planejamento


Os melhores sites pra aluguel de temporada (não tem só Airbnb!)

Alugar apartamentos e casas em vez de ficar em hotéis está cada vez mais comum. Pegou tanto que surgiram diveeeeeersos sites que fazem isso. Não é só mais o Airbnb, o pioneiro e o maior de todos.

Existe agora até um AGREGADOR de sites (uma espécie de Decolar dos sites de aluguel), chamado Tripping, que procura em 18 (!!) sites diferentes (o que não inclui o Airbnb). Eu particularmente acho que fica uma salada de opções e que o aluguel é um assunto ainda meio delicado pra colocar mais um intermediário no meio: quanto mais gente envolvida no serviço, mais difícil é de resolver qualquer problema – já vi dar muita zica entre o próprio Decolar e companhias aéreas, por exemplo.

Aqui vai um apanhado dos sites pra aluguel de temporada mais bacanas, o imbatível Airbnb e outros serviços bem ~diferenciados~. O mais legal é a curadoria de imóveis que cada um faz.

LEIA TAMBÉM: Dicas de ouro pra alugar apartamento no Airbnb e outros sites
14 apartamentos lindos e baratos em Paris
3 sites pra ler resenhas de hotel além do Trip Advisor
11 livros excelentes pra viajar sem sair de casa

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Airbnb

Criado em 2008 nos Estados Unidos, ele revolucionou o esquema de aluguel de apês e casas para viajantes mundo afora – hoje são mais de 2 milhões de imóveis cadastrados, que vão de casas de campo a castelos. Ele tem a interface mais bonita de todas, avaliações de outros hóspedes, descrição bem completa do imóvel, fotos lindas (os caras oferecem um fotógrafo profissional de graça para quem está alugando), um mapinha com a localização do imóvel e às vezes até um mini guia da região. Super profissa. Também dá ênfase para o perfil do proprietário, que tem descrição, fotinho e avaliações.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

HomeAway

Existe desde 2005 com anúncios de forma de classificados. Com o passar dos anos atualizou a plataforma, que agora na maioria dos casos permite o pagamento pelo site, foi ampliando seu inventário comprando operações locais (como o brasileiro Alugue Temporada), e conta agora com 1,3 milhões de imóveis. Desde o fim de 2015 foi comprado pelo Expedia, maior player do turismo online mundial. Diferente do Airbnb, ele reitera que seu foco não é compartilhamento, e sim casas inteiras usadas exclusivamente para aluguel de temporada – grande parte dos usuários são grupos e famílias de em média cinco pessoas.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Trip Advisor Rentals

Sim, o Trip Advisor tá em todas. Ele andou comprando uns sites de aluguel de temporada (Holiday Lettings, FlipKey e Niumba) e acabou com um portfólio imenso de 700 000 imóveis cadastrados. Eu não amo a interface, que não tem diferença quase da que você usa para ver as avaliações dos estabelecimentos. Acho que eles deviam ter criado um site novo para isso, e não colocar tudo ali no mesmo bolo. Quase 70% das casas são o que eles chamam de “secondary homes”, casas preparadas unicamente para o aluguel de temporada.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Wimdu

O site alemão é outro gigante do negócio, com mais de 300 000 imóveis cadastrados. A interface é prática, divide as propriedades por bairro ou região e, assim como os sites de reserva de hotel, dá uma nota para o apê que já aparece na lista de busca, baseada nas avaliações deixadas pelos hóspedes. A descrição do proprietários não é tão completa quanto a do Airbnb. Sua variedade é top na Europa, com desde lofts descoladinhos em Berlim (a partir de US$ 30 a diária) até casas de praia para uma lua de mel de sonhos em Santorini, na Grécia (a partir de US$ 60).

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Roomorama

Dispõe cerca de 60 000 imóveis cadastrados, entre quartos, casas e apartamentos. Como a empresa foi fundada em Cingapura, tem uma seleção bacana para quem vai para a Ásia. Se diz especializado em estadias mais longas – média de reserva é de 9 noites. As casas com piscina em Bali, na Indonésia, e as com vista para o mar em ilhotas como Koh Samui, na Tailândia, são sensacionais. Há opções por menos de US$ 100 a diária.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

One Fine Stay

O foco do site são propriedades estilosas e bem decoradas (são cerca de 2500) em Paris, Londres, Los Angeles, Nova York e Roma: pense uma mansão de cinco andares colada no Empire State, em Manhattan, um loft com detalhes art déco a dois passos da Champs-Élysées, em Paris, um apê de design no buchicho do Soho, em Londres. Os hóspedes recebem um Iphone para usar durante a estadia com sugestões de restaurantes e passeios insiders pelas cidades, além de haver atendimento 24 horas, serviço de faxineira e roupas de cama e banho de primeira. Claro, com tudo isso, os preços são mais salgados: difícil achar uma diária por menos de US$ 200. Em abril o site foi comprado por US$ 169 milhões pela rede europeia de hotéis Accor e deve expandir para mais 40 cidades nos próximos cinco anos.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Be Mate

O site é uma iniciativa da rede espanhola Room Mate. Todos os apartamentos que dispõe para alugar (em Amsterdã, Barcelona, Florença, Istambul, Madri, Málaga, Miami e Nova York) estão a no máximo dez minutos de caminhada de algum dos hotéis deles, que funcionam como uma central de serviços para os hóspedes. Você vai ao hotel buscar as chaves, guardar as malas depois do check-out e consultar o concierge, sem custo adicional – também é possível contratar arrumação, transfer e delivery de comida. O hotel também intermedia as reservas, não é preciso falar com os proprietários.

SITES PRA ALUGUEL DE TEMPORADA

Oasis Colecctions

Lançado em Buenos Aires em 2009, conta com 1500 imóveis de luxo em 18 destinos (entre eles Trancoso, Cartagena, Ibiza e Punta del Este). A central de reservas se responsabiliza por entregar as chaves e oferece serviços como limpeza, creminhos no banheiro, bar abastecido e um concierge local. Os preços começam em US$ 110 por noite em apartamentos para três pessoas em Buenos Aires e Miami – costuma ficar mais barato se fechar a semana toda. A rede Accor adquiriu 30% do negócio em fevereiro.

Há 3 comentários para “Os melhores sites pra aluguel de temporada (não tem só Airbnb!)

  1. Sou anfitriã do Airbnb, só que eles pisaram na bola comigo: não me pagaram e meu anúncio foi parar em outra cidade, com isto perdi hóspedes, não recomendo ninguém ser anfitriã no Airbnb.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *