MOTIVOS PARA NÃO FICAR EM BARREIRINHAS

Barreirinhas é a capital dos Lençóis Maranhenses, opção mais óbvia e prática de cidade-base para explorar o parque nacional. Mas isso não significa que entrega a melhor experiência de hospedagem do destino, pelo contrário.

São três as bases possíveis para explorar os Lençóis, contando com Barreirinhas. Atins, a 1h dali descendo o Rio Preguiças, é um vilarejo pescador charmosíssimo onde a vibe é de tranquilidade, simplicidade e autenticidade, com pousadas graciosas, praia e lagoas muitas vezes desertas para você curtir sozinho, sem pressa. E Santo Amaro, à mesma distância de carro de São Luís a Barreirinhas, é sem dúvidas o município dono das lagoas mais lindas de toda a região dos Lençóis, das redondinhas pequenas às mais imensas que você vai ver, sempre azuis, algumas cheias o ano inteiro (por estarem situadas mais próximas à região com maior índice de lençol freático do parque). Veja por que você não deve ficar em Barreirinhas e sim eleger outra como sua base para explorar as dunas e lagoas perfeitas dos Lençóis Maranhenses aqui.

7 motivos para NÃO ficar em Barreirinhas

barreirinhas-nos-lencois-maranhenses

1) Barreirinhas não está na parte mais bonita do parque

Motivos para não ficar em Barreirinhas: apesar dos circuitos da Lagoa Azul e da Lagoa Bonita, saídas clássicas desde Barreirinhas, oferecerem paisagens incríveis das dunas e lagoas contrastando, estão longe de ser a parte mais fotogênica dos Lençóis Maranhenses. Isso porque as melhores lagoas estão em Santo Amaro, terceira base oficial do destino. Lá, o lençol freático atua em peso, mais próximo à região das lagoas, formando um tapete infinito de areia e água cristalina, com formações que nunca secam. Fora que as lagoas de Barreirinhas perdem EM MUITO seu charme pelo quesito turístico: é tanta gente que o lugar fica farofa (leia o próximo item para entender melhor).

LEIA MAIS: Dicas dos Lençóis Maranhenses: um guia completo para organizar a sua viagem

2) Suas lagoas são turísticas (leia-se: cheias) demais

Mais de 100 mil visitantes passam pelos Lençóis Maranhenses anualmente. Número de 2018 que cresceu 46% se comparado ao ano anterior. E a grande, grande, maioria deles se concentra em Barreirinhas. Por ser a base óbvia, mais rápida e fácil de chegar, com a maior oferta de serviços dos Lençóis. O que se traduz em caravanas turísticas carregando centenas de pessoas diariamente para explorar essa porção do parque nacional. Em Barreirinhas, você jamais vai ter um momento a sós com a paisagem, diferentemente de como acontece em Atins e Santo Amaro, por exemplo. É que é tanta gente que vem com pacotes turísticos e em bate-voltas desde São Luís que, em alguns dias, suas lagoas lembram até um Piscinão de Ramos. Fora os problemas ambientais causados pela lotação: na época da seca, quando as chuvas cessam e as lagoas principais precisam se manter por meses com a mesma quantidade de água, o excesso de protetor solar e xixi tornam a água turva e com um odor desagradável.

motivos-para-nao-ficar-em-barreirinhas

3) Você vai precisar fazer caminhadas consideráveis nas dunas para chegar às lagoas (mesmo com os jipes turísticos)

Motivos para não ficar em Barreirinhas: como a cidade está mais distante do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses do que Atins e Santo Amaro, 1) para chegar na região das lagoas você precisa andar um trajeto considerável, de mais de 1h, de 4×4, e 2) são mais 40 minutos no mínimo andando nas dunas para chegar nos circuitos turísticos da Lagoa Azul e da Lagoa Bonita. Complica quando o sol está escaldante. É importante entender que claro que para alcançar certas lagoas, independentemente da base em que estiver, vai ser preciso caminhar entre as dunas em algum momento, mas em Atins e Santo Amaro, municípios colados ao parque nacional, você chega nas primeiras lagoas em cerca de minutos caminhando desde o centro da cidade. Vantagem e tanto para não se cansar à toa.

barreirinhas-suja

4) A cidade não tem charme nenhum

Barreirinhas é uma cidade feia. Centrinho brega, cheio de comércios simples, populares e sem graça, com fachadas neon, vendedores ambulantes comercializando balões e buzinas, carros passando com alto-falantes potentes tocando o maior funk no burburinho turístico, sirene da polícia indo e vindo. A poluição visual e sonora realmente atrapalham bastante a experiência. E Barreirinhas infelizmente concentra ruas, dunas e partes sujas. Se fosse a única opção de base nos Lençóis, ok, mas aí vem Atins e seus encantos e você realmente perde a vontade de ficar numa cidade como Barreirinhas.

5) É o roteiro comum, sem autenticidade

Motivos para não ficar em Barreirinhas: se você for em qualquer agência ou operadora turística atrás de um pacote para os Lençóis Maranhenses, o roteiro com certeza vai englobar hospedagem em Barreirinhas. De novo: é a opção óbvia, o itinerário popular, o que a maioria das pessoas conhece. Por falta de pesquisa, pela facilidade e, em partes, pela menor infraestrutura dos outros destinos-base. Mas é só sair da caixinha um pouco e conhecer Atins e/ou Santo Amaro que qualquer um volta impressionado com a diferença entre o clima dos municípios. Fora que você vive momentos mais intensos na amplitude do parque, volta com fotos mais bonitas, faz passeios autênticos… Pode compartilhar experiências diferentes do tradicional que deixam todo mundo babando no fim. Você até pode passar por Barreirinhas durante a sua viagem, mas não tem quem não se arrependa dos dias gastos ali quando muda de base para Atins, por exemplo.

6) Suas pousadas são básicas, consideravelmente sem graça

Tudo que Barreirinhas tem de infraestrutura, tem de falta de charme. E isso se reflete inteiramente em suas pousadas e hotéis, simplórios, básicos, mornos. Oferecem o conforto mínimo, mas nenhuma graça além disso. Barreirinhas tem até um “resort”, quebrando totalmente a vibe do destino, o Porto Preguiças Resort. Claro que se a sua praia é essa, você vai acabar curtindo a estadia, mas quem procura um roteiro de ecoturismo para os Lençóis Maranhenses normalmente quer uma experiência puramente ecológica, que te põe em contato com o meio-ambiente, que combina com o lugar visitado. Mas vale salientar que há as exceções: se escolher ficar em Barreirinhas, pesquise sobre as pousadas Sossego do Cantinho e a Encantes do Nordeste.

porto-preguicas-resort

7) Fica cansativo fazer os passeios mais legais, distantes dali

Motivos para não ficar em Barreirinhas: além das lagoas mais bonitas não estarem ali – e se você fizer questão de visitá-las vai precisar fazer um passeio de dia todo à Santo Amaro e passar pelo menos 3h no carro indo e vindo -, o passeio pelos povoados de Vassouras e Caburé, ao longo do Rio Preguiças, fica mais próximo de Atins, a deliciosa região do Canto de Atins que serve os melhores peixes do parque nacional nos restaurantes do Antônio e da Luzia também estão em Atins e circuitos de quadriciclo pelos Pequenos Lençóis ficam igualmente mais perto de Atins. O único passeio que sai de Barreirinhas é o boia-cross pelo Rio Formiga (um tanto quanto dispensável).

lencois-maranhenses-nao-fique-em-barreirinhas

MOTIVOS PARA NÃO FICAR EM BARREIRINHAS

…Mas há as exceções:

Se Barreirinhas for a sua única opção viável de base para explorar os Lençóis, ok. Aqui, os casos em que tudo bem deixar Atins ou Santo Amaro para uma próxima viagem.

  • Quem vai de bate-volta desde São Luís e quem fica pouco tempo e tem somente um ou dois dias apenas para conhecer o destino (e, consequentemente, precisa optar pelo roteiro rápido e comum)
  • Quem quer, a todo custo, viajar de pacote turístico com agência ou operadora tradicional (a hospedagem em 90% deles vai ser em Barreirinhas)
  • Quem não abre mão de estar numa área urbana com serviços, comércios, restaurantes variados, bares com vida noturna, farmácia, posto médico e até hospital
  • Quem não quer perder tempo pesquisando que pousada tem ar-condicionado, se tem sinal telefônico, se o Wi-Fi é o melhor da vida: toda a rede de hospedagem em Barreirinhas conta com ar e boa conectividade, enquanto em Atins e em Santo Amaro você precisa checar para se certificar de que vai encontrar ambos (não são todos os estabelecimentos que oferecem ar e têm sinal)
  • Quem quer economizar o máximo possível: a estadia em Atins acaba sim saindo mais cara devido ao fato do vilarejo estar isolado e ter infraestrutura limitada
Motivos para não ficar em Barreirinhas: queremos saber a sua opinião! Você já visitou Barreirinhas? O que achou da cidade? E Atins e Santo Amaro? Compartilhe com a gente as suas impressões aqui nos comentários 😉

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

1 comentário

Deixe seu comentário

voltar ao topo