TRILHAS PERTO DE SÃO PAULO

Às vezes é necessário fazer uma pausa, respirar ar puro e se conectar com a natureza. O estado de São Paulo tem uma infinidade de parques, fazendas e outras 20 áreas naturais protegidas em mais de 250 km de trilhas mapeadas, guardando mais de 500 mil hectares de remanescentes da Mata Atlântica e do Cerrado.

Veja nossa seleção de 12 trilhas perto de São Paulo para aproveitar o ar fresco da natureza.

LEIA TAMBÉM: 18 bate-voltas perto de São Paulo: programas de aventura, lazer e família
16 hotéis perto de São Paulo para o final de semana que são verdadeiros refúgios

PREPARE-SE PARA FAZER TRILHA

PESQUISE SOBRE A TRILHA E VEJA A PREVISÃO DO TEMPO

Sempre antes de qualquer aventura, pesquise sobre o percurso, cuidados e grau de dificuldade. Em casos de primeira trilha, opte pelas mais conhecidas, com caminhos bem sinalizados e não muito íngremes. Dias com sol e sem chuva são mais seguros e confortáveis pra entrar na mata.

ESTEJA COM O FÍSICO PREPARADO PARA A TRILHA

Tudo depende do nível da trilha escolhida. Aquelas de intensidade baixa, de no máximo 1 km, não exigem tanto, basta um alongamento antes. Para as que pedem mais do corpo, com muitas pedras, subidas e desafios, é sempre indicado estar mais em forma e com músculos fortalecidos.

PREPARE SUA MOCHILA E VISTA-SE ADEQUADAMENTE

Sempre carregue uma mochila com itens básicos, mas que garantam eficiência e leveza. Repelente, protetor solar, água e um lanchinho rápido são os básicos. Para trilhas mais avançadas, acrescente um kit de primeiros socorros, lanterna e talvez até uma barraca, se decidir acampar.

Vá com guias credenciados

Principalmente para as primeiras trilhas, é muito importante estar acompanhado de um guia credenciado. Isso porque um profissional capacitado terá o mapa bem decorado pra sua segurança, estará preparado para as situações mais delicadas como acidentes, irá sempre guiar para as melhores decisões e caminhos (mesmo com as reviravoltas que a natureza pode dar), vai proporcionar um passeio muito mais rico em informações sobre a fauna e a flora e também mais respeitoso com a biodiversidade, pois ele cumprirá as normas básicas de segurança e respeito com a mata que você pode estar por fora. Há os percursos mais simples, claro, que, não pedem um guia por obrigatoriedade. Para percursos fáceis e rápidos ou para fazer uma trilha pela segunda vez, por exemplo, num lugar em que você domine o destino, pode ser uma ideia para desbravar passeios mais independentemente.

VEJA MAIS: 15 itens sustentáveis para viajantes conscientes em salvar o planeta
Conheça os tênis Yuool, para viajar com mais conforto nos pés

TRILHAS MAIS PRÓXIMAS DE SÃO PAULO

Trilhas no Parque Estadual da Cantareira
(13 km de São Paulo, cerca de 42 minutos)

O Parque Estadual da Cantareira configura a maior floresta urbana de São Paulo, logo ali, na Zona Norte da cidade. Por lá, é possível contemplar animais soltos no seu próprio lar, como onças, jaguatirica, pássaros e macacos ao redor de seus 29 km de trilhas sinalizadas e autoguiadas. A principal, e mais conhecida, é a da Pedra Grande, com caminho todo pavimentado. A outra é a do núcleo Engordador, que passa por três cachoeiras. A entrada custa R$ 16.

Em tempo: as trilhas são de fácil e médio nível de dificuldade e não exigem o acompanhamento de monitor ambiental ou guia, contudo, você ainda pode contratá-lo para ampliar sua experiência sobre a biodiversidade local.

trilha-da-pedra-grande
trilha-da-pedra-grande-zn

Trilha da Pedra Grande

PERCURSO: 9,6 km
DURAÇÃO: 2 horas
NÍVEL DE DIFICULDADE: médio

A trilha da Pedra Grande tem quase 10 km de percurso entre ida e volta, toda asfaltada e com boas sombra sde árvore até o cume da Pedra Grande – ou seja, aja subida. Uma vez lá em cima, é só sentar na formação rochosa e aproveitar o mirante com vista panorâmica da cidade em harmonia com remanescentes de Mata Atlântica. É comum, e autorizado, realizar piqueniques nas dependências – vá preparado. Durante todo o trajeto não é difícil esbarrar com macacos-pregos, bem característicos do Horto Florestal, o parque ao lado. 

Núcleo do Engordador 

PERCURSO: 3 km
DURAÇÃO: 1h30
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

A Núcleo do Engordador é uma verdadeira surpresa em meio à metrópole. Por 3 km, em uma trilha circular, ela é regada a caminhos rústicos, muita mata, bambuzais e árvores esplendorosas. Três quedas d’água também pontuam seu lindo caminho, onde é possível se deliciar na água gelada e respirar ar puro, mesmo no coração de São Paulo. A cachoeira do Véu e a Cachoeira do Tombo são mais fraquinhas, com 10 metros de altura, já a de mesmo nome da trilha, a Cachoeira do Engordador, tem 18 metros e um clima bem bucólico. Boa escapada, sem ir muito longe. 

VEJA TAMBÉM: Os 10 restaurantes com as melhores vistas de São Paulo

trilha-da-nascente

Trilha da Nascente, Jardim Botânico

(14 km de São Paulo, cerca de 37 minutos)

PERCURSO: 700 metros 
DURAÇÃO: 40 minutos
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

Em meio ao parque Botânico de São Paulo encontra-se a Trilha da Nascente, com apenas 700 metros de percurso entre ida e volta, sendo perfeita para todos os exploradores, dos idosos às crianças. Isso porque todo seu caminho foi construído com madeira de reflorestamento, em uma passarela acima do nível do chão, garantindo segurança e mobilidade acessível para todos. Seu principal diferencial está na parte histórica por trás da caminhada, onde é possível observar a nascente do Rio Ipiranga, onde, simbolicamente, foi declarada a Independência do Brasil em 1822. Além disso, durante todo o trajeto é possível contemplar a biodiversidade em uma área bem conservada da Mata Atlântica. 

Trilha do Pai do Zé, Parque Estadual do Jaraguá

(22 km de São Paulo, cerca de 42 minutos)

PERCURSO: 3,6 km 
DURAÇÃO: 2h30 
NÍVEL DE DIFICULDADE: médio

É no Parque Estadual do Jaraguá que está localizado o famoso Pico do Jaraguá, que pode ser visto de vários pontos de São Paulo. A área era uma antiga fazenda do ciclo do ouro, e, hoje, além de proteger os recursos naturais da região, serve de ponto para duas super antenas de televisão que transmitem para a cidade toda. Há quatro trilhas para percorrer: a Trilha do Silêncio, a Trilha do Lago, a Trilha da Bica e a Trilha do Pai do Zé, sendo a última a mais requisitada, com 3,5 km de extensão, e que leva até ao pico do Jaraguá, a 1 350 metros de altitude – considerado um dos pontos mais altos da cidade. Seu percurso conta com subidas um pouco sinuosas, caminhada por entre a mata fechada e também a visita ilustre de alguns animais.

Em tempo: não é preciso contratar um guia. Uma vez que é uma trilha autoguiada, seu caminho é todo sinalizado e bem delimitado. O nível de dificuldade é correspondente ao esforço físico requerido.

pico-do-jaragua
trilha-caminhos-do-mar

Trilha Caminhos do Mar, Parque Estadual Serra do Mar

(33 km de São Paulo, cerca de 48 minutos)

PERCURSO: 9 km
DURAÇÃO: 5 horas
NÍVEL DE DIFICULDADE: médio

Também conhecida como Trilha dos Monumentos Históricos, construída durante o período colonial, ela é localizada na Estrada Velha de Santos e tem como atrativo principal a Calçada do Lorena, trilha de pedras percorrida por Dom Pedro I para proclamar a Independência, em 1822. Passa-se também por mais 7 monumentos históricos de época, como o Rancho da Maioridade, o Pouso Paranapiacaba e a Casa de Visitas do Alto da Serra, lugares pelos quais eram transportados as mercadorias da época, como o algodão, tabaco, açúcar. A trilha tem dificuldade média pelo seu tempo de duração, aproximadamente de cinco horas, e, apesar de poder ser autoguiada, é recomendado ir com guias credenciados para poder entender melhor cada espaço da nossa história. O agendamento é feito por telefone (11/2997-5000, ramal 356), ou por e-mail agendamentocaminhosdomar@florestal.sp.gov.br.

Trilha Cachoeira do Sagui, Fazenda Maravilha

(56 km de São Paulo, cerca de 2 horas)

PERCURSO: 1,2 km 
DURAÇÃO: 20 minutos
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

A Fazenda Maravilha é uma propriedade privada a alguns quilômetros do centro de São Paulo. Vizinha ao ao Parque Estadual da Serra do Mar, ela herdou algumas características em comum, como a mata preservada, a fauna da Mata Atlântica e uma trilha com algumas cachoeiras para aproveitar. Antes de tudo, as visitas devem ser agendadas (pelo telefone 11/999749-1724) e paga-se o valor de R$ 10. A principal atração, a Cachoeira do Sagui, é acessada por um trilha de aproximadamente 1 km, bem leve, sinalizada e fácil para fazer sozinho. Para quem faz a trilha completa com guia, a primeira parada é a cachoeira Oásis. Depois, segue-se para a Cachoeira Principal, onde há uma queda d’água também calma, com uma formação de lago natural e pedras para estender toalhas.

VEJA MAIS: 10 lugares com cachoeiras pelo Brasil pra ir já!
15 destinos românticos no Brasil: de cidades simpáticas a cachoeiras exuberantes

Trilhas de Paranapiacaba

(62 km de São Paulo, cerca de 1h30)

Paranapiacaba é uma vila histórica inglesa que fica a menos de 50 km do centro da capital. Fundada em 1865, ela abrigou a construção da primeira ferrovia do estado e é possível ver seus vestígios pelo tour na cidade, como as estradas de ferro e os trens abandonados. Mas lá também é um destino de mão cheia para o ecoturismo, uma vez que considerada a extensão com as melhores trilhas, cachoeiras e riachos de toda região de São Paulo, com aventuras para os iniciantes aos mais avançados. A contratação do guia é necessária e quem for pego realizando-as sem o profissional, tem que responder processo por invasão a local de preservação sem autorização e acompanhamento especializado, deverá pagar mil reais de multa ambiental.

Obs: É oficialmente proibido fazer as trilhas sem guia. Qualquer pessoa que for pega pela fiscalização, além de responder a processo por invasão a local de preservação sem autorização e acompanhamento especializado, deverá pagar mil reais de multa ambiental. A Vila oferece guias especializados e autorizados para prestar esse serviço.

trilha-da-ferradura-paranapiacaba
trilha-do-mirante-paranapiacaba

Trilha da Ferradura

PERCURSO: 8 km 
DURAÇÃO: 7 horas
NÍVEL DE DIFICULDADE: fifícil

A Trilha de Ferradura não é para qualquer um. São aproximadamente 10 km de extensão, passando por uma prainha, a Cachoeira da Fumaça, com vista panorâmica para Cubatão, trekking pelas pedras escorregadias para chegar no Vale da Morte e Garganta do Diabo (os nomes já mostram um pouco do nível do caminho), assim como a Cachoeira Cristal, com montanhas rochedos e alguns outros cenários bem dignos de filme. Apesar da dificuldade, quem faz diz que é uma das melhores experiências de trilha em São Paulo. Agende com um guia credenciado como a Papa Capim Trekking.

 Trilha do Mirante

PERCURSO: 1,2 km 
DURAÇÃO: 1 hora
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

Para quem está em Paranapiacaba e ainda é iniciante quando o assunto são trilhas, a Trilha do Mirante é ideal para começar. Ela está localizada dentro do Parque Natural Nascentes de Paranapiacaba e é um clássico. Na mata aberta, ela vai acompanhando a encosta da serra e chega-se ao mirante, onde ficava a antiga torre TV Tupi. De cima, quando sem neblina, é possível avistar a Baixada Santista, Cubatão e até o alto mar. Mas tem dias que o fenômeno da neblina toma conta de toda região, aí não se vê mais que 20 metros à frente. Agende com guia credenciado como a Paranapiacaba EcoTur.

TRILHAS DISTANTES DE SÃO PAULO QUE VALEM A VISITA

Trilha Caverna do Diabo, Eldorado 

(287 km de São Paulo, cerca de 4h20)

caverna-do-diabo
trilha-caverna-do-diabo

PERCURSO: 1,2 km 
DURAÇÃO: 1 hora
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

O Parque Estadual da Caverna do Diabo é um dos mais importantes parques do Estado de São Paulo. Vizinha do PETAR, Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, ela atrai muitos visitantes para conhecer suas cavernas de cair o queixo. A principal delas, que dá nome ao parque, é a Caverna do Diabo, uma das maiores cavernas do Brasil. Em apenas 1 km de trilha é possível alcançar a formação rochosa com passarelas, escadarias, corrimões e iluminações. São 6 mil metros de extensão, mas apenas 600 metros estão abertos à visitação – que já valem muito a visita. A visita só é permitida com os guias credenciados, veja a disponibilidade aqui, e tem o custo de R$ 30 para entrar, sendo R$ 15 a entrada do Núcleo Caverna do Diabo e R$ 15 o guia para a caverna.

Trilha do Vale das Ostras, Eldorado

(278 km de São Paulo, cerca de 4h10)

PERCURSO: 6 km 
DURAÇÃO: 5 horas
NÍVEL DE DIFICULDADE: fácil

Quem passa pela região também aproveita para embarcar na Trilha do Vale das Ostras, que percorre a Mata Atlântica, passando por cerca de 12 cachoeiras cachoeiras que chegam na principal e mais conhecida, a famosa Queda do Meu Deus, também considerada uma das mais bonitas de São Paulo. São 53 metros de queda que desembocam em um lago cristalino e também encantam com uma pequena gruta ao fundo.  A trilha só é acessada com monitoramento de guias – valores a partir de R$ 290.

trilha-do-vale-das-ostras

Trilha da Pedra da Macela, Cunha

(248 km de São Paulo, cerca de 3h50) 

pedra-da-macela
pedra-da-macela-cunha-trilha

PERCURSO: 3 km 
DURAÇÃO: 1h30
NÍVEL DE DIFICULDADE: médio

A Pedra da Macela está idealmente localizada em Paraty, no Rio de Janeiro, mas seu acesso se dá por uma trilha a partir de Cunha, em São Paulo, dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina. São cerca de 3 km de uma caminhada íngreme, porém com o bônus de ser asfaltada, até o alto do pico, que está a 1 850 metros de altitude. De lá de cima, em dias com o tempo bom é possível ter uma visão 360º de Paraty, da serra de Cunha, Angra e até Ilha Grande. O point é muito requisitado para ver o nascer do sol no mar junto com o mar de nuvens ou o pôr do sol bem colorido. A trilha é autoguiada, não é necessária a contratação de um guia e seu acesso é totalmente gratuito.

LEIA TAMBÉM: A lista completa para acampar: 40 itens aventureiros essenciais
9 destinos de cachoeira e montanha em SP, MG e RJ pra uma viagem curta

Trilha Pedra do Baú, São Bento do Sapucaí

(200 km de São Paulo, cerca de 3h15)

trilha-pedra-do-bau

PERCURSO: 1,2  km 
DURAÇÃO: 1h30
NÍVEL DE DIFICULDADE: médio

Em São Bento do Sapucaí, próximo a Campos de Jordão, está a Pedra do Baú. Seu visual é imponente até mesmo da estrada, e a missão da maioria dos turistas é chegar no seu cume. Digo a maioria porque tem alguns que preferem evitar subir as escadinhas finais (que devem ser realizadas apenas acompanhadas de equipamentos e um guia local). São aproximadamente 1h30 de caminhada em pouco mais de 1 km, sendo a maioria do trajeto realizado em meio à Mata Atlântica, passando por muitas pedras e caminhos íngremes. Ao fim, mais 600 degraus de ferro para chegar no topo, de onde é possível desfrutar da vista do vale do Paiol e a Serra entre São Paulo e Minas Gerais.

VEJA MAIS: Guia de Monte Verde (MG): tudo o que você precisa saber sobre a cidade serrana
Onde ficar em Monte Verde: 9 pousadas e hotéis de serra românticos

Tem alguma indicação de trilhas perto de São Paulo? Comenta aqui embaixo!

Pietra Palma

Estudante de jornalismo e aspirante a viajante profissional aqui no Carpe Mundi. Férias, feriados e finais de semana são sempre oportunidades para conhecer uma nova cultura, um novo lugar, um novo espaço. Gosta de colecionar momentos e pedaços desses caminhos através da escrita e acredita que uma boa viagem tem o poder de reanimar a alma.

Deixe seu comentário

voltar ao topo