argentina


O que fazer em Buenos Aires, bairro a bairro (com novidades!)

A capital argentina é escolha certa o ano todo. Pra você saber o que fazer em Buenos Aires, selecionamos os três melhores programas de cada bairro.

Pela ampla oferta de voos, comumente com boas tarifas, e a distância curta (3 horas de São Paulo), é fácil e barato chegar à capital argentina, destino da primeira viagem internacional de muitos brasileiros. A farta gama de atrações e restaurantes, sempre se renovando, faz de Buenos Aires a cidade perfeita pra uma visita de fim de semana, de feriado e até de um mês de férias.  Veja o que fazer em Buenos Aires com as TOP 3 atrações de cada bairro.

*Preços: AR$ 4 = R$ 1

LEIA TAMBÉM: 7 incríveis roteiros pra viajar de carro (com mapas!)
9 coisas para NÃO levar na mala e aprender de vez a viajar mais leve!

O que fazer em Buenos Aires, bairro a bairro:

CENTRO

Casa Rosada

casa-rosada

A praça em frente a sede da presidência (Casa Rosada), chamada Plaza de Mayo, já foi palco das lutas pela independência do país e hoje abriga movimentos políticos e ideológicos como o das Madres de Plaza de Mayo, que fazem passeatas exigindo notícias sobre o desaparecimento de seus filhos durante a ditadura militar todas as quintas a partir das 15h30. Atrás fico o Museo Bicentenário (qua/dom 10h/18h), que conta a história da independência. Hipólito Yrigoyen, s/n; sáb/dom e feriados, 10h/18h

Café Tortoni

cafe-tortoni-buenos-aires

Tradicional, de arquitetura luxuosa e ótimo atendimento: assim é o famoso Café Tortoni, inaugurado em 1858. São servidas tábua de queijos e sanduíches, mas o forte da casa são os cafés e doces, como os churros e bolo de maçã. Também vale conferir o café da manhã completo, que vem com medialunas, bolinhos,  misto quente, geleias e muito doce de leite. O tango superexclusivo acontece em um salão separado, de portas fechadas, e é pago à parte em dinheiro: AR$300 por pessoa. Avenida de Mayo, 825; seg/sex 8h/1h, sáb/dom 9h/1h

El Ateneo

el-ateneo

O palco do antigo teatro El Ateneo Gran Splendid já recebeu ídolos como Carlos Gardel,  e, mais tarde, se tornou um cinema. Desde 2000, o edifício passou por mais uma transformação e virou lar de mais de 120 mil obras literárias, divididas em quatro andares (um deles dedicado às crianças). A experiência não fica completa sem uma passadinha na cafeteria, construída onde era o palco: dá pra ver as coxias, as tubulações e toda estrutura original. Avenida Santa Fé, 1860; seg/qui 9h/22h, sex /sáb 9h/0h e dom 12/h22h

SAN TELMO

Feria e Mercado de San Telmo
A extensa feira de artesanato e antiguidades acontece aos domingos, das 10h às 18h, a partir da Calle Defensa, e tem todo tipo de souvernir temático, com estampas de Maradona, Eva Perón e Mafalda. Além dos regalitos, é o choripán que faz sucesso nas ruas: um pão com linguiça apimentada e salsa criola (semelhante ao vinagrete). Descendo pela feira você encontra o mercado de quinquilharias de luxo Galeria de la Inmaculada Concepción, que vende desde câmeras antigas até lustres e objetos de decoração de prata. Seguindo na mesma calçada está o Mercado de San Telmo, com frutas e mais antiguidades em quiosques. No próximo quarteirão fica a Plaza Dorrego, com mesinhas e apresentações de tango ao ar lvire. Calle Defensa, 963; todos os dias 9h/20h

Aldo’s Vinoteca
Mistura de parrilla com restô e loja de vinho, tem menu enxuto, mas com opções bem convidativas: eu fui de bife de chorizo com legumes cozidos e vinho malbec Anko Flor de Cardon. A loja tem mais de 500 rótulos por mais em conta do que em outros estabelecimentos. Calle Moreno, 372; dom/qui 12h/0h, sex 12h/1h e sáb 19h/1h

Aramburu Bis
O que fazer em Buenos Aires: é o restaurante mais casual do chef Gonzalo Aramburu, entre os melhores do país. Espécie de bistrô/cantina, tem decoração moderninha, com prateleiras cobertas de garrafas de vinho. Segue a tendência de usar ingredientes locais e sazonais em receitas criativas. Humberto Primero, 1207; seg/sáb 12h30/23h30

PUERTO MADERO

Fragata Sarmiento

fragata

Construído na Inglaterra, este foi o primeiro navio-escola da Argentina, onde se formaram mais de 23 mil cadetes. Foi transformado em museu em 1964 e depois ancorado em Puerto Madero. Na visita é possível conferir os trajes dos militares, o armamento original, a cabine do comandante, a sala de máquinas e quase todas as áreas comuns. Entrada: AR$ 5. Avenida Alicia Moreau de Justo, dique 3; todos os dias 10h/19h

I Central Market

buenos-central-market

Superdescolado, o lugar reúne restaurante – quem chegar pro café da manhã aproveita um banquete com diferentes tipos de pães e manteiga temperada -, delicatessen com biscoitinhos que parecem feitos por uma vovó argentina, ótimos pra levar durante as caminhadas pela cidade, e mercadinho de utensílios domésticos e artigos de decoraçãoMacacha Güemes, 322 / Olga Cossettini, 1175; seg/dom 8h/0h

Colección de Arte Amalia

coleccion-arte-amalia

O que fazer em Buenos Aires: a coleção pessoal da empresária e filantropa argentina reúne 240 obras. Por lá aparecem nomes como Dalí, Rodin, Gustav Klimt e um retrato da própria Amalia assinado por Andy Warhol, além de quadros impactantes em alto relevo como a La Difunta Correa, de Antonio Berni. Ao final da visita, suba ao terraço pra contemplar a cidade. Entrada: AR$ 70. Olga Cossettini, 141; ter/dom 15h/17h

O que fazer em Buenos Aires, bairro a bairro:

CONGRESSO E TRIBUNALES

Teatro Colón
O que fazer em Buenos Aires: a principal casa de ópera da cidade é deslumbrante. Na visita guiada você contempla, além das esculturas, mobiliário e arquitetura históricos, alguns dos trajes usados em peças e balés como O Lago dos Cisnes (AR$ 180 por pessoa). Pra ter a experiência de assistir a um concerto de ópera no Colón, custa em média AR$ 120. Para as performances de ballet, vai de AR$ 60 a AR$ 1 195, seguindo a lógica do “quanto mais alto o assento, mais barato”. Calle Cerrito, 628; seg/sáb 10h/20h, dom 10h/17h

Bar de Cao
Assim como o Cafe Tortoni, é parte dos “bares notables” de Buenos Aires (considerados patrimônio da cidade), mas infinitamente menos turístico. Datado de 1915, tem piso xadrez e paredes tomadas por armários antigos com garrafas e temperos à mostra, peças de presunto penduradas e recortes de jornal que remetem a seus mais de 100 anos de vida. A especialidade da casa é a “pavita y escabeche”, um sanduíche de peito de peru. É prático porque abre todos os dias o dia todo. Avenida Independencia, 2400; seg/dom 8h/0h

Palacio Barolo
Em 1923, o edifício foi erguido por um arquiteto italiano para o empresário Luis Barolo receber seus convidados. Hoje, o prédio é comercial, mas a visita é imperdível pra observar a cidade do alto de seus 100 metros de altura. O mirante é dividido em três partes, denominadas de acordo com A Divina Comédia de Dante Alighieri: inferno, purgatório e paraíso. Durante o dia, a visita custa AR$ 180 por pessoa. À noite, quando o farol é aceso, sai por AR$ 200 – ou ainda AR$ 340 se preferir o tour de degustação de vinho. Avenida de Mayo, 1370; seg/sáb 12h/20h

PALERMO (passear)

Editor Market

editor-market-buenos

Mix de cafeteria com loja de roupas, eletrônicos, móveis, artigos de decoração, livraria e perfumaria, o Editor Market é um espaço coletivo com marcas famosas e outras que se lançam no mercado independentes. Do tipo de loja que é legal entrar e olhar, mesmo que você não vá comprar nada (os preços são altos!). Avenida Corrientes, 503; seg/sáb 10h/20h, dom12h/20h

Parque 3 de Febrero

parque-3-febrero-buenos-aires

O Ibirapuera de Buenos Aires, também chamado de Bosques de Palermo, fica lotado aos finais de semana, com pessoas fazendo piquenique, praticando esportes, curtindo passeios de pedalinho e o enorme Planetário Galileo Galilei. Veja também o Jardín Japonés, o Jardín Botánico e o colorido Rosedal, lotado de rosas. Avenida del Libertador com Avenida La Infanta Isabel, s/n

MALBA

buenos-malba

Vivem sob o mesmo teto esculturas de cerâmica pré-colombianas datadas de 700 a.C., Tarsila do Amaral e Diego Rivera, exposições temporárias de gente como a brasileira Adriana Varejão. A partir do dia 23/6/2016, a exposição Yoko Ono Dream Come True será a primeira retrospectiva da obra da artista japonesa. Avenida Figueroa Alcorta, 3415; qui/seg 12h/20h, qua 12h/21h

PALERMO (comer e beber)

Frank’s

FranksBar_BA

Um dos bares mais falados da cidade, o Frank’s é inspirado nos speakeasy americanos dos anos 1920: você só entra com uma senha (são liberadas pistas previamente na página do Facebook deles). Depois da senha, liberam a sua entrada pra uma cabine telefônica que dá acesso ao resto do bar, passando por um sex shop (?). Fumantes tragam numa ruinha de paralelepípedos que antecede o salão, com poltronas vintage e sofás. Arevalo, 1445, esquina com Cabrera; qua/sáb a partir das 22h

La Carnicera

la-carnicera

Trata-se de uma parrilla hipster. A carne vem da fazenda do dono e o chorizo e a morcilla são feitos na casa (peça de entrada), assim como o pãozinho. O menu é enxutíssimo, com dois cortes de carne de boi, o peixe do dia e uma opção de carne porco (cada um cerca de AR$ 150), acompanhados de batatas assadas. Nos fundos do salão, com 24 lugares, cobre a parede uma foto (meio desnecessária) de
um sangrento frigorífico. Thames, 2317; ter/sex 20h/0h, sáb/dom 13/15h30 e 20h/0h

Feria de Mataderos

feria-de-mataderos

Mais afastada, em Mataderos, a feira é uma festança de artesanatos, bugigangas e muita comida de rua, com pratos como o delicioso locro (ensopado portenho de milho e carne). Formam-se filas pra comprar uma humita, muito parecida com a nossa pamonha, mas que vem com queijo. No mais é pechinchar e levar lembrancinhas pra casa. Avenida Lisandro de La Torre com Avenida de Los Corrales; de janeiro a março, sáb18h/0h, de abril a dezembro, dom11h/0h

LA BOCA

Caminito
O que fazer em Buenos Aires: o endereço divide opiniões, mas parece ter atingido a fórmula do sucesso pra turistada: casas pintadas de cores fortes, estátuas do Papa Francisco, lojas de souvernir e mesas pra comer parrillas na rua diante de dançarinos de tango em busca de uns trocados. Segure as bolsas: a concentração também trouxe batedores de carteira em peso. De lá pra passar a pé no estádio La Bombonera, do Boca Juniors, e assistir a um clássico.

LEIA MAIS: A imensidão branca de Ushuaia, na Patagônia argentina

Sites confiáveis pra ler resenhas de hotéis – além do Trip Advisor
Feriados de 2016: veja pra onde ir viajar por datas
Gentrificação: você precisa entender essa palavra pra viajar melhor

Usina del Arte
Aberto em 2012, é hoje o mais proeminente espaço dedicado à arte na cidade. Sediado num belo prédio em estilo florentino que já abrigou uma usina elétrica no início do século XX (também dá pra fazer um tour pela construção), hoje tem uma sala de cinema, outra para concertos (vale ir pra um da Orquestra Filarmónica de Buenos Aires), pelas de teatro e exposições de arte. Cheque no site o que está rolando antes de ir. Agustín Caffarena 1, Esquina Avenida Pedro de Mendoza

Fundación Proa
Esta galeria de arte e centro cultural só expõem artistas consagrados: Marcel Duchamp, o brasileiro Hélio Oiticica e o argentino Antonio Berni são alguns dos nomes que aparecem por lá. Completam o passeio sua arquitetura interessante, a vista pro Rio Riachuelo e o Café Proa, restaurante com preço amigo que ocupa o último andar e oferece desde um cafezinho até massas, sanduíches gourmet, pratos de frutos do mar e carnes. Avenida Don Pedro de Mendoza, 1929; ter/dom 11h/19h

O que fazer em Buenos Aires, bairro a bairro:

RECOLETA

Cemitério da Recoleta

Pra quem é adepto do turismo em cemitérios, o local tem túmulos de muitos ex-políticos argentinos e personalidades famosas como Eva Perón. Espalhados pelas alamedas estão quase cinco mil mausoléus de inspiração grega, barroca, art déco. Calle Junín, 1760; 7h/17h30

Palais de Glace

O que fazer em Buenos Aires: edifício de estrutura circular, já foi ringue de patinação, salão de tango e agora é uma galeria de arte com exposições temporárias. Vale tanto pela arquitetura quanto pela qualidade das mostras. Calle Posadas, 1725; ter/sex 12/20h, sáb/dom 10h/20h

La Biela

Pra uma pausa entre as andanças pelo bairro, este tradicional café serve medialunas, torradas e churros acompanham o cafezinho ou chá. Atenção: comer no terraço tem uma diferença de 20% a mais pra cada item do menu. Avenida Quintana, 600; dom/qui 7h/2h, sex/sáb 7h/3h

RETIRO

Palacio Paz
O edifício foi erguido em 1914 pra ser a residência de José Camilo Paz, fundador do jornal La Prensa, mas ficou pronto só dois anos após sua morte (a construção precisou de 12 anos pra ser finalizada). Hoje funciona como sede do Círculo Militar. O tour guiado acontece de terça à sexta-feira, em grupos de no mínimo quatro pessoas e precisa ser agendado com antecedência. O belo Salão de Honras, com sua cúpula de vitral, o Salão Presidencial e de baile são alguns dos locais que fazem valer a visita. Avenida Santa Fé, 750; visitas às terças e sextas às 15h e às quartas e sextas às 11h

Restaurante Elena
Dentro do hotel Four Seasons Buenos Aires (RESERVE AQUI!), a experiência começa no Pony Line, ou pré-Elena, como é chamado o bar com drinks como o tereré (versão fria do mate), alcoólico com rum e tangerina. Depois você é encaminhado “al corazón de Elena”, passando pela cozinha pra observar seu pedido ser preparado na parrilla. Sugiro o camarão grelhado com funcho (lembra erva-doce), e uma taça de vinho malbec D.V. Catena. A conta fica perto dos AR$ 400 pesos por pessoa, mas vale cada garfada. Aos domingos também há buffet de brunch. Hotel Four Seasons, Calle Posadas, 1086; todos os dias 7h/15h30, 19h/0h30h

Plaza San Martín
Árvores floridas dividem a paisagem com um dos monumentos mais importantes da cidade, a estátua do General José de San Martín, herói da independência argentina. Do ponto mais alto da plaza também é possível avistar a Torre dos Ingleses, presente dos britânicos pra celebração do Centenário da Revolução de Maio. Durante a semana a praça é mais calma, mas aos sábados e domingos fica lotada de casais, rodas de amigos, crianças e músicos que se espalham pela grama; ótimo local pra armar um piquenique nos dias ensolarados. Evite a área ao anoitecer, furtos são bem comuns.

francielly-kodama

Dicas da jornalista Francielly Kodama, que normalmente gosta de manter seus achadinhos de viagem pra ela mesma, mas desta vez decidiu compartilhar aqui o que fazer em Buenos Aires com algumas das experiências de sua primeira trip sozinha.

Há 10 comentários para “O que fazer em Buenos Aires, bairro a bairro (com novidades!)

  1. Bom día,
    Somos um casal Colombo – Argentino com tradicão cafeteira e agora abrimos uma nova loja do café en Buenos Aires, Palermo Hollywood.
    A gente aprendeu o barismo na Colombia e oferecemos Cafe Gourmet de diferentes regioes do mesmo. A gente está muito feliz de oferecer este gostoso café a os nacionais e a os turistas que nos visitarem.
    Até mais, O staff de Vive Café
    https://www.instagram.com/vivecafe/
    https://www.facebook.com/ViveCafeTienda/

  2. Vou fazer minha primeira viagem internacional e amo tango, tem alguma dica para que eu possa ir em minhas ferias em maio de 2019? Um roteiro o qual posso ficar uns 7 dias e assistir o tango.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *