O turismo consciente é uma pauta cada vez mais urgente.

Pequenas atitudes sustentáveis nos tornam viajantes melhores, propagando medidas mais humanas e sustentáveis até no ato de arrumar a mala. Uma moda que faça sentido e tenha verdade quando conectada com a beleza dos destinos que visitamos, promovendo a conexão com a natureza, com nós mesmas e com tudo o que inspira numa viagem, merece cada vez mais atenção.

A busca por ressignificar viagens começa com as roupas que levamos na mala. E é por isso que indicar marcas que propaguem a moda com propósito é tão importante. É assim que a GiraFlor Store se destaca em sua produção independente de peças versáteis, sustentáveis e atemporais para mulheres viajantes.

O que você precisa saber para montar uma mala de viagem consciente, prática e estilosa com a GiraFlor Store

Comprar peças cuja matéria-prima seja de origem ecológica é só o primeiro passo de apoio a um mercado mais sustentável. Na GiraFlor, os tecidos são em maioria sustentáveis ou naturais, e de origem nacional, enquanto na produção, quando as peças passam por processo de tingimento, ele é feito com tintas não-tóxicas para o meio-ambiente. A remuneração é justa e com valorização de todos os envolvidos e há o descarte correto dos resíduos gerados, que são enviados para cooperativas de reciclagem, agregando o valor correto ao ato de comprar.

A GiraFlor tem como propósito a consciência dentro da moda e a cada coleção busca por novas iniciativas sustentáveis, cheias de estilo e conforto.

As peças com fibras Eco são compostas por fibras botânicas derivadas de fontes de madeira sustentáveis, certificadas e controladas. Os macacões e macaquinhos, peças práticas, confortáveis e estilosas pra ter em mãos na hora de montar a mala, são confeccionados a partir da  fibra de modal, de origem celulósica, feita a partir da madeira de Faia, um tipo de árvore que se propaga sem plantação ou irrigação. As camisas de linho, perfeitas e elegantes pra jogar por cima do biquíni como saída numa viagem de praia ou pra compor um look leve e fresco na cidade, pedem poucos produtos químicos na sua produção, figurando entre os tecidos naturais mais ecológicos (e antigos) que existem.

Da fase do desenho à modelagem, o corte, à costura, à remuneração às pessoas envolvidas e o descarte das sobras: a GiraFlor se preocupa com o processo produtivo do início ao fim.

giraflorstore

Mais dicas para apoiar uma moda mais consciente:
  • Trocar as peças feitas a partir do algodão tradicional pelo algodão orgânico, que por não conter agrotóxico na plantação não prejudica o solo (vale lembrar que o agrotóxico fica impregnado na roupa por até 15 lavagens)
  • Optar por sapatos com sola de materiais reutilizáveis
  • Procurar biquínis que usem poliamida biodegradável (que é eliminada do meio-ambiente em até 3 anos, enquanto a poliamida normal leva de 30 a 100 anos para ser decomposta)
  • Comprar peças direto de marcas autorais independentes ao invés de financiar fast-fashions (cuja produção muitas vezes envolve até trabalho escravo)
  • Evitar ao máximo as fibras sintéticas, que vêm do plástico, e substituí-las pelas fibras naturais e sustentáveis
  • Conhecer um pouco da história de cada roupa que você compra: peças de roupa devem carregar além de beleza, propósito, e junto com isso, vem sempre uma boa história, ou da criação ou de quem cria 😉

LEIA MAIS: 9 coisas pra NÃO levar na mala e viajar mais leve

como-montar-mala-sustentavel

8 peças-curinga numa mala de viagem consciente by GiraFlor Store:

Básicas, unicolor, estampadas, pra usar mais despojado ou mais casual, pra viajar pro frio ou pro calor. E o mais importante: com a produção sustentável com propósito desde a escolha do tecido ao descarte correto dos resíduos finais.

*Este post foi produzido em parceria com a GiraFlor Store. O conteúdo do post reflete unicamente a opinião da autora.

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

Deixe seu comentário

voltar ao topo