espanha


Barcelona pra iniciantes: os 10 programas que você precisa fazer

O que fazer em Barcelona: na cidade mais alegre da Espanha, a brisa do mar corre entre os boulevares animados, os mercados apinhados de gente, as construções singulares de Gaudí, os bares de tapas, as ruelas do bairro gótico, a vida noturna intensa. Aqui, os programas essenciais pra quem vai pela primeira vez mesclados a dicas insiders.

LEIA TAMBÉM: Conheça Segóvia, bate-volta desde Madri
3 dias em Madri: roteiro completo pela capital da Espanha
O que levar na mala pra Europa no inverno

O QUE FAZER EM BARCELONA PELA PRIMEIRA VEZ:

1 – RAMBLAS

É cheio de gente? É! É turístico? Ô, se é! Mas não tem nada mais barcelonês que um passeio pela Rambla, a longa alameda que vai da Plaça Catalunya ao monumento a Colombo, no porto. Vendedores ambulantes, artistas de rua, lojas de souvenirs, cafés, restaurantes, livrarias, floriculturas, mercados; tudo junto e misturado convive entre a sombra das árvores. Pare pra uma boquinha no Café Viena, onde o New York Times elegeu o melhor sanduíche de presunto cru da cidade.

LEIA TAMBÉM: Veja ideias (óbvias e outras nem tanto) de como gastar o tempo dentro do avião

10 mercados de Natal que você não pode perder nestas férias pela Europa

2 – GAUDI EVERYTHING

Pode parecer óbvio, afinal Barcelona respira Gaudi. Mas é sempre bom lembrar: vá em TUDO que o arquiteto colocou as mãos. Eternamente em obras, a Sagrada Família compete pra ser a igreja mais impressionante da Europa, com suas fachadas com uma quantidade estarrecedora de detalhes que receberam adornos que remetem a elementos da natureza e ao povo e à cultura catalães. O fotogênico Parc Güell (foto de capa) é o campeão em aparições nos Instagram: concebido numa colina pra ser um condomínio de casas de luxo, virou uma gostosa área de lazer com jardins e pavilhões enfeitados pelas cores de Gaudí. Lá dentro também tem fica a Casa Museu Gaudí, na casa onde ele viveu entre 1906 e 1925. Dá pra aproveitar que as casas modernistas Milà (ou La Pedrera) e Battlò são pertinho uma da outra e visitá-las na mesma tarde. A primeira cativa com sua fachada curva e ausência de ângulos retos, com um terraço com formas excêntricas que ficam bem na foto. Battló, uma das últimas obras de Gaudí, é uma doidera de ferros retorcidos e azulejos multicoloridos.

3 – GRÀCIA

Se você quer vivenciar Barcelona como um local, alugue um apê em Gràcia. É o bairro menos turístico, mesmo o Park Guell ficando logo ao lado. Ali você vai observar os hábitos reais de quem mora na cidade, se deparar com todas as bandeiras separatistas da Catalunha penduradas nas janelas e dar de cara com estabelecimentos fechados na hora da siesta – isso é mais raro em bairros mais voltados aos turistas. Dá até para ir ao cinema e assistir filmes legendados (a maioria dos cinemas em Barcelona tem filmes dublados em catalão!) na Carrer Verdi, uma das mais fofas do bairro, cheia de lojinhas e restaurantes. Ah, dica gastronômica do bairro: coma o melhor arroz negro da sua vida no Envalira, na Plaça del Sol, 13.

gracia

4 – BARES

Beber em Barcelona é muito fácil, você pode parar em qualquer boteco e pedir uma clara (cerveja + refrigerante, sim, eles bebem isso!) ou experimentar as cavas locais, versões espanholas das champanhes francesas. Pra primeira, opção qualquer canto serve. Já pra cavas, o point imperdível é o Can Paixano (também chamado de La Xampanyeria), que fica na Carrer de la Reina Cristina, 7. É um bar apertado que vive cheio, mas a produção de cava é deles mesmos e os sanduíches e embutidos valem o empurra-empurra. Se quiser conhecer um dos bares mais tradicionais da cidade, vá ao Marsella, aberto em 1820 (!). É um salão meio eu caindo aos pedaços, o que chama atenção ali é o absinto. A bebida é servida por garçons que parecem trabalhar no bar desde sua inauguração e que explicam direitinho como se consome o destilado – envolve um torrão de açúcar, uma garrafa de água e até um isqueiro. Vale a experiência. Pra dançar e beber drinks com pegada latina, dê uma passada no El Bombon, na Carrer de la Merce,13bis, ótima pedida para um esquenta antes da balada.

tapas

5 – TAPAS & OTRAS COSITAS MÁS

Tapear é lei em Barcelona; dificilmente você vai pedir um prato principal. A ideia é experimentar de tudo um pouco e dividir as porções entre amigos. Todo bar serve tapas mas, se precisar escolher, anote esses dois nomes na agenda: Cerveceria Catalana, mais em conta, e o Tapes 24, mais carinho, mas bem delícia. Imperdível é se esbaldar de pan tumaca, o pão com tomate, iguaria local. Pra comer frutos do mar, ainda no esquema de tapas, vá ao Bar Celta Pulperia e peça o “pulpo a la gallega”, um polvo servido inteiro, temperado com páprica. Dica insider: os espanhóis têm fama de bravos e não curtem quem pede prato para as tapas. Coma com as mãos, direto da porção.

LEIA TAMBÉM: 9  hostels lindos pra ficar em Lisboa
As melhores praias de Portugal: Algarve e Alentejo
5 bate-voltas de até 1h30 pra fazer desde Paris

Tatuagens de viagem incríveis pra você se inspirar

6 – BALADAS

O que fazer em Barcelona: a noite começa tarde; as baladas só vão encher lá pelas duas da manhã. É um costume local ficar até essa hora nos bares e só depois, quando eles fecham, seguir pra balada. Então não chegue antes, ou vai encontrar tudo às moscas. Uma lenda de Barcelona é a Razzmatazz, balada giga que tem tantas salas que é impossível não encontrar algum estilo musical que te agrade. Em noites de pouco movimento nem todos os espaços abrem, mas sempre vale a pena. Para festas mais descoladas e alternativas a pedida é a Nasty Mondays, que toca rock às segundas-feiras na Apolo. Para as baladas mais top, vá ao Passeio Marítimo, onde fica a Opium, uma das casas mais conhecidas da cena festeira de Barcelona.

7 – MERCADOS

O que fazer em Barcelona: claro, visitar a Boquería, mercado mais famoso da cidade, localizado nas Ramblas, é obrigatório, mas inclua o Santa Caterina e o Princesa no roteiro também. O primeiro é ideal para comprar frutas, legumes e, se você tiver espaço e tempo pra cozinhar, até peixes frescos. Já o Princesa, no Born, é um mercado de tapas, com restaurantes e mesinhas que convidam para a sentar e matar um tempo no almoço ali provando várias diferentes.

mercado-santa-caterina

8–MONTJUIC

O que fazer em Barcelona: separe uma manhã ou tarde prolongada pra esse passeio. A colina, situada na zona sudoeste da cidade, tem uma bela vista da cidade e abriga várias atrações legais. Comece pelo Museu Nacional de Arte da Catalunha. É imperdível? Não, não é, mas fica em um palácio bem bonito. Siga viagem pra Fundação Joan Miró e aí pode gastar umas horinhas. Criada pelo próprio Miró em 1975, abriga telas e esculturas que permitem traçar um percurso cronológico pela vida do artista. Depois dê uma passada pelo Jardim Botânico de Barcelona e pegue o teleférico para o Castelo de Montjuic, que fica no topo da colina. Na descida. passe pelo Complexo Olímpico, que sediou os jogos de 1992. Termine o dia com o show das águas na Fonte Mágica – confira os horários, que mudam dependendo da estação.

9 – BAIRRO GÓTICO

Na Cidade Velha, cheio de becos e vielas escuras, é o bairro mais icônico da cidade. Veja bem, mais de 500 construções dessa área são tombadas, ou seja, tudo ali é histórico e foi importante pra fundação da cidade. A parte mais legal é que muitas ruas são exclusivas pra pedestres, então a gente anda livremente entre as lojinhas e restaurantes. Comece o passeio pela Catedral de Barcelona, uma igreja gótica que levou 800 anos pra ser inaugurada – e, ao contrário da Sagrada Família, ficou pronta! Olhando de frente pra igreja, siga pelas vielas à esquerda e se perca por ali. Você vai passar pela Carrer del Bisbe, que leva até a Plaza Sant Felipe Neri, um dos lugares mais góticos do bairro, e outros interessantes como a Carrer Petritxol, a Plaza Del Pi e a Carrer Portaferrisa. Ali também fica o Museu Picasso, que guarda as versões que ele fez de As Meninas, de Velázquez. No começou ou no fim do passeio, veja o Parc de la Ciutadella.

churros

10 – CHURROS

O que fazer em Barcelona: esqueça os churros brasileiros, ok? Os doces aqui não vêm recheados de doce de leite. Aliás, nem tem doce de leite envolvido! Apenas siga essa ordens: peça uma porção de churros e um suizo. E se delicie. O suizo aqui é uma xícara de chocolae beeeem espesso, pra mergulhar as tirinhas fritas e passadas no açúcar. Os melhores da cidade são Granja ViaderGranja La Pallaresa, nas Ramblas, e La Nena, em Gràcia.

LEIA TAMBÉM: Suba aos Alpes suíços na cênica região de Jungfrau, a base pra ir ao Top of Europe

marina

Dicas da jornalista Marina Domingues, que morou um ano em Barcelona e tem saudades do arroz negro do Envalira todos os dias ->
@stealthelook.marina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *