colômbia


Guia completo da Colômbia: como fazer o seu roteiro

Roteiro pela Colômbia: trata-se de um país fascinante, fácil de chegar (com os voos da Avianca e da LAN saindo de São Paulo, Rio e Fortaleza) e com relativo custo/benefício quando comparada com outros destinos da América do Sul.

Muita gente vai com pacotes fechados em viagens bem curtas, o que é válido também, mas, se puder, pense em expandir seu roteiro: o país tem muita coisa interessante para ver. Quem assistiu na Netflix a série Narcos, com o Wagner Moura como Pablo Escobar, vai perceber que a Colômbia passou por um renascimento completo desde aqueles tempos de terra sem lei: cidades foram reurbanizadas e pacificadas, a economia cresceu, a modernidade chegou nos hotéis, restaurantes, museus, lojas, transporte público. Você vai encontrar belas cidades coloniais, praias caribenhas, florestas frondosas, heranças de Gabriel García Márquez e Fernando Botero, comida boa, rosas, povo simpático com espanhol facinho de entender. Veja abaixo como montar um roteiro pela Colômbia.

COMO MONTAR UM ROTEIRO PELA COLÔMBIA

Bogotá

A capital colombiana é hoje o núcleo da bonança do país: a vida cultural está aquecida, hotéis não param de inaugurar e a gastronomia decola e ganha destaque mundial. Andina, a 2 600 metros de altitude, Bogotá não é imediatamente atraente e exige certa intrepidez do viajante, mas não demora a cativar com seus museus de primeiro mundo, boemia, artesanato gracinha, ciclovias mil e mais comida, comida e comida.

O que fazer em Bogotá: O centro histórico, chamado La Candelaria, guarda a maior parte dos pontos turísticos de Bogotá: a central Plaza de Bolívar, onde estão a bela Catedral Primada e o Palacio de Justicia, o Museo Del Oro e o Museu Botero, o “pão de açúcar” da cidade, o Cerro Monserrate, e o Casa Museo Quinta de Bolívar, casa do século 17 pertenceu a Simón Bolívar, herói das guerras de independência da América Latina. Bem próximo fica o bairro de La Macarena, cheio de barzinhos, restaurantes e galerias de arte. Vá à região da Zona T/Rosa para curtir os bares das Calle 83 e a Carrera 12 A, de acesso exclusivo à pedestres, e para comprar nos shoppings e lojas de rua. Aos domingos, a pedida é a feira de Usaquén, com artesanatos e comidinhas.

colombia-tours-bogota

Bate-volta: Um dos mais clássicos é a Catedral de Sal, em Zipaquirá, a 48 km de distância ou a uma hora de ônibus, que sai do Terminal de Transporte de Bogotá (Diagonal 23, 69-60). O lugar é originalmente uma mina de sal escavada no interior de uma montanha – prova de que ali já foi um oceano, há milhões de anos. Ao mesmo tempo que cavavam túneis para extrair o sal, os mineradores talhavam salões que depois foram transformados em capelas e recantos de oração. Do mesmo Terminal de Transporte saem ônibus para Villa de Leyva, a três horas da capital (ali o melhor é passar a noite e voltar no outro dia). É uma vilinha adorável fundada em 1572 aos pés dos Andes, com casinhas de arquitetura colonial espanhola lindamente conservadas com janelas invariavelmente floridas. A boa é simplesmente se sentar em um dos restaurantes da Casa Quintero e ver a vida passar na ampla e bucólica Plaza Mayor, ou subir em um cavalo e circular rente às montanhas que formam a Cordilheira dos Andes.

Leia também: O QUE FAZER EM BOGOTÁ: ROTEIRO DE 3 DIAS

Museo botero, bogotá

Medellín

Talvez o símbolo mais emblemático da vitória colombiana contra a violência, a segunda maior cidade do país, com 3,5 milhões de habitantes, viu uma verdadeira transformação em seu espaço público, com generosos investimentos em infraestrutura, educação, transporte e, principalmente, arquitetura. Parques, bibliotecas, hotéis, museus e um sistema de metrô (o único do país) foram construídos. E hoje a gente fica na dúvida se gosta mais de Medellín ou de Bogotá.

O que fazer em Medellín: Na área central fica a Plaza Botero, com esculturas do artista, junto ao Museo de Antioquia, que tem obras de outros colombianos. Conheça também o Museo Casa de La Memoria,  cujas exposições falam da história e das vítimas das guerrilhas do país. Na Zona Norte, o Jardín Botánico Joaquín Antonio Uribe tem borboletário, bosque tropical e jardim de palmeiras. Fica na frente o museu de ciências Parque Explora, com um aquário, legal para crianças. Acabou virando atração turística também o Metro Cable, que conecta o sistema de metrô a favela do Morro de Santo Domingo. Lá tem boa vista para a cidade e dá pra conhecer o Parque Biblioteca España, que vale pela arquitetura arrojada: blocos assimétricos de rocha gigante. O epicentro da vida noturna é o Parque Lleras, tomado de bares, restaurantes e baladas. Pra tours temáticos (tipo os que visitam pontos que marcaram a vida de Pablo Escobar), veja com a Medellín City Tours.

plaza botero, medellín

Bate-voltaGuatapé é uma vila bonitinha e colorida a duas horas de ônibus (você pode ir por conta ou com tours que saem cedinho e voltam depois das 20h). De lá você visita El Peñol, uma rocha que você “escala” subindo seus 700 degraus. Lá de cima, a vista é sensacional, de cara para os lagos azulados e o terreno recortado da região. Continue lendo sobre como montar um roteiro pela Colômbia.

guatape

Zona Cafetera

A Colômbia é uma produtora exímia de café. O centro da produção é o chamado Triângulo do Café, formado pelas cidades de Armenia, Pereira e Manizales.  Armenia ou Pereira, a uma hora de voo de Bogotá, são as base para conhecer a região. Continue lendo sobre como um montar um roteiro pela Colômbia.

O que fazer na Zona Cafetera: O melhor ali é alugar um carro, ou vai ter que pagar bem caro nos táxis para chegar às fazendas que oferecem o tour pela colheita e produção do café, seguido de degustação, como a ótima La Morelia e a Terraza San Alberto (esta última num terraço cravado no alto da montanha). Os hotéis-fazenda  da região são bastante modestos; se puder, fique nos ~diferenciados~ Hacienda Bambusa, perto de Armenia, e Sazagua Hotel Boutique, em Pereira.

Bate-volta: Dá para passar o dia em Salento, a 24 km de Armenia e 37 de Pereira, uma vila fofinha cheia de mochileiros. Do lado você conhece a palma de cera, árvore nacional da Colômbia, uma palmeira fininha e comprida, no Valle Del Cocora, um bosque gostoso com cachoeiras onde dá para fazer trilhas a pé ou a cavalo. No caminho fica o Mirador la Colina Iluminada del Quindío, no município de Filandia, para ver do alto os cafezais sem fim.

colombia-roteiro-o-que-fazer

zona cafetera, colômbia

Cartagena

A cidade colonial, possivelmente a mais bela da América Latina, é o cartão-postal perfeitinho da Colômbia. Suas muralhas do século 16 bem conservadas guardam um conjunto arquitetônico colorido com pracinhas jardinadas, igrejas, monumentos históricos e casas antigas com pátios recônditos que hoje viraram hotéis-butique, cafés charmosos, lojinhas e uma porção admirável de restaurantes. Continue lendo sobre como um montar um roteiro pela Colômbia.

O que fazer em Cartagena: O Centro Histórico é a atração principal, com seu casario e construções como o Palácio de La Inquisición, a Catedral, a Puerta del Reloj e a Plaza de los Coches. Fora dali vale a pena ver o Castillo de San Felipe de Barajas, um grande forte antigo, e dar uma volta por Getsemaní, o bairro onde os escravos viviam antigamente, principalmente pra comer. Bocagrande é a parte nova da cidade, com uma praia pouco vistosa e uns prediões.

Bate-volta: As Islas del Rosário (45 minutos de barco) são destino de tours de um dia que param pra um rolê de snorkel e visitar o oceanário de San Martin de Pajares, centro de pesquisas marinhas. Outra ideia é tomar um tour de barco a Playa Blanca (certifique-se que o barco vai direto pra lá, sem outra parada), uma bela faixa de areia com mar turquesa. Só evite fins de semana e feriados, quando fica pior que o Rio no Carnaval. Os barcos partem do Muele, perto da Torre del Reloj.

viagem-cartagena CLIQUE AQUI PARA O ROTEIRO COMPLETO DE CARTAGENA COM HOTÉIS E RESTAURANTES

Santa Marta

Como outras cidades colombianas, a litorânea Santa Marta, que se estende entre o mar e os picos da Sierra Nevada, já foi assolada pela violência e o narcotráfico. Na última década, porém, a cidade ganhou segurança e parques bem cuidados, centro histórico reformado e uma vibrante cena gastronômica. Mas seu maior mérito é ser porta de entrada para belos parques nacionais.

O que fazer em Santa Marta: O negócio é zanzar pelo Centro Histórico (pelo Parque de Los Novios e a Catedral de Santa Marta) e conhecer o Quinta de San Pedro Alejandrino, lugar onde Simón Bolívar passou seus últimos dias de vida e que hoje abriga um bonito jardim, um casarão com móveis da época e o Museu Bolivariano de Arte Contemporânea. Depois, siga à pequena vila de Taganga, a 6 km de Santa Marta, base para saídas para cursos de mergulho e passeios de barco até o majestoso Parque Nacional Natural Tayrona, onde o Mar do Caribe encontra praias vazias e uma vegetação virgem cortada por trilhas e sítios arqueológicos (se der passe a noite lá). Afeitos a trekkings longos podem visitar o Parque Nacional Natural Sierra Nevada de Santa Marta e partir pela trilha até a Cidade Perdida, ou Parque Arqueológico Teyuna, um sítio arqueológico indígena com antigos terraços usados para plantio, muros e escadarias de pedra. Veja a excursão nas agências da cidade. A região toda também é ótima para birdwatching (observação de pássaros): agências como a Colombia Birding organizam expedições. Continue lendo sobre como um montar um roteiro pela Colômbia.

viagem-parque-tayrona

parque tayrona, colômbia VEJA COMO PASSAR A NOITE NO PARQUE TAYRONA

San Andrés

A 700 quilômetros da costa, mais próxima da Nicarágua, a ilha em formato de cavalo-marinho é a principal do arquipélago, rodeado por cayos e ilhotas com mar multicolorido e as praias mais bonitas da Colômbia. San Andrés concentra em suas minicidades resorts all-inclusive sem frescuras, lojas duty free, o aeroporto (voos desde Bogotá custam a partir de R$ 450 (ida e volta) com a companhia local Viva Colombia) e histórias de piratas – dizem que Henry Morgan escondia um tesouro por ali. Mas, sem dúvida, o lugar a se estar é dentro d’água, nadando com arraias e peixes de todos os tamanhos que vivem na terceira maior barreira de corais do mundo, situada ali. Alugue um carrinho de golfe ou scooter para circular. Continue lendo sobre como um montar um roteiro pela Colômbia.

guia-colombia O que fazer em San Andrés:  Além de passar o tempo na praia e fazendo snorkel em locais como La Piscinita, West View e El Cove, agências vendem tours de barco às ilhas Acuário e Johnny Cay, de mar inacreditavelmente azul-turquesa, e à ilha deserta Cayo Bolívar. Pode-se também ver o gêiser El Hoyo Soplador ou mergulhar com arraias em Haynes Cay. Veja tours de mergulho com agências como a Sharky Dive Shop e a Blue Life.

Providencia

Nem todo mundo que vai a San Andrés estende o roteiro até Providencia, mas é definitivamente uma boa ideia: muita lindeza caribenha e pouco agito nessa ilha próxima. Para chegar é preciso pegar um voo de 20 minutos num avião pequeno da companhia Satena, a partir de R$ 480 ida e volta (que só leva 10 kg de bagagem por passageiro, diga-se de passagem) ou 3 horas de catamarã que exigem doses de Dramin para aguentar a chacoalhação (como o mar é mais agitado na ida, é ideia boa ir de avião e voltar de catamarã para economizar). Para quem curte mergulho com cilindro, excursões aqui são mais baratas que em San Andrés. Continue lendo sobre como um montar um roteiro pela Colômbia.

providencia-colombia-viagem

O que fazer em Providencia: A Baía Água Dulce concentra o turismo e a hotelaria –  de lá, partem a maioria dos tours e passeios de barco. No mais, visite as praias de sonho, tipo Sur Oeste, Manzanillo e Almond Bay, e o parque McBean, que protege manguezais, uma lagoa e parte da barreira de corais no Cayo (mini ilha) Cangrejo, onde é possível mergulhar.

Bate e volta: a única vizinha de Providencia é Santa Catalina, ilhota com 1 km² de extensão – as duas são ligadas pela colorida Ponte dos Namorados. Veja o antigo forte Warwick, da onde o pirata Henry Morgan combatia os espanhóis, e praias como a Mona Beach.

Roteiro pela Colômbia: e você, tem alguma dica?

A autora

Betina Neves

Betina Neves

Editora do Carpe Mundi, viaja pra trabalhar e trabalha pra viajar. É jornalista freelancer e já escreveu pra Viagem e Turismo, ELLE, Claudia, Vamos LATAM, Superinteressante, Cosmopolitan, VEJA São Paulo, Folha de S. Paulo, entre outras publicações.


Instagram

Há 17 comentários para “Guia completo da Colômbia: como fazer o seu roteiro

  1. Amei, amei, amei!!!
    Estou quase batendo o martelo sobre o meu próximo destino de férias!!!
    Betina, sua linda, que tudo esses seus textos sobre a Colômbia!!!
    Depois vamos falar sobre dias total e em cada destino.
    Beijos e parabéns!!! Arrasou!!
    Soraia

  2. Descobri o site de vocês por acaso e fiquei encantada. Parabéns pela qualidade do conteúdo! Estou com uma dúvida “cruel” em relação ao meu próximo destino de viagem em 2016. Como o dólar está nas alturas, estou privilegiando a América do Sul. A dúvida está entre ir pro Peru ou Colômbia que ainda não conheço. Qual dos dois países a nossa moeda está menos desvalorizada e consequentemente sairia uma viagem barata pra nós? Devo viajar no final de abril e primeira quinzena de maio. A Colômbia tem se tornado um destino cada vez mais procurado pelos brasileiros e me parece ser incrível!

    Beijos!

    Eline.

    1. OI Damares tudo bem? Faz calor o ano todo, mas de julho a novembro há chance de pegar chuva; melhor ir nos outros meses, principalmente para San Andrés.
      Que bom que gosta do blog! Qualquer coisa é só perguntar 🙂

  3. Excelente!!!
    Parabéns pelas dicas.
    Estou indo com a família em janeiro de 2018, ao terei 15 dias. Que acha do planejamento?
    Bogotá: chego sábado e fico até terça. 2 dias inteiroa
    Medellin: chego terça e fico até sexta . 2 dias inteiroa
    Cartagena: chego sexta e fico até terça s manhã. 3 dias inteiros
    San Andrés: chego terça pela manhã e volto sábado a tarde. 3 dias inteiros.
    Obrigada pela ajuda.

  4. Oi Betina. Parabéns pela organização de sempre em seus roteiros.
    A propósito, você passou quantos dias em cada ?
    Um abraço!
    Jonathan

  5. Oi Be! Amo o blog sou super seguidora das suas andanças por ai e uma apaixonada pela Ásia. Porém, esse ano vou tirar menos dias de férias e não poss ir tão longe. Estava pensando na Colombia – Cartagena e San Andres e em ir sozinha como você fez, mas ouvi falar que lá tem mais brasileiro por metro quadrado do que aqui e que as praias são muito cheias e meio farofada, é isso mesmo? Será que uma pessoa que gosta de coisas exóticas, além de paisagens lindas, iria curtir? Bjão!!

    1. OI Amanda tudo bem?? Que legal 🙂 Acho uma ótima ideia de viagem. Eu não fui pra San Andrés, mas uns amigos colombianos têm me falado muito bem de Providencia, acho que vale dar uma pesquisada. Cartagena é lindinha demais, você vai amar. Outra ideia é ir ao Parque Tayrona, que eu amoooo, a umas 3 horas de Cartagena.

  6. Boa tarde
    Parabéns pelo site e gratidão pelas dicas,
    estou indo em junho com meu noivo, iremos de lua de mel
    teremos 19 dias no total, quantos dias vc me recomenda em cada lugar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *