méxico


Como é ficar no Paradisus Cancún

A Paradisus é uma marca de resorts sofisticados da rede Meliá, que tem outros hotéis em destinos como Varadero, em Cuba, e Punta Cana, na República Dominicana.

LEIA TAMBÉM: Cancún e região: o roteiro perfeito de duas semanas
Cancún, Playa del Carmen e Tulum: tudo o que você precisa saber

Paradisus Cancún segue a linha arquitetônica pouco atraente da Zona Hoteleira de Cancún, com cinco imensas pirâmides com jardins internos igualmente grandes e paisagismo bonito: plantas escorrem pelas paredes numa espécie de miniselva, levemente e escura e cheirando a incenso perfumado. No andar mais baixo, pontuado por jardins de areia, fica o spa. Gosto do fato de que, mesmo que você não adquira nenhum tratamento, pode vestir um roupão e fazer circuito de sauna, chuveiro e hidro, o que não acontece sempre. No fim, um lounge com chás e águas aromatizadas pra relaxar mais.

paradisus-cancun-como-e

PARADISUS CANCÚN

São 668 quartos, a maioria entre 44 m² e 56 m² (ou seja, de bom tamanho), todos com varanda com vista para o mar ou pra lagoa Nichupte. A decoração é básica, mas aprazível, e há máquina de café, roupão no armário (uma obsessão minha) uma cama king ou duas camas de casal. As diárias saem a partir de US$ 415 com café, almoço e jantar.

Pra comer, são 9 opções de restaurantes acima da média pra um all-inclusive (o que reflete no preço das diárias, também acima da média dos outros all-inclusive dali). O melhor deles, porém, não está no pacote. É o Tempo, do
chef basco Martin Berasategui, que soma 7 estrelas Michelin por seus restaurantes mundo afora. Há opção à la carte ou menu-degustação, este por US$ 80 sem vinho e US$ 100 com harmonização – vale cada centavo, o sommelier é brilhante. Os pratos, de inspiração francesa e basca com toques mexicanos, são geniais. Nunca esquecerei dos ovos trufados com carpaccio e a ternera (vitela).

Já pra beber são 6 bares (um na piscina). O Red Lounge é uma baladinha modesta pra quem não quiser sair do hotel.

Há duas seções especiais: 1) a Royal Service, com direito a mordomo (que deixam de surpresinha um banho com pétalas de rosas na banheira), área reservada pra café da manhã, check-in exclusivo e piscina própria na área externa e 2) a Family Concierge, com quartos tamanho-família e atenção especial aos pequenos, tipo com vídeo games disponíveis. Quer fazer uma festinha de aniversário? Só pedir. O hotel também tem um centro de excursões e dispõe de atividades como acompanhar a jornada de tartaruguinhas nenês rumo ao mar.

A área da praia tem days beds com DJ (mas que precisa reservar) e quiosques com espreguiçadeiras com garçons que te trazem toalhas e drinks (incluso na diária). Na piscina (que, para o tamanho do resort, poderia ser maior) há cabanas gostosas que convidam a um cochilo.

PRÓS

– ambiente democrático, bom tanto para famílias quanto para casais e grupos de jovens
– spa com hidroterapia inclusa da diária
– restaurante Tempo, o melhor da cidade

CONTRAS

– a área da piscina e o bufê de café da manhã podem ficar superlotados (pra quem não está no Royal Service)
– os jardins internos são um pouco escuros
– preço salgado: diárias a partir de US$ 300

O VEREDITO:

Eu não sou de resorts, ainda mais os que me fazem ficar perdida dentro, mas o Paradisus Cancún me impressionou. Se você tem essa grana pra investir e curte esse tipo de hospedagem, vá sem medo.

RESERVE AQUI: PARADISUS CANCÚN

*O Carpe Mundi viajou a Cancún, Playa del Carmen e Tulum com assistência da TAM e da Secretaria de Turismo do México. O conteúdo deste post é independente e reflete apenas a opinião da autora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *