 75 metros de altura que desaguam em uma volumosa piscina natural. Depois de vê-la do mirante você pode ir lá embaixo tomar um banho para lavar o estresse. Pagando um day use de R$ 25 você pode ver essa e as outras quedas d’água dessa propriedade, a Cachoeira Monjolinho, de 12 metros e a Cachoeira Ferradura, com 47 metros, das melhores cachoeiras em Brotas. Leia mais sobre Brotas aqui.

Poço Azul, Lavrinhas

(244 km de São Paulo, cerca de 3h12)

Aos pés da Serra da Mantiqueira, na cidade de Lavrinhas, o Poço Azul é a atração principal. O local entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro é famoso pelo Circuito das Águas, que abrange a Cachoeira da Pedreira, Capela do Jacu e o Poço Azul, que tem uma das paisagens mais surreais do trajeto. As águas são límpidas e resultam em lindas fotos. Para chegar até lá é preciso percorrer uma trilha de aproximadamente dois quilômetros a partir da estrada. Apesar do pequeno trajeto, ela é considerada de nível moderado, uma vez que tem que passar por dentro do rio com correnteza, barrancos e pedras soltas, por isso, é interessante fazer a visita acompanhado de um guia local (mas não é obrigatório!).  Fale com a EcoValeTur. A dica é visitar a piscina natural quando o sol está a pino, por volta do meio-dia, é neste período que as águas fazem jus ao nome.

Poço em meio as pedras com coloração azul-esmeralda

Cachoeira dos Veados, São José do Barreiro

(250 km de São Paulo, cerca de 3h15)

Duas quedas d'água seguidas em meio à Mata Atlântica

O Parque Nacional da Serra da Bocaina, por sua grande extensão, ocupa territórios dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, agraciado pela riqueza da fauna e flora da Mata Atlântica. Tem praias, piscinas naturais, mirantes, rios e, claro, cachoeiras por toda sua extensão. A que chama mais atenção é a Cachoeira dos Veados, que dista quase 27 km desde a portaria principal do parque, em São José do Barreiro. Seu acesso é parada obrigatória para aqueles que fazem a Trilha do Ouro, jornada de três dias por pedaços da história brasileira. A formação natural impressiona pelas três quedas d’água que juntas chegam a quase 200 metros de altura, resultando em aguaceiros de até dois metros de profundidade e um show de belezas naturais. A Desviantes faz a travessia completa com preços a partir de R$ 490.

trilha-do-vale-das-ostras

Cachoeira Queda do Meu Deus, Eldorado

(282 km de São Paulo, cerca de 4h18)

Dentro do Parque Estadual da Caverna do Diabo, a Cachoeira do Meu Deus é também considerada uma das mais bonitas de São Paulo. São 53 metros de queda que desembocam em um lago cristalino com uma pequena gruta ao fundo. Seu acesso pode ser feito de duas formas. O mais curto é por meio de uma caminhada de uma hora, passando por piscinas naturais e três quedas menores. Contudo, o mais recomendado é fazer a Trilha do Vale das Ostras por inteiro. Esta, por sua vez, percorre a Mata Atlântica, passando por cerca de 12 cachoeiras até a principal. A trilha só é acessada com monitoramento de guias e tem duração de aproximadamente cinco horas – valores a partir de R$ 290.

Cachoeira do Dito Salú, Barra do Turvo

(331 km de São Paulo, cerca de 4h50)

Cachoeira em três níveis de pedra

Na mesma região de entorno da Caverna do Diabo está a Cachoeira do Dito Salú, popularmente conhecida como Cachoeira do Véu da Noiva. Seu acesso é feito através de uma estrada de terra de sete quilômetros na Barra do Turvo. Sua queda caudalosa que molha até quem está de longe é resultado dos mais de 80 metros de altura, constituindo uma das mais raras formações entre as cachoeiras paulistas. A paisagem é caprichada por mata nativa e tem em sua base uma piscina natural com águas claras. 

LEIA TAMBÉM:

Pietra Palma

Aspirante a viajante profissional aqui no Carpe Mundi, coleciona momentos e pedaços dos seus caminhos através da escrita e em seu mais de um ano de blog, já escreveu cerca de 80 matérias com dicas de viagens e destinos. Férias, feriados e finais de semana são sempre oportunidades para conhecer um novo lugar e acredita que uma boa viagem tem o poder de reanimar a alma.

Deixe seu comentário

voltar ao topo