tailândia


Lua de mel na Tailândia: quando ir, quanto custa e o que fazer a dois

Cultura cativante, praias de cinema, povo gentil, preços amigáveis, turismo fácil e bem estruturado: muitos bons motivos para passar sua lua de mel na Tailândia.

Aqui vai um miniguia para você curtir seu pós-casório desse país tão querido.

LUA DE MEL NA TAILÂNDIA:

Vale a pena ir à Tailândia para lua de mel?

A Tailândia é uma oportunidade bacana de fazer um programa romântico/praiano com alguma dose de exotismo e cultura. Também é um país barato: lá você vai poder ficar em hotéis ótimos pagando muito menos do que na Europa, nos EUA e até na América do Sul. Mas, lembre-se, estamos falando de ir ao outro lado do mundo: a passagem sai cara, cada trecho da viagem dura no mínimo 20 horas (contando o tempo de conexão, já que não há voos diretos) e você vai sofrer de jet lag nas primeiras noites. Então não vale a pena fazer uma viagem muito corrida – se você só tem uma semana, esquece.

Quanto tempo ficar de lua de mel na Tailândia?

Por tudo isso dito acima, não vale ir com menos de dez dias de viagem inteiros lá (ou seja, descontando os dias de deslocamento). O ideal mesmo é ter duas semanas ou mais.

Quanto custa passar a lua de mel na Tailândia?

A passagem custa no mínimo R$ 3 500 ida e volta. Tirando esse gasto maior, dá para fazer uma lua de mel barata na Tailândia. Se comer comida tailandesa em restaurantes locais dá pra pagar entre R$ 7 e R$ 10 por refeição. Você se hospeda em hotéis bacaninhas pagando entre R$ 100 e R$ 300. Se topar menos conforto, dá pra pagar R$ 60 num quarto duplo e em bangalôs nas praias. O legal é que você pode variar: pode por exemplo ficar num hotel mais simples em Chiang Mai e esbanjar num hotel lindo nas praias. Ou então comer baratinho dois dias e depois reservar um restaurante top em Bangkok. Se a ideia for um rolê de luxo, claro, lá tem tudo o que você pode querer.

O roteiro perfeito para lua de mel na Tailândia:

Bangkok (com bate-volta a Ayutthaya) (3 noites) – Chiang Mai (3 noites) – Railay Beach ou Koh Phi Phi (3 noites) – Koh Lipe (3 noites)

Com mais tempo:

Bangkok (com bate-volta a Ayutthaya) – Chiang Mai (3 noites) – Koh Kood (3 noites) – Siem Reap (Camboja) (3 noites) – Railay Beach ou Koh Phi Phi (3 noites) – Koh Lipe (3 noites)

ESTICADA NO CAMBOJA: Se tiverem tempo e quiserem aprofundar sua experiência no Sudeste Asiático, a melhor esticada possível da Tailândia é passar três noites em Siem Reap, no Camboja, e ver os magníficos templos de Angkor.
LEIA TAMBÉM: Roteiro de 3 dias por Angkor Wat e outros templos

Quando ir de lua de mel para Tailândia?

A temporada seca vai de novembro a abril na maioria dos destinos. Não acho que vale arriscar ir fora desse período: é sua lua de mel, afinal de contas, e você provavelmente não quer estragar o passeio passando por tempestades de monções. Chuvas podem ocorrer no período seco também, mas em menor volume e normalmente com pancadas rápidas. O transporte entre as ilhas também fica difícil na baixa temporada, porque muitas balsas e barcos param de funcionar.

LUA DE MEL NA TAILÂNDIA:

Aqui vão os melhores destinos para lua de mel na Tailândia, com dicas de hotéis de diferentes categorias e experiências bacanas para ter a dois. O preços indicados dos hotéis são para quarto duplo.

BANGKOK

A capital da Tailândia será sua porta de entrada ao país. Cidade imensa, pulsante e caótica, oferece boas experiências gastronômicas, bares no topo de prédios de mais de 60 andares e vistas para o Rio Chao Phraya, que corta a cidade.
LEIA TAMBÉM: O que ver em Ayuttahya, o melhor bate-volta de Bangkok

Lua de mel na Tailândia: onde se hospedar em Bangkok

Se for a primeira vez de vocês em Bangkok, eu sinceramente acho mais legal ficar na Old Town, o centro antigo. A maioria dos pontos turísticos está ali. E aí vocês podem tomar um táxi se quiserem passear pelos shoppings e restaurantes modernos da parte mais nova da cidade um dia. Chinatown e Bangrak também são regiões legais. No mais, o que tem de mais romântico nos hotéis de Bangkok é a vista: aqueles com rooftop com piscina e bar ou vistão para o skyline da cidade e o Rio Chao Praya da janela do quarto.

Para quem quer pagar bem pouquinho, o Lamphuhouse Bangkok (desde R$ 65), o Innspire Bangkok (desde R$ 125) e o Sourire@Rattanakosin Island (desde R$ 135) são simples, mas recomendáveis. O Casa Nithra (desde R$ 280) é bacana, com uma boa piscina no terraço com vista para alguns templos. Cheio de personalidade, o Loy La Long Hotel (desde R$ 338) tem quartos com banheira bem na beirinha do rio. Para casais descoladinhos, o Old Capital Bike Inn (desde R$ 350) tem localização melhor impossível e design diferentão. Se você prefere hotéis grandalhões, o Lebua at State Tower (desde R$ 485) é o mais midiático da cidade – o Skybar no último andar do prédio apareceu no filme “Se Beber Não Case 2”. Para uma estadia luxuosa com piscinas super instagramáveis, veja o Riva Surya Bangkok (desde R$ 520), o Avani Riverside (diárias desde R$ 560), o SO Sofitel Bangkok (desde R$ 583) e o top Mandarin Oriental (desde R$ 1400).

Experiências legais a dois em Bangkok:

IR A UM BAR ROOFTOP:
Bangkok é mais bonita de noite, fato. E mais ainda vista do alto. Um dos melhores da cidade é Vertigo Grill & Moon Bar, dentro do hotel Bayan Tree – entre no site e faça reserva para conseguir um bom lugar. A vista do 61º andar é literalmente vertiginosa.

COMER NUM DOS MELHORES RESTAURANTES DA ÁSIA:
 O top 1 da Ásia pelo ranking da revista britânica Restaurant é o Gaggan, de cozinha indiana moderna com influências internacionais (tem um episódio sobre ele na série Chef’s Table do Netflix, vale assistir) – uma experiência incrível (sai cerca de R$ 350 por pessoa o menu com pelo menos dez pratos). Pra pagar um pouco menos e também ter uma experiência de alta gastronomia, vá para o número 13 da lista, o Bo.Lan, de comida tailandesa moderna. A decoração maravilhosa e o menu-degustação de almoço por R$ 120. Para um budget menor (tipo R$ 70 por pessoa), vale ir ao Baan, com uma estrela no Guia Michelin, com receitas familiares tailandesas num ambiente lindinho.

FAZER MASSAGEM NUM SPA BACANA:

A massagem terapêutica tailandesa combina pontos de pressão com princípios de ayurveda e yoga e é absolutamente deliciosa, apesar de dolorida, e barata, oferecida em mil lugares pela cidade. Para uma experiência romântica, pode valer a pena reservar um tratamento a dois dentro de alguns dos megaspas da cidade, a maioria dentro de hotéis, como por exemplo o The Oriental Spa, dentro do Mandarin Oriental, ou o CHI, dentro do hotel Shangri-La. Para preços mais amigáveis, veja a rede de spas Health Land, com algumas unidades pela cidade.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Bangkok: 21 programas imperdíveis
Roteiro de 3 dias em Bangkok explicadinho

CHIANG MAI

A segunda cidade da Tailândia tem belos templos, natureza farta e uma série de experiências para se aprofundar na cultura do país. O centro é uma gracinha, cheio de lojas e cafés.
LEIA TAMBÉM: O que fazer em Chiang Mai: melhores programas da cidade

doi-suthep-chiang-mai

Lua de mel na Tailândia: onde se hospedar em Chiang Mai

É melhor ficar dentro do centro murado da cidade ou só um pouquinho fora dele. Na categoria dos bons, bonitos e baratos, estão o Stay With Me Guest House (diárias desde R$ 55), o Nai Boutique House (diárias desde R$ 81), oP21 Chiangmai Hotel(diárias desde R$ 106), o Aroma Boutique House (diárias desde R$ 121), o Key Hotel @ Old City Center (diária desde R$ 106) e o 99 The Gallery Hotel (diárias desde R$ 153) e a Green Tiger Vegetarian House (diárias desde R$ 167; precisa reservar no mínimo duas diárias). Quem puder investir em hospedagens mais chiquezinhas com piscina, recomendo o Ban Chang Tong (diárias desde R$ 194) e o Nawa Sheeva (diárias desde R$ 272). Um dos top da cidade é o Tamarind Village (diárias desde R$ 700), um oásis no meio do centrinho, com quartos impecáveis e jardins. O suprassumo é o Four Season Chiang Mai (desde R$ 2 000), afastado da cidade, num cenário lindo.

Experiências legais a dois em Chiang Mai:

FAZER AULA DE CULINÁRIA TAILANDESA

Vocês curtem cozinhar juntos? Por todo Sudeste Asiático há dezenas de escolas de culinária típica, mas Chiang Mai é normalmente o local mais pop para o workshop. A Thai Farm Cooking School tem uma experiência legal por preço acessível. Eles te buscam no hotel de manhã e levam até o mercado Ruamchook pra comprar os ingredientes do dia. Em 20 minutos chega-se na fazenda, onde você vai preparar dois pratos pela manhã e dois à tarde. Depois, dá tempo de relaxar por ali, entre terrenos de plantação de arroz. Peça para o seu hotel fazer a reserva.

VER ELEFANTES

A situação dos elefantes na Tailândia é extremamente delicada: hoje só restam cerca de 2 700 domesticados e 2 000 selvagens, e muitos sofrem maus tratos nas mãos do turismo. O ideal é nunca montar neles e preferir centros especializados em cuidar de animais resgatados (que não tem showzinhos e nem obrigam os elefantes a fazer truques tipo abraçar com a tromba). O pioneiro nesse sentido e o mais recomendado é o Elephant Nature Park. No tour de um dia (por 2 500 baht) você aprende a história dos elefantes do parque (que vivem soltos num espaço enorme), alguns com mais de 70 anos, e pode brincar na água com eles e dar comida na tromba. É simplesmente emocionante passar o tempo observando-os de tão perto.

elephant-nature-park

FAZER UMA TATUAGEM SAGRADA BUDISTA

A Sak Yant é a tradicional tatuagem budista da Tailândia – leia mais sobre ela neste post, e pode ser uma experiência bem legal para fazer a dois. O estúdio Sak Yant Chiang Mai dá a oportunidade de fazer a tatuagem de “bambu” (na verdade hoje são agulhonas de metal) com assepsia e um ex-monge tatuador, com direito a escolher o desenho e o significado que você quer. Eu fiz a minha última tatoo aqui e gostei bastante da experiência, com uma reza e benção no final. Custa 1 000 baht pra reservar e mais 1 000 de doação na hora. Marque horário pelo menos uma semana antes da sua viagem pelo site.

FAZER TRILHAS CULTURAIS E PASSEIOS DE BICICLETA

Para casais aventureiros de lua de mel na Tailândia, empresas como a Lokal Alike (não compre com qualquer uma, há muita coisa picareta) tem uma série de tours que exploram a natureza e a riqueza étnica do norte da Tailândia. Tem esse aqui, por exemplo, um dia e uma noite num lodge sustentável da tribo Lisu, onde você vai dormir numa cabaninha de bambu e conhecer a cultural local, entre campos de plantações de arroz (por US$ 75 por pessoa). Já a Chiang Mai Biking tem tours que levam pelos arredores rurais da cidade em pequenos grupos, com almoço, visita a ruínas de templos, plantações e mercadinhos.

FICAR NUM HOTEL CHIQUE NAS MONTANHAS DO NORTE

Nos arredores de Chiang Mai, em Chiang Mai, Mae Rim, Mae Salong e no chamado Golden Triangle há belos hotéis que exploram a natureza da região. O Four Seasons supracitado é um deles, mas também há o Anantara Golden Triangle Elephant Camp & Resort (desde R$ 4 000), sensacional, que tem elefantes na propriedade.

KOH KOOD

Dos destinos pouco explorados pelo turismo no país, Koh Kood não tem muito mais que coqueiros, mata virgem e praias de água bem clarinha – acho a ilha perfeita para lua de mel na Tailândia. Os hotéis são pequenos e intimistas, nada de resortão sem charme. Ideal para casais que querem passar alguns dias entre a cama e a areia com quase ninguém à vista, num sossego absoluto. Duas vantagens sobre sua localização: 1) ela fica a apenas 4 horas de ônibus de Bangkok + 1 de barco, que saem da cidade de Trat; 2 ) ela fica quase na fronteira da Tailândia com o Camboja, então é prático para quem quer emendar Siem Reap na viagem. Importante saber que, por ter pouca estrutura, a ilha é consideravelmente mais cara que os points mais turísticos. A saber: se você quiser transitar pela ilha você precisa de scooter ou carro alugado.
LEIA TAMBÉM: 16 coisas pra NÃO fazer na Tailândia

kohkood

Lua de mel na Tailândia: onde se hospedar em Koh Kood

Quem tiver com o orçamento mais apertado pode escolher entre o Koh Kood BED’s (diárias desde R$ 208), o Suan Maprao Ko Kut Resort (diárias desde R$ 151) e o Baan Bua Cottage (diárias desde R$ 139). Com padrão e preço similares e próximos de belas faixas de areia são o Koh Kood Paradise Beach (diárias desde R$ 522), o Medee Resort (desde R$ 550), o Seafar Resort (diárias desde R$ 444), o The Beach Natural Resort Koh Kood (diárias desde R$ 494) e o Peter Pan Resort @ Koh Kood (desde R$ 378). As villas do Shantaa Koh Kood (desde R$ 498) são lindíssimas. Para uma estadia luxuosa de lua de mel na Tailândia, veja o High Season Pool Villa & Spa (desde R$ 1400).

RAILAY BEACH

Railay é, na verdade, um conjunto de quatro praias que formam um península enquadrada por formações de rocha calcária e banhada por um mar azul-turquesa/verde-esmeralda. São elas: East Railay, onde chegam os barcos e há comércio, West Railay, a mais bonita pra passar o dia e curtir o pôr do sol, com uma porção de restaurantes e hotéis, Phranang, a 5 minutos de trilha de East Railay, onde fica uma grande caverna, e Ton Sai, mais isolada, pra qual é preciso caminhar uma hora ou tomar um barco (bem roots). É de se considerar trocar Koh Phi Phi por Railay, já que é possível fazer o tour pra Maya Bay daqui. A desvantagem é que na alta temporada (dezembro, janeiro, fevereiro) a praia costuma encher bastante. LEIA TAMBÉM: Guia completo de praias da Tailândia

Lua de mel na Tailândia: ode se hospedar em Railay Beach

Pra um resort barato mesmo na alta temporada, veja o Railay Garden View Resort (diárias desde R$ 156). Também custo/benefício são o Avatar Railay (diárias desde R$ 283) e o Railay Princess Resort & Spa (diárias desde R$ 249). Mais sofisticados são o Bhu Nga Thani Resort & Spa (desde R$ 455) e o Railay Village Resort & Spa (desde R$ 602). O mais luxuoso da área é o Rayavadee (desde R$ 1 900).

Experiências legais a dois em Railay Beach:

SUBIR AOS MIRANTES

Tem alguns deles. O mais bonito é entre as praias de Phra Nang e Railay West – pergunte lá como chegar.

PASSEIOS DE CAIAQUE E STAND UP

Vocês dois, o mar plácido, os rochedos ao redor, o sol se pondo no horizonte…

KOH LIPE

Se você se imagina num pequeno paraíso na Tailândia, Koh Lipe é provavelmente a ilha que mais vai cumprir suas expectativas. O centrinho da ilha é mini, com três praias principais (Sunrise, Sunset e Pattaya). Pela distância da Tailândia (ela fica quase na Malásia), tem bem menos gente. Mas supercompensa o trampo de chegar (Hat Yai é o aeroporto mais próximo). Assim como Phi Phi, dá para fazer tudo a pé ou de barco. LEIA TAMBÉM: Guia de sobrevivência no Sudeste Asiático

Lua de mel na Tailândia: onde se hospedar em Koh Lipe

Baratinho e simpático, o Gecko Lipe Resort (desde R$ 100) é superbem decorado. Outra opção em conta é o Plus Deluxe (desde R$ 231). Alguns degraus acima no nível de conforto são o Cabana Lipe Beach Resort (desde R$ 414), o Serendipity Beach Resort Koh Lipe (desde R$ 770) e o Idyllic Concept Resort (desde R$ 615).

DICA: Para ter fotos lindas de vocês na viagem, pode ser legal usar o Flytographer, que provê serviço de fotógrafo particular em centenas de cidades pelo mundo.

A autora

Betina Neves

Betina Neves

Editora do Carpe Mundi, viaja pra trabalhar e trabalha pra viajar. É jornalista freelancer e já escreveu pra Viagem e Turismo, ELLE, Claudia, Vamos LATAM, Superinteressante, Cosmopolitan, VEJA São Paulo, Folha de S. Paulo, entre outras publicações.


Instagram

Há 1 comentário para “Lua de mel na Tailândia: quando ir, quanto custa e o que fazer a dois

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *