VIAGEM E AUTOCONHECIMENTO

Conhecer o mundo para se conhecer. Ver fora para entender dentro. Sair da zona de conforto e usar das viagens como poderosa ferramenta de autoconhecimento. Viajar também pode ser, além de um episódio turístico em outro país, outra cultura, outro modo de viver a vida, uma jornada para dentro de si mesmo.

Quando me perguntam por que eu viajo, a resposta, ah, eu poderia ficar horas escrevendo sobre ela… é para viver, registrar e compartilhar experiências que preenchem a minha alma, sentir a energia nova batendo no meu rosto, essa sensação de entusiasmo que toma conta ao chegar num lugar diferente, a noção de pertencimento que cresce a cada lugar que eu visito. Que me faz ter a certeza de que o mundo ser um lugar tão incrível assim tem uma finalidade clara: ser vivido.

LEIA TAMBÉM: Destinos zen no Brasil e no mundo para férias de autoconhecimento e misticismo

viagem-e-autoconhecimento

Viagem e autoconhecimento

E porque viajando, também me descubro. Me entendo. Me sinto, eu, como eu sou, longe dos meus artifícios de conforto, dos meus perfis já característicos, das interações que eu já conheço e já domino.

LEIA TAMBÉM: 40 reflexões de viagem que vão te inspirar a viajar cada vez mais

Cada viagem pode ser uma oportunidade de mergulhar na mágica de quem você é.

É claro que o destino está intimamente ligado com o resultado da troca que você vai ter, e, com isso, internalizar aprendizados que te farão refletir sobre o exterior – e, consequentemente, com o seu interior. Viagens zen como para retiros espirituais têm um poder naturalmente maior de proporcionar essa reflexão. Mas o fato é que qualquer viagem pode ser uma oportunidade para se autoconhecer: vai depender fundamentalmente da sua intenção.

Viajando, abrimos mão do que estamos acostumados para nos jogar no novo. Temos que conviver com seres humanos diferentes, culturas por vezes opostas e ambientes físicos que reconfiguram a nossa mente. Todos passos ofertando a chance de parar e reconsiderar nossos comportamentos, maneiras de ver e reagir à vida. Isso é autoconhecimento. Se conhecer para, então, se entender.

“Viajar é, também, uma jornada para dentro de si mesmo”

cachoeira-dos-canions

Quem leva a espiritualidade consigo por onde vai também tem nas viagens uma chance de se conectar com o universo e sua força maior. Ou Deus, em outras palavras. A sensação de liberdade, as paisagens, as pequenas belezas da natureza e os detalhes pelo caminho exaltam a vida. Também uma hora perfeita de olhar para dentro.

VIAGEM E AUTOCONHECIMENTO

Também tem as viagens para os destinos especiais, que invadem o coração, que nos chamam ferozmente, que a gente sempre teve vontade de conhecer, sem explicação. São viagens poderosíssimas que podem nos fazem ir de encontro com nós mesmos. A Índia, por exemplo, foi uma dessas viagens pra mim. E viver um retiro de yoga, meditação e ayurveda no país, que é celeiro espiritual do mundo, foi muito significativo para o meu ser. Leia mais: como praticar yoga na hora de viajar.

meditacao-yoga-templo-india

Mas a gente também não precisa ir tão longe. Tá cheio de viagem com propósito maior aqui, do ladinho. Viagens zen pelo Brasil para cachoeiras, para o mar, para o rio, onde rolam práticas energéticas, de autoconhecimento, bem-estar e desintoxicação pra você sossegar a cabeça, o corpo e a alma.

No autoconhecimento, tudo é válido de acordo com a intenção de cada um.

LEIA TAMBÉM: Astrologia e viagens: como as fases da lua podem te ajudar a viajar melhor

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

Deixe seu comentário

voltar ao topo