Bate-volta de Roma a Pompeia

Pompeia tem o poder de impactar os visitantes com a sua história de destruição e, ao mesmo tempo, conservação. Era 79 d.C. quando o vulcão Vesúvio entrou em erupção durante a madrugada, acordando os moradores da região e arrasando a cidade por completo.

Hoje, tem-se a oportunidade de andar por suas ruas, observar as ruínas preservadas e descobrir esse intrigante pedaço da história que se deu ali.

Para aqueles que não tiverem a oportunidade de ir até Nápoles e explorar o sul da Itália mas têm um dia extra em Roma, Pompeia pode ser uma boa pedida de bate-volta. Apesar de ser um passeio cansativo, a riqueza do sítio arqueológico recompensa o deslocamento no fim.

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

Como ir para Pompeia de trem

Para fazer um bate-volta de Roma a Pompeia, existem algumas opções de viagem de trem, que variam de 1 a 3 horas de viagem, e de quebra, proporcionam uma linda paisagem pela janela – e a experiência de andar num trem-bala. As empresa mais conhecidas são a Trenitalia e Italo, sendo a última a mais barata. Você pode adquirir as passagens online ou se dirigir à estação Termini, onde existem diversos totens de compra. Chegando na estação Napoli Centrali, já se tem o fácil acesso para a linha de trem Circumvesuviana, que faz o trajeto de Napoli aos centros turísticos da região. Para isso, é necessário a compra do ticket de trem comum, que custa em torno de € 2,60. Vá para a plataforma em direção a Pompei Scavi Villa. Preste atenção nas estações e direções, pois existem quatro paradas com o nome Pompeia, mas a mais próxima da cidade é a Pompei Scavi Villa Misteri, que lhe deixa a poucos metros do portão de entrada.

Uma vez lá, há um choque com a situação em que se encontra a estação. Vagões pichados, água caindo do teto e uma estrutura que deixa muito a desejar. Além disso, o estado de conservação dos trens também não é bom, e para aqueles que vão pegar o verão europeu, não há ar-condicionado. Mas são apenas 40 minutos de viagem e vale a pena para admirar a beleza da eterna cidade de Pompeia.

DICAS

*É recomendável comprar as passagens antes, pois às vezes acontece de aumentarem o preço no dia. E, é claro, sempre há o risco de não ter mais lugares disponíveis.

*Os trens costumam sair de Termini. Recomendo pegar o que sai às 6h26, para assim poder desfrutar um maior tempo da cidade. Fique de olho no relógio, porque eles são extremamente pontuais na saída.

LEIA MAIS: Primeira vez na Itália: como fazer um roteiro de duas semanas de trem

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

Quando ir a Pompeia

Por ser uma atração turística muito procurada, meses de férias e de alta temporada (junho, julho e agosto) tendem a concentrar um maior número de visitantes. Tanto o verão quanto o inverno têm seus prós e contras. Nos meses quentes, o sol batendo na cabeça desanima um pouco, e as ruínas costumam ficar mais lotadas. Já durante os meses mais frios, o risco de chuva e ventos fortes é uma possibilidade, então vale ficar atento à previsão do tempo.

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

O sítio arqueológico de Pompeia

Agora você está pronto para desfrutar dos mais de 660 mil metros quadrados da cidade. Pode-se optar tanto por adquirir o ingresso online antecipadamente por uma taxa extra de cerca de € 3, ou esperar na fila e fazer a compra no ato, pelo valor de € 15. As filas são longas, então, se estiver disposto a pagar mais, o ticket fura-fila é uma boa saída.

Logo na entrada, você pode (e deve) pegar o mapa da cidade que contém a descrição de cada uma das principais ruínas. Se possível, vale dar uma pesquisada nos lugares que mais te interessarem, porque o sítio arqueológico é grande e você pode perder um bom tempo andando sem direção. No mapa, existem rotas prontas de 2 até 7 horas de duração. Além disso, você também pode adquirir o audioguia ou contratar um guia particular.

O primeiro itinerário proposto tem cerca de 2 horas e atinge o Fórum dos cidadãos e a Villa dos Mistérios, com os vestígios de estabelecimentos que rodeavam a cidade como padarias, mercados e até mesmo casas de banho. Esses são os básicos, não deixe de visitar. O segundo tem aproximadamente 3 horas e meia e abrange as atrações citadas anteriormente, com a inclusão das casas aristocráticas de duas das sete regiões disponíveis para visitação, além dos Teatros e o Antiquarium. O interessante é ficar atento aos detalhes e reconhecer cada pedaço com pinturas super conservadas e coloridas.

Já as opções de 5 e 7 horas, além de cumprir com os pontos já citados avançam para áreas menos frequentadas, como a ruela situada no lado meridional. Os visitantes costumam se interessar muito pelos famosos corpos petrificados, mas, ao contrário do que vemos nas fotos na internet, a quantidade espalhada pela cidade é pequena (a maioria está no Museu Arqueológico de Nápoles). Os que restam por lá impressionam pelas expressões e posturas que indicam desespero e apreensão do momento em que a lava atingiu a cidade.

*Caso fique um dia a mais, vale a visita ao Museu Arqueológico, Lá você encontra pinturas, ruínas, objetos e esqueletos que foram retirados do arquipélago.

Aplicativo Pompeii 3D

Uma solução interessante que o turismo local disponibilizou para aqueles que não conseguem imaginar muito apenas com as ruínas, é um aplicativo 3D que proporciona uma visão mais real de como era a cidade antes da explosão do vulcão.

Ele funciona da seguinte maneira: você indica onde está, aponta para a casa ou ruína, e ele te dá na hora uma versão virtual de como provavelmente ela era antes da destruição. O aplicativo custa um dólar, e com certeza vale o precinho, mas a dica é fazer o download dele no seu hotel, porque apesar de existir Wi-Fi dentro do local, ele é muito disputado e não carrega aplicativos os sites muito pesados.

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

Dicas práticas para visitar Pompeia

Para poder desfrutar de um passeio ainda mais gostoso e sem perrengues, aí vão algumas dicas:

Não abra mão de um bom calçado. A cidade mantém boa parte da sua estrutura antiga, e o chão foi uma das áreas não modificadas. Por essa razão, andamos todo o tempo em um piso de pedras – também conhecido como basolato. Elas, além de serem irregulares, também são escorregadias quando em contato com a água, por isso tem que prestar muita atenção na caminhada.

Grande parte da visitação é feita a céu aberto, então atente para o período do ano em que a visita está sendo realizada. No verão, garrafas de água, bonés e roupas frescas são indispensáveis. Já, no inverno, é recomendado guarda-chuva e acessórios que te protejam do vento, que não dá trégua na região.

LEIA MAIS: Arrumando a mala: veja o que levar pra Europa neste verão
Como montar uma mala de viagem consciente, prática e eficiente

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

Onde comer em Pompeia

O passeio é cansativo e, depois de um certo tempo, a fome começa a bater. A única lanchonete dentro de Pompeia fica logo na entrada, e dispõe de opções de lanches, pizzas e massas para forrar o estômago. Ou programe o tempo para comer enquanto ainda estiver ali, ou leve algo para ir petiscando na bolsa (o mais indicado). Esses lanchinhos você pode comprar nos supermercados de Roma, perdendo menos tempo procurando algo legal pela região. Para se manter hidratado, há bicas de água espalhadas por todo local.

LEIA MAIS: Onde comer bem em Roma sem gastar muito: 12 lugares espertos
Um passeio por Pisa, na Itália: o que ver e onde comer

Onde comer em Nápoles

Para aqueles que optarem por um passeio mais curto, e desejam comer algo mais gostoso e elaborado, o centro de Nápoles está logo ali para desfrutar algumas das melhores massas e pizzas italianas. Não é a melhor opção deixar para jantar em Nápoles, já que o último trem deixa a cidade por volta das 21h30, e é preciso chegar com um pouquinho de antecedência.

Pizzaria Da Michele

A pizzaria virou uma das mais famosas de Nápoles, arrisco dizer que até do mundo, depois que apareceu no filme Comer, Rezar e Amar. A margherita é a clássica.

EVO 50 Pizzeria

Essa é mais uma bela indicação de pizzaria local, com grande variedade de sabores e um tempero que faz muitos voltarem para uma segunda dose.

Umberto Di Napoli

Um antigo restaurante da região, que além de proporcionar um ambiente caseiro e aconchegante, serve todas das principais delícias de Nápoles, como massas, frutos do mar e pizza.

BATE-VOLTA DE ROMA A POMPEIA

Onde ficar

Se um dia em Pompeia é pouco, ou se prefere aproveitar o passeio mais tranquilo, sem ter que pegar os trens para voltar à Roma, vale passar pelo menos uma noite por ali.

Hotel Una (diárias desde US$ 105)

Um excelente custo/benefício para a estadia em Nápoles. Bem localizado, o hotel fica na parte histórica da cidade, a apenas 5 minutos a pé da estação de trem central – inclusive, algumas suítes possuem sacadas com vistas lindas da região. Também há restaurante e bar no terraço.

Hotel Fórum (diárias desde US$ 115)

Sua entrada já cria a atmosfera de uma cidade italiana com um arco bem construído. Essa opção é para quem não quer se afastar de Pompeia, já que ele está localizado na entrada oposta à cidade petrificada e a 200 metros da estação de trem. Os quartos são espaçosos e bem cuidados, e há jardim, restaurante, bar e um solarium.

Grand Hotel Vesúvio (diárias desde US$ 335)

É uma elegante estadia cinco-estrelas localizada de frente para o mar, com vista para o Golfo de Nápoles, a Ilha de Capri e o Monte Vesúvio. Os quartos possuem uma decoração clássica italiana, com móveis vintage e cortinas bufantes. Ainda há piscina coberta, academia, banheira de hidromassagem e saunas.

Pietra Palma

Estudante de jornalismo e aspirante a viajante profissional aqui no Carpe Mundi. Férias, feriados e finais de semana são sempre oportunidades para conhecer uma nova cultura, um novo lugar, um novo espaço. Gosta de colecionar momentos e pedaços desses caminhos através da escrita e acredita que uma boa viagem tem o poder de reanimar a alma.

Deixe seu comentário

voltar ao topo