Ir atrás das milhas dos voos, se associar àquele programa de fidelidade que você está sempre postergando (e que poderia ter te trazido benefícios na sua última viagem), buscar indenizações por atrasos de voo e outros problemas de aviação: veja 11 itens pós-viagem que você está frequentemente ignorando ao voltar de férias. E que, consequentemente, te ajudarão a viajar mais.

simpatias-para-viajar-mais

LISTA PÓS-VIAGEM: 12 ITENS PARA FAZER AO VOLTAR DE FÉRIAS QUE VOCÊ IGNORA

  1. Solicitar as milhas dos voos realizados (se já não tiver feito isso no momento do check-in): Milhas são um ótimo motivador de viagem. E quantas vezes a gente esquece de creditá-las na conta no pós-viagem e perde oportunidades praticamente gratuitas de bate-voltas para destinos pertinhos do exterior em feriados, finais de semana em capitais do Nordeste que a gente sempre quis conhecer ou dias com a família que mora longe em outra cidade? E, mesmo que no momento do check-in você tenha solicitado as milhas da viagem, vale verificar se as mesmas caíram de fato na sua conta: é comum achar que a companhia creditou os pontos automaticamente e acabar perdendo-os já que há um limite de duas semanas após o voo para requeri-las. Alerta em dobro pra quando o voo envolver codeshare.
  2. Se afiliar aos programas de fidelidade que você sempre fica postergando (e que poderiam ter te trazido benefícios na sua última viagem): Se você viaja frequentemente com uma companhia aérea e faz parte de seu programa de fidelidade, acumula mais milhas, pode ter vantagens como bagagem despachada gratuitamente e prioridade na hora do embarque, além de mais chances de ser apto a um upgrade. O mesmo para os programas de fidelidade de redes de hotéis: early check-in e late check-out, regalias como upgrade de quarto e desconto no spa são só o começo. A adesão é quase sempre gratuita. Não tem porquê não ir atrás dos clubes de benefícios. LEIA TAMBÉM: Guia do upgrade: como conseguir upgrade em companhias aéreas e hotéis
  3. Buscar indenizações por atrasos de voo, cancelamentos, overbooking e problemas com a bagagem – você pode receber R$ 1 000 em 48 horas com a Liberfly: Viajantes que já passaram por situações desagradáveis no universo da aviação como ter o voo atrasado por horas, cancelado ou mesmo não conseguir embarcar devido à prática do overbooking conhecem o sentimento de impotência, frustração e revolta que essas ocorrências geram. Mas, a boa notícia é: em grande parte dos casos, viajantes que são prejudicados por casos de atraso de voo, cancelamento, overbooking e problemas com a bagagem têm sim direito de compensação quando buscado. Empresas como a Liberfly operam garantindo os direitos dos consumidores diante problemas de aviação, indo em busca de indenizações justas para o passageiro, muitas vezes com negociações expressas, resultando em R$ 1 000 em até 48 horas em problemas decorrentes de atrasos e cancelamentos de voo.
  4. Check-up financeiro: Não precisa ser imediato, mas é uma boa ideia analisar suas finanças um ou dois dias depois de chegar em casa. Acesse seu extrato do cartão e verifique se há cobranças duplicadas, se bloqueios de segurança de hotéis foram retirados, se há gastos que você não autorizou. Relate qualquer problema ao seu banco ou empresa de cartão. Dar uma olhada nos gastos da viagem também vai te ajudar a se planejar com as faturas.
  5. Zerar o email: Não existem boas-vindas mais sinceras à rotina do que uma caixa de email lotada. E você não vai querer prolongar a situação e viver ansioso como tantas mensagens para colocar em dia. Vale se organizar dividindo seus emails em pastinhas, por urgência e por prazos. Perca alguns minutos (ou horas) nisso, recicle tudo o que não for importante e terminará se sentindo mil vezes mais leve e apto pra voltar ao seu dia a dia.
  6. Cuidar do corpo e voltar a uma rotina mais saudável: Viajar é sinônimo de escapulir dos hábitos de vida saudáveis. Fuso horário diferente, temperaturas extremas, longas esperas em aeroportos e períodos em voos, culinária diferente… Não é incomum ficar doente ao voltar de viagem. Pra cuidar do corpo ao voltar bem de férias, comece bebendo muita água pra se hidratar e limpar toxinas, comendo bem e trocando as refeições pesadas por frutas, saladas e vegetais e dormindo melhor ainda pra descansar toda a correria e recuperar 100% o funcionamento do organismo. Se conseguir planejar a volta pro início do fim de semana, sobrando tempo livre em casa antes de voltar ao trabalho, melhor: a gente precisa de miniférias pra se cuidar no pós-viagem. LEIA TAMBÉM: 9 dicas para manter uma alimentação vegetariana (ou vegana!) em viagens
  7. Desfazer a mala, organizar os novos itens no lugar e já aproveitar pra fazer uma limpa no guarda-roupas: É natural, a gente gosta de voltar de viagem com lembrancinhas dos destinos que visitamos. Que muitas vezes se traduzem em…roupas. Quando visitamos fast-fashions baratas então, muuuitas roupas. Às vezes até uma mala toda de novas roupas. E tudo bem, mas bora então aproveitar o momento pós-viagem pra fazer tudo caber e orquestrar uma limpa no guarda-roupas? É uma forma mais saudável de ser consumista e, ao mesmo tempo, praticar o desapego. E nada de deixar a mala por dias montada no quarto: reorganize os itens no lugar o quanto antes pra voltar à rotina mais rápido e com mais facilidade. LEIA TAMBÉM: Como montar uma mala de viagem consciente, prática e eficiente
  8. Deixar seus reviews de restaurantes, hotéis e serviços em geral em sites como o TripAdvisor: Enquanto você elaborava seu roteiro de viagem, aposto que leu comentários de outros viajantes e comparou classificações de estabelecimentos em sites colaborativos como o TripAdvisor, o Yelp e o Foursquare. Se durante a sua viagem você se beneficiou com as informações encontradas, no pós-viagem é a sua hora de compartilhar suas próprias experiências com outros usuários, relatando os altos e baixos dos lugares visitados e serviços testados. Melhor fazê-lo até duas semanas depois da viagem, quando você vai se lembrar com mais facilidade do nome do bar que serve aquele drink incrível, por exemplo. LEIA TAMBÉM: Sites confiáveis pra ler resenhas de hotéis além do Trip Advisor
  9. Organizar as fotos da viagem (uma boa é fazer isso no próprio voo de volta): Ter seus cliques selecionados, editados e arrumados numa pasta específica é a melhor maneira de armazenar suas memórias de viagem, seja no celular ou no computador. A gente costuma voltar das férias com milhares de fotos iguais, entre sequências tiradas no mesmo lugar, selfies mil e cliques repetidos entre originais e editados. Fazer essa limpa no próprio voo de volta é uma medida esperta: você economiza tempo e deixa a viagem toda prontinha pra ser revista quando quiser. Dica: quem curtir mesmo as lembranças de viagem pode também criar álbuns físicos com as imagens. O Social Print Studio e o Chatbooks criam compilados lindinhos de fotografias viagem. LEIA TAMBÉM: Veja sites pra revelar fotos do Instagram
  10. Definir o próximo destino de viagem e já começar a monitorar os preços de passagens aéreas: Reza a lenda que o ideal é comprar sua passagem para destinos internacionais até oito meses antes da viagem e até três meses antes quando o voo é para dentro do país. Tendo isso em mente, é uma boa aproveitar a energia e a inspiração do pós-viagem pra já começar a monitorar preços de passagens para seu próximo destino. Ferramentas como o alerta de preços do Skyscanner podem ser uma boa pra te ajudar na missão: quando a data, o preço e o destino baterem, bingo, compre sua próxima passagem.
  11. Colocar em prática assim que possível as ideias que surgiram durante a viagem (é muito fácil ser levado pela rotina e esquecê-las): Uma boa viagem nos deixa inspirados. Abre a mente, tira preconceitos, dá vontade de conhecer mais do mundo e, até mesmo, de nós mesmos. Voltou pra casa pensando em cursos de autoconhecimento, em praticar yoga ou em embarcar num trabalho voluntário? Antes que essa vontade de dissipe, faça-a acontecer. Ou o mais provável é que ela só volte pra sua wishlist de vida depois da sua próxima viagem.
  12. Começar uma poupança de viagens: Tem hora melhor que o pós-viagem pra definir suas metas econômicas para poupar mais, X valor por mês, e, consequentemente, poder viajar mais? R$ 100 por mês já são R$ 1 200 ao fim do ano – um bate-volta a mais na praia, no campo, na serra de fim de semana. Viajar é mais questão de prioridade do que de finanças: quem quer deixa de comprar um monte de coisa visando poupar dinheiro para viajar mais vezes durante o ano. LEIA TAMBÉM: 7 simpatias para você viajar mais em 2019 (e nos próximos anos!)

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

Deixe seu comentário

voltar ao topo