ONDE FICAR NA MATA ATLÂNTICA (SP):

Uma viagem de imersão pelo coração da Mata Atlântica é certa no ecolodge de selva Salve Floresta, a 3h de SP, com dezenas de trilhas e cachoeiras que colocam o viajante em contato com a imensidão da natureza verde preservada.

Pousada Salve Floresta

LEIA MAIS: Turismo na Mata Atlântica (SP): trilhas, cachoeiras e mais experiências

A floresta é a nossa casa, abrangendo cerca de 15% do território nacional em 17 estados: a Mata Atlântica é o lar de 72% da população brasileira. No Estado de São Paulo, a porcentagem preservada de verde é de 22,9% da Mata Atlântica original de acordo com mapeamento feito pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

A Mata Atlântica é uma das áreas mais ricas de biodiversidade do planeta e, ao mesmo tempo, mais ameaçadas. Representando 0,8% da superfície terrestre, nela estão mais de 5% das espécies de animais e vegetais do mundo – e das 633 espécies animais ameaçadas do Brasil, 383 são da Mata Atlântica.

E não há hospedagem para fazer uma viagem de turismo na Mata Atlântica do que a Pousada Salve Floresta, no município de Tapiraí, a 3h de carro da capital.

Num vale cercado por montanhas, chalés de madeira (duplos desde R$ 695 e os de dois andares para quatro pessoas desde R$ 1 295) cercam um laguinho, que acaba na casa principal onde está o restaurante e área de convívio da pousada, que foi fundada em 1994 e passou por uma pequena renovação recentemente.

Salve Floresta: ECOLODGE DE SELVA NA MATA ATLÂNTICA (diárias desde R$ 695 para duas pessoas em pensão completa)

quarto salve floresta

A estadia segue uma programação, que varia conforme o dia, de trilha a ser percorrida, cachoeira a ser visitada ou passeio principal com guia, que pode finalizar numa sessão de meditação ou com o tradicional buffet de almoço no casarão da sede – partindo do Salve Floresta pode-se visitar cinco trilhas e cachoeiras de 3 a 4 horas de caminhada. São elas: Poço das Antas, Mirante do Morro Pelado, Cachoeira do Beija-Flor, Cachoeira do Tombo e Cachoeiras do Tatu.

O cardápio do restaurante é sazonal e tem comida caseira deliciosa formulada a partir de ingredientes típicos da Mata Atlântica, como a folha frita de peixinho-da-horta (uma planta super nutritiva chamada de peixinho que pode ser assada ou frita, com sabor delicioso) e a caipirinha de folha de tangerina, capim-limão e limão galego. Todos os comes e bebes são inclusos no valor da diária (exceto bebidas alcoólicas), o que torna o custo-benefício da estadia bem interessante.

torre de observação na mata atlântica

Entre as experiências pela Mata Atlântica a se vivenciar durante a estadia no Salve Floresta, o destaque especial é para a torre de observação edificada na copa das árvores do terreno da pousada, lembrando uma vibe meio Amazônia, de onde é possível se aproximar de mais de 300 espécies de pássaros de maneira não invasiva e entrar em contato e fotografar saracuras, tucanos e até aves mais raras como a Maria-Leque-do-Sudeste. Nos últimos anos, o ecolodge foi visitado por muitos ornitólogos profissionais do Brasil e do exterior, tornando-se referência no assunto na região Sudeste do país. Fora que rende fotos incríveis, especialmente pra quem viaja com um drone.

Salve Floresta: ECOLODGE DE SELVA NA MATA ATLÂNTICA (diárias desde R$ 695 para duas pessoas em pensão completa)

No deck de meditação em meio à mata e de frente pro fotogênico riozinho você pode adentrar uma sessão de meditação solo e, nos dias de verão, aproveitar a piscina da propriedade pra se refrescar depois das trilhas. Quem quer uma imersão maior com a fauna ao redor pode aproveitar o espaço chamado de “hide”, ao final do caminho pelos bananais, para encontrar a paca, roedor raro de áreas tropicais de difícil avistamento, se alimentando de noite.

Fora dali, partindo do centro de Tapiraí rumo ao Bairro do Chá, chega-se na Cachoeira do Chá, uma das atrações mais lindas de toda a Mata Atlântica paulista: com queda d’água de cerca de 30 metros de altura, pode ser visitada através de uma trilha de 1 km beirando o Rio Corujas e passando por uma piscininha natural. Também são famosas na região as Cachoeiras do Alecrim e do Limoeiro, além do caiaque pela Represa Alecrim, que é imperdível. Todos os pontos podem ser visitados fazendo base no Salve Floresta.

O ecoturismo está presente na pousada na integração com a natureza, nas atividades que promovem a sustentabilidade, nas ações em conjunto com o Onçafari para mapeamento de onças e outros animais da Mata Atlântica, entre outros, na eco-escola com sessões abertas que ensinam crianças e jovens da região sobre a preservação do bioma e também no emprego da comunidade local nas tarefas e demandas do Salve Floresta – os funcionários são, em sua maioria, moradores do município de Tapiraí e localidades próximas. Isso, sim, são características de um turismo verdadeiramente sustentável.

Salve Floresta: ECOLODGE DE SELVA NA MATA ATLÂNTICA (diárias desde R$ 695 para duas pessoas em pensão completa)

o que comer no salve floresta

*O Carpe Mundi se hospedou no Salve Floresta em parceria com a pousada. O conteúdo do post reflete apenas a opinião da autora. 

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

Deixe seu comentário

voltar ao topo