oceania


3 países da Oceania que você não sabia que existiam (e suas curiosas histórias)

Quando a gente pensa em Oceania,

vêm logo à mente a Austrália e seus corais, praias e cangurus, e a Nova Zelândia, com paisagens de O Senhor dos Anéis, bungee jumping e cultura maori. Só que depois das duas estrelinhas, o continente ainda tem outros 12 países dignos de reconhecimento. Três deles, Nauru, Tonga e Tuvalu, têm histórias curiosas por trás de seus mares cristalinos, praias de areia branquinha e calor o ano todo.

CONHEÇA 3 PAÍSES DA OCEANIA QUE VOCÊ NÃO SABIA QUE EXISTIAM E SUAS HISTÓRIAS MAIS QUE CURIOSAS:

feriados-2016

Nauru

oceania-pais-nauru O menor país insular do mundo tem apenas 21 km² e 12 mil habitantes – é menor que Fernando de Noronha. Pra se ter uma ideia, dar uma volta completa na ilha leva menos de 30 minutos (deve ser o ilha-tour mais curto que existe). Inicialmente colonizado por alemães, passou pelas mãos dos britânicos e dos japoneses antes de se tornar independente em 1968 (não se espante se ainda hoje achar um tanque de guerra largado na rua). Viajar a Nauru requer muito planejamento, já que o aeroporto só abre uma vez por semana. Mas vale a pena pra encontrar praias verdadeiramente desertas com águas cristalinas nas quais bem pouca gente já pisou, como a bonita Anibare Bary.

Tonga

tonga-oceania Este arquipélago de 170 ilhas e ilhotas paradisíacas não tem uma realidade social tão bonita como suas paisagens naturais: é o país com a maior taxa de diabetes do mundo (40% de 110 mil habitantes). A razão do índice alarmante? A carne que chega a Tonga é a sobra das exportações da Nova Zelândia – a porção rejeitada, imprópria pro consumo. Mas calma que o lugar tem também suas bênçãos: são as praias de areia branquinha de Ha’atafu Beach, os buracos que “explodem” em contato com o mar na Mapu’a ‘a Vaea e as cavernas aquáticas de Anahulu Cave. E mais uma curiosidade: na cultura da ilha, quanto mais rechonchudas forem as mulheres, melhor.

Tuvalu

tuvalu-oceania País que encabeça a lista dos destinos que… podem desaparecer do mapa ainda neste século. Tuvalu tem uma triste e curiosa relação com a água: enquanto tem seus dias contados pelo avanço do Pacífico Sul, a seca (de água doce) constantemente o leva a declarar estado de emergência. Mas os tuvaluanos não deixam as más previsões abater: seu jogo oficial, o te ano, espécie de vôlei que tem como objetivo manter a bola no ar o máximo de tempo, é febre nacional. Resta lembrar: se há um momento certo pra visitar o local e mergulhar em seu mar cristalino com ilhas formadas por corais (os melhores spots estão na Funafuti Conservation Area), a hora é agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *