estados unidos


Um passeio por Celebration, a cidade cinematográfica criada pela Disney

Conheça Celebration, em Orlando, a cidade perfeitinha criada pela Disney.

O que é Celebration, em Orlando?

Walt Disney tinha o sonho de construir uma cidade-modelo futurista chamada EPCOT (Experimental Prototype Community of Tomorrow). Depois de sua morte, a ideia acabou virando o parque temático. Mais tarde, o projeto foi tirado do papel em forma de Celebration, mas bem diferente do que tinha sido pensado pelo Walt: virou um agrupamento urbano perfeitinho que mistura estilos arquitetônicos (vitoriano, colonial, clássico) comuns no norte dos Estados Unidos (até o paisagismo foi pensado com esse fim – ali não tem as palmeiras típicas da Flórida, e sim carvalhos e pinheiros), inaugurado em 1994.

Casas bonitonas são organizadas ao redor de um centrinho compacto com um lago, entre calçadas arborizadas e plataformas e caminhos que correm entre os pântanos (onde por vezes você vê um jacaré tomando sol). Cerca de 9 mil pessoas vivem ali hoje – uma das casas pertence a ninguém menos que Silvio Santos. A Disney Company ainda é indiretamente proprietária da área. O resultado geral é, como tudo na Disney, artificial, mas bonito e bem-cuidado. Alguém falou em cenário de Black Mirror, e é meio isso. Deve ser meio perturbador morar ali.

celebration-orlando-casa

Onde fica Celebration, em Orlando?

No município de Kissimmee, bem perto dos parques da Disney (o Hollywood Studios está a 9 minutos de carro). Inclusive alguns escritórios da Disney ficam ali.

Como encaixar Celebration, em Orlando, na minha viagem?

A saber, esse não é um passeio para quem está indo à primeira vez a Orlando num roteiro corrido de 7 dias. É mais para quem está fazendo temporadas longas na cidade ou está na segunda (ou terceira, ou quarta) viagem e quer conhecer uma área diferente de Orlando. Como não tem taaaanto assim para fazer por lá, programe para ir na hora de uma refeição, de preferência almoço, para ver o lugar direito.

O que fazer em Celebration, em Orlando?

O centrinho da cidade é basicamente ao redor da Market Street e da Front Street, onde tem um lago com velhinhos tomando sol em volta e o Market Street Café, uma lanchonete com todas aquelas delícias tipo waffles, ovos e panquecas para um café da manhã ou brunch.

Vale a pena embarcar num passeio de bicicleta da Celebration Bike Rental. Você pode só alugar um bike (US$ 15 para duas horas) ou fazer o tour guiado (mande um email para info@celebrationsurrey.com para reservar). Esses tours levam por caminhos gramados entre as casas e tem guias nascidos ali (e falar com eles já é uma experiência antropológica por isso) que te contam sobre as peculiaridades da cidade.

celebration-orlando-bike

Depois, você pode ver as lojinhas da rua principal e escolher outro lugar para comer: o Ari Sushi tem especialidades japas e coreanas, e a Kilwin’s é uma doceria fofa cheia de balas e chocolates. O sorvete de s’mores é mara. De noite, a melhor pedida é o Imperium Food and Wine, um wine bar com carta de vinhos recheada e “short breads”, espécie de pizzinhas, com vários recheios. Se você estiver lá aos domingos vale dar uma olhada no Farmer’s Market, que funciona das 9h às 14h com pequenos produtores de frutas, legumes, pães, queijos, entre outras coisinhas.

É possível conjugar Celebration com uma visita ao The Paddling Center, a 15 minutos de carro. No bonito riacho Shingle Creek, no município de Kissimmee, a paisagem natural parece estar a anos-luz dos parques de Orlando. Esse lugar oferece aluguel de caiaque e stand up paddle para você remar na água verdinha entre caminhos de ciprestes e carvalhos. Dá para ir por conta própria ou participar de tours guiados – desde US$ 13 a hora.

LEIA MAIS SOBRE ORLANDO E MIAMI NO CARPE MUNDI:

Por que alugar casa em Kissimmee, vizinha de Orlando
O que fazer em Orlando além dos parques: 10 programas
Miniguia de alimentação em Orlando
Onde ficar em Orlando: hotéis selecionados
O que fazer em Miami além das compras
Onde comer e beber em Miami: os melhores points
Melhor época pra ir a Miami mês a mês

paddle-center

*O Carpe Mundi foi à Flórida a convite da Experience Kissimmee. Este post reflete apenas a opinião da autora.

A autora

Betina Neves

Betina Neves

Editora do Carpe Mundi, viaja pra trabalhar e trabalha pra viajar. É jornalista freelancer e já escreveu pra Viagem e Turismo, ELLE, Claudia, Vamos LATAM, Superinteressante, Cosmopolitan, VEJA São Paulo, Folha de S. Paulo, entre outras publicações.


Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *