sudeste asiático


Quanto custa viajar no Sudeste Asiático: Tailândia e outros países da região

O Sudeste Asiático é um dos poucos destinos onde as coisas são baratas mesmo depois de convertidas para o real. Veja aqui quanto custa viajar no Sudeste Asiático e quanto dinheiro você precisa por dia.

QUANTO CUSTA VIAJAR NO SUDESTE ASIÁTICO:
Essas médias de preço são baseadas na minha viagem por Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã, mas também valem pra Indonésia e Malásia.

ALIMENTAÇÃO

Na rua ou restaurantes simples: US$ 1 a US$ 3.
Em restaurante mediano: US$ 5 a US$ 10.
Em restaurante bom: US$ 20 a US$ 40.
Alta gastronomia: US$ 50 a US$ 100.
Garrafa de água: US$ 0,30 a US$ 1.
Cerveja: US$ 1,50 a garrafa de 600 ml nas lojas de conveniência e US$ 2,80 nos bares. No Vietnã e no Camboja, o copo de chope custa US$ 0,50.
Drink: de US$ 3 a US$ 6.

LEIA TAMBÉM: Roteiros pelo Sudeste Asiático

HOSPEDAGEM

Quarto coletivo em hostels: US$ 3 a US$ 15.
Quarto privativo em hotéis simples: US$ 15 a US$ 50.
Quarto em hotel quatro-estrelas: US$ 50 a US$ 150.
Quarto em hotel cinco-estrelas: a partir de US$ 150.

LEIA TAMBÉM: Melhor época para ir à Tailândia e outros países do Sudeste Asiático, mês a mês
O que fazer em Bangkok: 21 programas imperdíveis

TRANSPORTE

De avião: US$ 20 a US$ 150 (principais companhias aéreas: Air Asia, Bangkok Airways, Laos Airlines, Vietnam Airlines, Thai Lion Air, Nok Air, Thai Smile, VietJet Air). Procure antes no Skyscanner pra ver quais estão com o preço melhor.
De ônibus: US$ 5 a US$ 30.
Entre as ilhas da Tailândia: Pacote de transporte de Koh Tao para Koh Phi Phi (incluindo balsa noturna + transporte em van até Krabi + balsa até Phi Phi): US$ 28.

EXTRAS: Tours de dia inteiro (como o de Chiang Mai pra Chiang Rai e a tribo das “mulheres-girafa”): US$ 20 a US$ 30.
Aula de culinária em Chiang Mai: US$ 30.
Curso de mergulho em Koh Tao (pra tirar carteirinha do PADI): US$ 200 (de 3 a 4 dias).
Dia em santuário de elefantes em Chiang Mai (Elephant Nature Park é o mais indicado): US$ 80.
Aluguel de scooter: cerca de US$ 4,50 por dia.
Retiro de yoga (como o Island Yoga): US$ 115 (4 dias).
Ingresso ao complexo de templos de Siem Reap (Angkor Wat): um dia (US$ 37), três dias (US$ 62) e uma semana (US$ 72).
Uma hora de massagem: US$ 7 a US$ 17.

Quanto dinheiro calcular por dia?

Até US$ 30 (hostel em quarto coletivo, comida de rua ou restaurantes simples, transporte em ônibus).
De US$ 30 a US$ 50 (quarto privativo em hotel simples, restaurantes medianos, ônibus e alguns voos).
De US$ 50 a US$ 100 (hotel três/quatro estrelas, refeições mais sofisticadas, transporte em avião).

QUANTO CUSTA VIAJAR NO SUDESTE ASIÁTICO:

Que dinheiro levar?

Dólar (não, não vale a pena levar euro em nenhum caso), que pode ser facilmente trocado em casas de câmbio e bancos por toda parte. Na Tailândia, a moeda local é o baht (US$ 1 = 35 baht), no Laos é o kip (US$ 1 = 8 000 kip) e no Vietnã é o dong (US$ 1 = 22 000 dong). No Camboja existe a moeda local, o riel (US$ 1 = 4 riel), mas a economia é toda dolarizada (inclusive nos caixas eletrônicos você saca direito em dólar). A moeda local é usada pra valores baixos e trocos.

A maioria dos estabelecimentos não aceita cartão (a não ser shoppings e hotéis), então tenha sempre dinheiro em espécie. Como em qualquer outra viagem internacional, distribua o dinheiro em espécie, cartão de crédito e débito (eu saquei direto da minha conta aqui no Brasil nos caixas eletrônicos de lá sem problemas). Aliás, tem caixas eletrônicos por toda parte, mesmo nas cidades menos turísticas (com exceção da ilha de Koh Rong, no Camboja).

LEIA TAMBÉM: Como é a comida na Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã?
O que visitar no Camboja: lugares pra montar o seu roteiro
O que visitar no Laos: as top 6 atrações do país
Como montar um roteiro pelo Vietnã: os melhores destinos
Como fazer uma Sak Yant, a tatuagem sagrada budista da Tailândia

grand-palace-bangkok QUANTO CUSTA VIAJAR NO SUDESTE ASIÁTICO:

DICAS PRA ECONOMIZAR:

*Faça um roteiro condizente com o tempo que você tem. Enfiar muitos deslocamentos em pouco tempo encarece a viagem, porque você acaba tendo que pegar mais voos.
*Tours são caros e nem sempre proporcionam boas experiências. Prefira fazer os passeios de forma independente, usando o transporte local ou alugando uma scooter ou bicicleta. Em grupos pode valer fechar direto com taxistas e barqueiros.
*Cuidado com combos de transporte que as agências e os hotéis vendem (ônibus + táxi +balsa, etc), principalmente para as ilhas da Tailândia. Pesquise em diferentes agências  antes de comprar e tente calcular os descolamentos individualmente.
*Compre cerveja e água em mercadinhos locais (como o 7/11 na Tailândia) – nos bares e restaurantes são bem mais caros.
*Barganhe SEMPRE, principalmente com vendedores de rua e pessoal dos transportes (taxis, tuk-tuks, barqueiros).
*Taxistas, tuk-tuks e mototaxis sempre querem te convencer de que você está mais longe do que realmente está da onde pretende ir. Baixe no celular um bom aplicativo de mapas offline (como o Maps.me) pra ter sempre consciência da sua localização (e ver se dá pra ir a pé ou convencê-los de cobrar menos).
*Coma na rua: dá pra fazer uma refeição inteira por US$ 3.

QUANTO CUSTA VIAJAR NO SUDESTE ASIÁTICO: mais alguma dúvida? Deixe nos comentários!

Há 48 comentários para “Quanto custa viajar no Sudeste Asiático: Tailândia e outros países da região

  1. Olá Juliana! Não sei se posso usar esse espaço para falar com vc, mas, quando se trata de sudeste asiático, não consigo deixar de comentar…
    Viajo muito para o sudeste asiático e dificilmente em excursão, a não ser a que eu mesma monto.
    Por tudo que tenho visto e vivido por lá, acho extremamente fácil e tranquilo viajar desacompanhada, porém, a mim não parece
    tão gostoso como ter alguém junto. O único lugar que posso dizer pra ninguém ir desacompanhada é na India. Lá, eu e duas amigas passamos maus momentos, sequestradas por um taxista do aeroporto… Foi surreal..
    Entretanto, a Tailândia, é um país encantador, de povo muito amigável e sorridente. O Nepal, da mesma maneira, vc acaba fazendo amigos maravilhosos. E assim vai… Cambodja, Laos, Vietnã, Cingapura, entre outros, me encantam e me fazem sentir tranquilidade.
    Então Juliana, um conselho de uma pessoa de 75 anos, que não consegue parar de viajar: Vá em frente, aproveite muito a vida, porque senão, “o café esfria, a vida passa e vc não vê!” Boa sorte! Pé na estrada!
    É claro que em todos os lugares do mundo existe violência, mas por lá, nunca cheguei a ver. E é claro, vc não vai à qq lugar, não é?
    Um bom seguro de viagem e boooora!!!!

  2. Olá Maria Auxiliadora,
    Gostei muito da sua públicas e mais ainda da sua resposta/depoimento a colega acima. Sou parecida com você, adoro viajar, é um vicio que não pretendo me “curar” nunca rs. Acredito que tudo passa nessa vida e o que nos resta são só as lembranças. É o que quero ter pelo resto da vida, as lembranças dos lugares e pessoas que conheci.
    Obrigada pelas informações 😉

  3. Estou planejando em ir para a Tailândia em novembro e ficar uns 25 dias . Quero que me ajude a planejar os passeios e dicas de hotéis preços 30 a 50 para ficar e quantos dias ficar em cada ilha…! Esses valores que você colocou nos post é em reais ou dólar ( US$ )???
    Obrigado.

  4. Oi, Betina!

    Pergunta bem peculiar: esses lugares, em termos de higiene/questões sanitárias, são legais? Eu sou diabética, precisaria uma geladeira/frigobar por perto pra uma viagem dessas….

    1. Oi Andressa! Lá é bem turístico e tem de tudo: de hosteis baratinhos a hotéis cinco-estrelas. Se precisar fazer uma viagem mais confortável é só gastar um pouco mais.

        1. Oi Anna! Não, nos caixas eletrônicos lá você saca direto na moeda local (com exceção do Camboja, que usa o dólar como moeda corrente). Mas sim, o banco converte pra dólar e depois pra moeda local pra fazer a transação. As taxas variam de banco pra banco, sugiro você perguntar no seu quanto é. Claro que o jeito mais barato é já levar o dinheiro em espécie daqui, mas se você for fazer uma viagem longa eu acho muito ruim ficar carregando um bolo de dinheiro sabe? Como o cartão pré-pago paga taxa de 6,38%, eu acho sacar a melhor opção.

  5. Olá Betina,

    Vou para Tailândia em janeiro fico 30 dias, minha primeira viagem “mochilão”, já fui para outros países porém nunca dessa forma.Preciso de dicas de o que levar na mala… rsrs!! Pra mim já está sendo difícil imaginar não poder levar muita coisa!!
    Obrigada!!

    beijos

    1. Oi Talita tudo bem? A principal dica é: leve pouca coisa. Lá é calor, só no norte faz um friozinho. E você vai ficar maluca nas feiras baratas com saias, calças e blusas coloridas. Nos pés, uma sandália confortável, um chinelo e um tênis bastam. Logo mais vou fazer um post mais completo, te aviso 🙂

  6. Olá, Betina.

    Rodei sei blog todo (mundo bom, por sinal, parabéns) e não achei o post com o roteiro da Ásia. Me passa o link? De quantos dias em cada lugar etc.

    Bjo, valeu!

  7. Passei quase um mês na Tailândia em Dezembro de 2013. Só a passagem foi cara, mas mesmo assim consegui uma super promoção de uma companhia aérea 5 estrelas, com direito a parada no Qatar. Comer lá é muito barato, as passagens aéreas para voos locais e hotéis também. Só em Phi Phi é que os hotéis eram mais caros, mas ali era a “jóia da coroa” do turismo de praia tailandês e estava começando a alta temporada.

  8. Olá ! Muito esclarecedoras as informações da Maria Auxiliadira sobre a situação de uma mulher sozinha no sudeste asiático.
    Viajo sozinha pelo mundo há anos, e agora, planejando visitar em janeiro 2017 os paises asiáticos
    Camboja, Laos, Mianmar e a
    Vietnã, vem a dúvida sobre segurança; sobretudo por já ser uma “jovem setentona”.
    Com a experiencia de anos, certamente a gente fica bem esperta e atenta, mas pode haver situações pontuais … daí a divulgação das experiências de viajantes é fundamental.
    Se alguém quiser formar um
    grupinho, me contate( hepa10@yahoo.com.br

  9. Que legal!!! Amei a dica!! Estou pensa do seriamente em fazer uma viagem diferente!! Mas eu nunca viajei para fora do Brasil. Fico com medo de ir sozinha. Vou amadurecer a idéia.

    1. Oi Kellen! Como você nunca foi pra fora, talvez possa começar com algo aqui pertinho, tipo Buenos Aires! De qualquer jeito, eu fique 3 meses sozinha no Sudeste Asiático e amei, é super seguro e cheio de gente viajando sozinha também.

  10. Olá! Amei a matéria, eu já era apaixonada pela Tailândia, agora então, hehheh, mas eu sempre tive uma dúvida sobre mochilar… Como fazem pra lavar a roupa…?? Sei que é estranha a pergunta mas não sei como me organizar nessa questão 🙁

    1. Oi Larissa! Eu fiquei 3 meses por lá ano passado e lavei roupas várias vezes. Quase todo hostel e hotel oferece o serviço, vem tudo dobradinho e cheiroso e é baratíssimo. Nem se preocupe

  11. Betina, parabéns pelo conteúdo – muito rico e ao mesmo tempo direto ao ponto. Está sendo uma mão na roda no planejamento da minha viagem. Depois te dou mais feedbacks (sei que são bem-vindos, pois também sou jornalista). Só queria te dar um toque para atualizar o preço dos ingressos de Angkor Wat – acho que em outro post você corrigiu, mas neste aqui não. Obrigadão pelas dicas 🙂

  12. Olá ! Alguma dica pra compra de passagem saindo do Brasil para Tailândia, por exemplo? Como, com quanto tempo de antecedência comprar, melhor época do ano…
    Obrigado pelo trabalho de vocês, esse site é espetacular e muito útil.

    1. Oi Bruno tudo bem? Então, o ideal é começar a olhar seis meses antes da viagem. Fique de olho no site Melhores Destinos, que acompanha todas as promoções aéreas, e também é legal fazer um alerta de tarifa no site Skyscanner nas datas que você quer viajar. Ir em dezembro e janeiro vai ser sempre mais caro (entre 3500 e 4000), em outras épocas dá pra achar por até 2800. Comprando em sites nacionais como o Decolar, o Submarino Viagens e o Viajanet dá pra parcelar e você não paga IOF. Que bom que está curtindo o site, espero que te ajude!

  13. Olá Betina, muito obrigada pelas informações!
    Pretendo fazer um mochilão mais longo a partir de dezembro agora é não gostaria de engessar a data de volta, seria uma viagem no estilo “dure o tempo que o dinheiro render” rs. Sei que brasileiro pode ficar até 90 dias na Tailândia, gostaria de saber
    -se preciso mostrar a passagem de volta (tô pensando em comprar só a de ida se valer a pena)
    – ou se comprar a volta pra depois de 4 meses, eles implicariam com minha entrada
    – se tem algum problema se ficar na Tailândia por volta de um mês e depois voltar pra pegar o avião de volta
    -se a cada entrada nos países preciso mostrar passagem de saída (gostaria de ter flexibilidade de tempo).

    Liguei no consulado más não consegui grandes informações.

    1. Oi Anne tudo bem? Não é preciso mostrar a passagem da volta em lugar nenhum, eles são zero rigorosos com isso lá. E não tem problema ficar um mês e depois voltar não. Pra você ter uma ideia, conheci uma galera brasileira que tava morando lá e, no dia em que o visto vencia, eles simplesmente atravessavam a fronteira pra Mianmar um dia e depois voltavam pra Tailândia com mais 3 meses de visto.

  14. Oi, Betina!
    Achei fantástico seu blog e suas dicas. Estou planejando um período sabático de um ano a partir de janeiro/2018, e no meu itinerário está o Sudeste Asiático. Pretendo fazer em três meses os países que você visitou: Tailândia, Camboja, Vietnã e Laos, e tenho dúvidas em relação aos meios de transportes entre estes países. Qual a opção mais viável: aéreo ou rodoviário (ônibus)?. Há opções de trens ou qualquer outro meio de transporte que faça estes trajetos?

    Muito obrigado pelas dicas!
    Abraços,
    Thiago

    1. Oi Thiago tudo bem? Que legal a sua viagem! Sobre o transporte, o meio mais comum lá é o ônibus, dá pra ir pra todo lugar assim. Avião é preciso para trajetos mais longos, como entre Bangkok e Krabi ou Luang Prabang ou Viantiane a Hanoi.
      Veja se esse post te ajuda: https://www.carpemundi.com.br/roteiros-pelo-sudeste-asiatico/
      No mais, o que posso te dizer é: nem encana muito. É muuuito fácil viajar por lá e nem precisa comprar nada com antecedência, ainda mais se você vai ficar bastante tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *