Quem nunca sonhou em passear sob o sol da Toscana? Uma das maiores regiões da Itália em território e número de habitantes, o destino permeia o imaginário dos turistas brasileiros, que querem conhecer o charme de suas cidades históricas e provar a deliciosa gastronomia local.

Um roteiro ideal pede de 7 a 10 dias na região pra conhecer o principal (veja um roteiro prontinho aqui). Para otimizar o tempo, uma boa pedida é se hospedar na capital, Florença, e fazer bate-voltas a partir dali. Com percursos de menos de duas horas, há saídas diárias de trens e ônibus para as áreas mais procuradas da Toscana, super fáceis de explorar. Também dá pra alugar um carro e conhecer suas estradinhas magníficas em viagens de um dia, que poderiam muito bem ter saído de um filme de tão cênicas.

7 bate-voltas desde Florença:

Bate-voltas desde Florença

Siena

Cercada pelos conhecidos muros medievais da Toscana, Siena é provavelmente um dos bate-voltas mais procurados desde Florença. A cidade está dividida em três colinas com a Piazza del Campo no centro, um bom lugar para começar o passeio. Na praça principal é possível conhecer o Palazzo Pubblico, edifício que abriga o Museu Cívico. Também vale subir na Torre Del Mangia, um caminho estreito com mais de 500 degraus, que garante uma vista 360º da cidade. De lá, siga para o Duomo di Siena, enorme catedral construída entre 1215 e 1263. O percurso entre os pontos é cheio de construções lindas para os olhos… e para as fotos!

Como chegar: Siena tem estação de trem, mas ela está afastada do Centro Histórico da cidade, então a melhor opção é ir de ônibus. Compre sua passagem na Stazione di Pullman de Florença, ao lado da estação ferroviária Santa Maria Novella. Lá, escolha o percurso rápido com destino à Siena, linha 131R, que não tem paradas e leva cerca de 1h15.

Dica: Entre os dias 2 de julho e 16 de agosto, é possível ver o Palio di Siena, tradicional corrida de cavalos que ocorre há 400 anos na Piazza del Campo.

Bate-voltas desde Florença

Pisa

Nenhuma visita a Florença é completa sem o bate-volta clássico para ver a “torre torta” de Pisa. Chegando até a cidade, caminhe até a Piazza dei Miracoli, que abriga não só a Torre Pendente, como também o Duomo, o Battistero e o Camposanto. A arquitetura é linda e é possível visitá-los por dentro de graça. Complete o passeio no Palazzo della Carovana, que abriga a Universidade de Pisa, ou estique até as margens do Rio Arno e conheça o Museu Nazionale di San Matteo.

Como chegar: Pegue um trem rápido da estação ferroviária Santa Maria Novella até a estação Pisa Centrale. É possível comprar os tickets pouco antes do embarque e o percurso leva apenas uma hora.

Dica: Vá cedinho para Pisa e estenda o bate-volta até Luca (mais infos abaixo), pegando um trem da estação Pisa San Rossore até a estação de Luca. O percurso dura mais ou menos 30 minutos. Para a volta há um trem direto de Luca à Florença.

LEIA TAMBÉM: Um passeio por Pisa, na Itália: o que ver e onde comer

Pisa

Pisa-polaroid

Bate-voltas desde Florença

Luca

Pequena, mas muito bem preservada, Luca é outra cidade medieval circundada por uma muralha. Não é muito badalada pelos turistas e, por isso mesmo, adquire um clima agradável como se você estivesse conhecendo seu próprio cantinho na Toscana. O destino tem um Duomo imponente construído em 1063. Para ter uma vista panorâmica da cidade, suba na Torre Guinigi ou na Torre delle Ore. Se for na última, aproveite para fazer uma pausa chocolateria Cavalsani, na mesma rua.

Como chegar: É possível emendar o passeio com Pisa, como já mencionamos, ou pegar um trem direto de Florença na estação ferroviária Santa Maria Novella, também sem a necessidade de comprar os tickets com antecedência. O percurso entre Florença e Luca dura pouco mais de uma hora.

Dica: Na estação de Luca há lojinhas para a locação de bicicletas. Não tem nada melhor do que passear pela cidade em duas rodas, seguindo o percurso da muralha. As bikes vêm com cadeados, então é fácil de estacioná-las para visitar as atrações e fazer uma pausa para comida.

Bate-voltas desde Florença

Arezzo

Se você já assistiu ao filme A Vida é Bela vai se deliciar ainda mais pelas ruas facilmente reconhecíveis de Arezzo, uma das locações do longa. A charmosa e encantadora cidade é perfeita para passar uma parte. Não deixe de passar pela Piazza Grande, onde estão construções histórias imponentes como o Tribunale, o Palazzo delle Loggie, o Palazzo della Fraternità dei Laici, Palazzo Lappoli e a Pieve di Santa Maria. Se possível programe a ida para um final de semana, quando a cidade recebe a Fiera Antiquaria di Arezzo, a maior, melhor e mais famosa feira de antiguidades da Toscana. E não deixe de marcar hora para ver os afrescos de Piero della Francesca na Basílica de São Francisco.

Como chegar: É possível comprar os tickets de trem na estação Santa Maria Novella minutos antes da partida. O trajeto direto entre as duas cidades leva menos de uma hora.

Dica: No terceiro sábado de junho e no primeiro domingo de setembro, Arezzo recebe a famosa Giostra del Saracino, que consiste em duelos medievais cenográficos entre equipes. Dá um bom gostinho do passado histórico da cidade!

Bate-voltas desde Florença

Volterra

Mais uma cidade saída diretamente nas telonas! Se você é fã da saga Crepúsculo e assistiu ao segundo filme da franquia, Lua Nova, vai adorar passear pela cidade dos Volturi e reconhecer a grande torre do relógio na Piazza dei Priori. Além de atrativa para fãs, a cidade também tem seus encantos próprios, entre as ruínas de um Anfiteatro Romano, labirintos entre construções de pedra e o clima tranquilo, com poucos turistas. Ela ainda guarda a maior herança etrusca da Itália; visite o Museo Guarnacci para ver alguns objetos encontrados em escavações arqueológicas.

Como chegar: Volterra tem um acesso mais restrito por transporte público, então o ideal seria alugar um carro por um dia (há diversas opções de locadoras ao lado da estação de trem de Florença, veja as melhores ofertas aqui). Caso o automóvel não seja uma opção, pegue o ônibus da SITA que vai até Siena, na Stazione di Pullman. Desça em Colle Val d’Elsa e, de lá, embarque no ônibus CPT com destino à Volterra. É importante ficar atento aos horários, já que são poucas frequências por dia.

Dica: Se você optar carro, uma boa opção é já emendar o passeio na visita a San Gimignano, a 29km dali (veja abaixo).

Bate-voltas desde Florença

San Gimignano

Com cerca de 14 torres altíssimas construídas entre os séculos 11 e 14, mas que sobreviveram ao passar dos séculos, San Gimignano é conhecida como a “Manhattan Medieval”. Comece sua caminhada na Porta San Giovanni e siga em frente até a Piazza della Cisterna e a Piazza del Duomo, entre lojinhas de produtos locais, como azeites, queijos, salames, sabonetes e outras lembrancinhas.

Aproveite para subir em uma das torres locais, a Torre Grossa ou a Torre Salvucci Maggiore, para uma visão geral do destino, e não deixe de experimentar um gelato na Dondoli, eleita campeã entre 2006 e 2009 na “Copa do mundo das Gelaterias”. Se quiser fugir dos turistas e conhecer cantinhos aparentemente intocados da cidade, siga à direita na Porta San Giovanni pela Via Bonda, onde é possível ter uma visão deslumbrante de campos verdinhos e construções medievais a perder de vista.

Como chegar: Você pode alugar um carro e fazer um passeio conjunto com Volterra, ou pegar um ônibus. Para o último, o esquema é o mesmo da cidade anterior: pegue o ônibus da SITA que vai até Siena, na Stazione di Pullman. Desça em Colle Val d’Elsa mas, de lá, embarque no ônibus CPT com destino a San Gimignano.

Dica: Querendo ir no dia mais colorido, vá na quinta-feira, quando acontece o mercado na Piazza del Duomo e a cidade toda se movimenta. Nesse dia, você aproveitará mais se for pela manhã.

Bate-voltas desde Florença

Monteriggioni

Cercada por uma muralha de dez metros de altura, Monteriggioni foi construída para proteger os governantes e a elite de Siena na época em que a cidade estava em uma disputa por poder e territórios contra Florença. Assim que você passa pelos portões medievais, ainda intactos, já se sente em uma viagem no tempo. Provavelmente um dos motivos pelos quais parte do filme Gladiador foi gravada ali. Não deixe de ver a Chiesa di Santa Maria Assunta e a Piazza Roma, cercadas por construções dos séculos 13 e 14, além do Museo Monteriggioni in Arme, onde estão expostas armaduras reais usadas pelos cavaleiros que defendiam a cidade.

Como chegar: A melhor opção para Monteriggioni é um ônibus direto. Os coletivos da SITA saem de hora em hora e não há necessidade de comprar o bilhete com antecedência.

Dica: Se você for em julho, cheque os dias em que a cidade recebe o Festival Medieval de Monteriggioni, época em que os moradores tocam, cantam e dançam caracterizados com roupas da era medieval e o ambiente ganha um novo espírito.

Bruna Nobrega

Acredita no lema "trabalhe com o que você gosta e você nunca estará trabalhando". Além de ser amante das viagens, é doida por entretenimento: daí seus dois anos na redação da Capricho antes de chegar aqui no Carpe Mundi. Reza pra próxima viagem ser para destinos que já foram cenário de filmes ou séries.

Deixe seu comentário

voltar ao topo