Praticamente uma cidadezinha europeia no meio da América do Norte, Québec fica às margens do Rio São Lourenço e não nega o passado de fundação e 150 anos de domínio francês. Com charme, história e boa culinária, a capital da província de Québec divide ruas impecáveis e arborizadas de paralelepípedos com belos edifícios, pontes de pedra com um castelo, igrejas e monumentos que remetem aos séculos 17 e 18. A boa notícia é que, apesar das heranças francesas, os canadenses locais não demonstram insatisfação ao falar inglês com os turistas.

LEIA MAISO que fazer em Montreal: roteiro de 3 dias pela cidade mais francesa do Canadá

Com quase 4,7 milhões de visitas por anos, de mais de 70 países, Québec foi escolhida pelos leitores da revista Travel + Leisure, em 2019, como a melhor cidade do Canadá para o turismo. É realmente impossível resistir ao encanto.

O que fazer em Québec, onde ficar, onde comer, quando ir e mais dicas imperdíveis:

Como chegar em Québec

Há voos diretos de São Paulo para Québec, mas também é possível emendar a viagem com outros destinos do Canadá alugando um carro. A estrada de Montreal para o destino, por exemplo, é tranquila e o trajeto fácil dura pouco menos de três horas.

Quanto tempo ficar em Québec

Apesar de ocupar nove mil quilômetros quadrados de área, a parte turística de Québec é facilmente feita a pé. Para conhecer o principal do centro, dois dias são suficientes. Se você quiser emendar o passeio com destinos naturais a poucos minutos de carro, é possível estender a viagem até uma semana.

LEIA MAISMontanhas Rochosas e um roteiro completo pelos lagos esmeraldas do Canadá

Quando ir a Québec

Québec tem atrações para o ano todo, com estações bem definidas. No verão, é lotada de gente que aproveita os terraços e praças para curtir o sol e as temperaturas que podem passar dos 35ºC. No fim do ano, a cidade fica linda enfeitada para o Natal e coberta de neve. Também no inverno é possível visitar o Ice Hotel (ou Hôtel de Glace), feito todo de gelo. No entanto, é bom evitar janeiro e fevereiro, quando a temperatura pode chegar até a -40ºC.

Onde ficar em Québec

A melhor área para se hospedar em Québec, especialmente se você não estiver de carro, é o bairro Old Québec, perto da maioria das atrações turísticas, respirando a cultura francesa na cidade em primeira mão. Por lá, você pode escolher entre o Hôtel Sainte-Anne (diárias desde US$ 139), cheio de charme por fora, mas modernoso e reformado por dentro, ou o Hotel Manoir Morgan (diárias desde US$ 126), na mesma rua, a pouco mais de 200 metros do funiculaire para a parte baixa da cidade.

Caso você esteja de carro, acomodações fora do bairro antigo podem sair bem mais em conta. A 5 quilômetros do centro, o Hôtel du Nord (diárias desde US$ 52) é extremamente elogiado pelo atendimento e surpreende com uma piscina coberta de água salgada para relaxar após o dia. Se quiser uma vibe diferente, o Hotel Plaza Quebec (diárias desde US$ 95) é como uma mini Las Vegas dentro da cidade com uma fachada grandiosa e quartos super decorados.

Onde comer em Québec

Québec é daqueles lugares que tem de tudo um pouco. Não é difícil achar restaurantes tradicionais canadenses com o famoso poutine, as deliciosas batatas-fritas com queijo originadas na província, ou o tourtière, as tortinhas típicas de carne. O local ainda guarda uma culinária francesa impecável, com bistrôs e creperias espalhados em cantinhos fofos. Também há cafés e docerias para um chá de tarde delicioso com maple e pubs para o final do dia.

Para provar a culinária tradicional canadense em seu maior requinte, com carnes e frutos do mar, além de sobremesas divinas com maple, visite o Aux Anciens Canadiens ($$$). O Le Lapin Sauté ($$$) é um bistrô fofíssimo cuja especialidade são pratos com coelhos. Para quem tiver receios, ainda há opções com patos, cordeiros, salmões e sanduíches. O crème brûlée de maple de lá é um dos mais apreciados da cidade.

Não deixe de provar um dos crepes franceses fininhos espalhados pela cidade. O da Le Casse-Crêpe Breton ($$) é delicioso, em um ambiente super tranquilo. Na Rue du Petit Champlain, pare para provar o típico Mapple Taffy, doce feito com a seiva do maple syrup derramado na neve e endurecido, formando uma espécie de pirulito. Vende em várias lojinhas para turistas por cerca de 2 dólares canadenses.

A minha recomendação pessoal fica por conta das pipocas da Mary’s Popcorn Shop ($). Além do atendimento super atencioso – você pode ficar vários minutos degustando -, eles servem grandes sacos do snack com sabores desde original com sal e manteiga, caramelo e chocolate, até nozes com maple syrup, caramelo salgado e cheddar!

No site oficial de Québec, também é possível achar restaurantes, colocando exatamente o tipo de culinária que você quer, para qual refeição do dia, em determinada área da cidade. Clique aqui para ver.

O que fazer em Québec

O turismo local concentra-se principalmente no bairro histórico de Old-Québec, ou Vieux-Québec, a única cidade fortificada ao norte do México, considerada Tesouro do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1985. A antiga Québec divide-se em em Basse Ville (baixa cidade) e Haute Ville (cidade alta), conectadas uma à outra por um funicular, que funciona desde 1879, ou escadas espalhadas ao redor da cidade, que variam de 35 a 398 degraus.

Em apenas um dia, com tempo, é possível conhecer grande parte do bairro a pé. Inicie a caminhada pela Cidade Alta, onde você logo vai ver as imponentes torres do Château Frontenac, castelo aberto em 1893 como hospedaria, hoje com a bandeira de luxo da rede de hotéis Fairmont. Não é preciso pagar pelas diárias a partir de US$ 374 para dar uma espiada em toda a elegância interna.

Dali, caminhe tranquilamente pelo Terrase Dufferin que fica logo à frente. O “calçadão” de Old Québec tem vários banquinhos e sombras para descansar enquanto você admira a vista linda do rio São Lourenço. Passe pela Place D’Armés, antiga zona de carruagens, e ande pela Rue du Tresor, com um quê de MontMartre com vários artistas de rua.

Continue se perdendo pelos cantinhos fofos e antigos da cidade. Passe pelas ruas ao redor do Mosteiro das Ursulinas, da Place de l’Hôtel-de-Ville, onde está a prefeitura, do Édifice Price, o prédio mais alto do Centro Histórico, e visite a Basílica de Notre Dame du Québec, a igreja mais antiga do Canadá (1647).

Ao terminar o trajeto, siga para a Cidade Baixa, através de uma das 30 escadas espalhadas pelo bairro, ou pelo funiculaire no Dufferin Terrace. Descendo os 170 degraus da L’Escalier du Casse-Cou, a escadaria quebra-pescoço, você chega à Place Royale, marco zero da cidade, em uma praça fofíssima por onde não passa carro, onde fica a igreja Notre-Dame-des-Victoires e painéis espalhados pintados a mão. Caminhe pela charmosa Rue du Petit Champlain, uma ruazinha com várias lojinhas, restaurantes, galerias de arte e flores, seguindo então para o Porto Velho.

Nos dias seguintes, visite ainda a Citadelle, antiga fortaleza para tropas britânicas, o Parliament Building, sede da Assembleia Nacional da cidade, e o Battlefield Park, parque que foi palco da batalha sangrenta entre ingleses e franceses para o domínio da província no século 18.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Vancouver, no Canadá: as melhores atrações, do verão ao inverno

O que fazer em Québec: e quais as suas dicas? Conte pra gente aqui nos comentários!

Bruna Nobrega

Acredita no lema "trabalhe com o que você gosta e você nunca estará trabalhando". Além de ser amante das viagens, é doida por entretenimento: daí seus dois anos na redação da Capricho antes de chegar aqui no Carpe Mundi. Reza pra próxima viagem ser para destinos que já foram cenário de filmes ou séries.

Deixe seu comentário

voltar ao topo