Punta del Este, a 140 km de Montevidéu, é um destino que só existe entre dezembro e fevereiro, quando o clima esquenta, o sol se põe quase às 22h e os restaurantes e baladas reabrem.

No resto do ano, o balneário fica morto, vira um “pueblo fantasma”, como me disseram por lá. Talvez seja por isso que, às vezes, é difícil encontrar dicas e informações de Punta: muitos estabelecimentos não tem site nem qualquer referência no Google tirando o Trip Advisor e um ou outro blog.

Continue lendo esse post pra um guia completíssimo sobre o que fazer em Punta del Este no verão, com as melhores novidades da temporada.

COMO É PUNTA?
Punta é um balneário que por vezes é chamado de St. Tropez e Hamptons da América do Sul, o que me parece bem exagerado. Punta é uma mistura de Jurerê Internacional com Campos do Jordão, um destino de praia onde o pessoal vai pra “ver e ser visto” (odeio essa expressão, mas é isso mesmo), gastar muito dinheiro em bons restaurantes, tomar clericot (o drink oficial, feito com vinho branco ou espumante e frutas, tipo uma sangria), ir em clubes de praia e baladas de música eletrônica, visitar vinícolas e outros pequenos produtores (pra mim o melhor de Punta), ir em galerias de arte, comprar e curtir o ócio. Claro que nesse meio há uma dose de famílias de uruguaios e gaúchos que alugam casas e vão curtir seu verão modestamente, mas não são a maioria.

COMO É A PRAIA?
O que fazer em Punta del Este: no geral, pedregosa, com faixa de areia larguíssima e mar gelado. Que ninguém entra na água. Em José Ignacio a região é preservada, então a praia é envolvida por uma bonita vegetação.

PRECISA ALUGAR CARRO?
Sim. Não se chega a lugar nenhum sem carro. Jovenzinhos pedem carona na estrada pra voltar da balada, mas mesmo eles precisam de carro em outros momentos.

É CARO?
Sim. A média de gasto para um jantar nos restaurantes é US$ 80 o casal.

o-que-fazer-punta-verao

ONDE EU FICO?
Se eu estivesse indo agora eu alugaria uma casa em Manantiales (no Airbnb tem várias opções), ou entre La Barra e Manantiales ou entre Manantiales e José Ignacio. A não ser que você tenha bala pra ficar nos maravilhosos hotéis Bahia Vik, Posada del Faro, Casa Suaya ou Laguna Garzón Lodge. Hotel baratinho na Península não acho que valha a pena.

HÁ MUITO O QUE PRA FAZER EM PUNTA DEL ESTE?
Como deve ter dado a entender, o forte de Punta não é a praia, mas as festas, o glamour, a gastronomia e os passeios “rurais”, que envolvem vinho, azeite e queijos locais. Há também lojas de grife, galerias de arte e a clássica Casa Pueblo, pra ver o pôr do sol.

LEVO DÓLARES OU REAIS?
Punta é um dos poucos destinos em que vale a pena levar real. Nas casas de câmbio da cidade pagam 29,50 pesos pra US$ 1 e 9,05 para R$ 1 – no aeroporto é um pouco menos.

O QUE FAZER EM PUNTA DEL ESTE

A PENÍNSULA

punta-del-este-o-que-fazer A península é Punta del Este em si, uma “Punta” entre as Playas Mansa e Brava. Os tempos ali já foram melhores: na Avenida principal, a Gorlero, e até a Calle 20, chamada de Fashion Road, predominam restaurantes de rede e umas lojas de quinquilharias praianas. Grande parte do comércio e da nova vida gastronômica tem se mudado pra lá de La Barra (leia mais abaixo). A região do porto continua gostosa pra um passeio.

O que bomba ainda é o hotel Conrad (70% da ocupação deles é de brasileiros), com seu cassino e baladas Ovo nightclub (noturna) e Ovo dayclub (um clube de praia que fica na faixa de areia em frente ao hotel). Se você curte o estilo do hotel fique de olho no site, costumam ter shows e DJ’s internacionais de música eletrônica convidados  na temporada (a festa da noite de Réveillon já está sendo vendida no site por US$ 165 o ingresso feminino e US$ 220 o masculino, com open bar de comida e bebida).

o-que-fazer-puntaO que fazer em Punta del Este: saindo dali, na Playa Brava, vale a pena ver as datas do Boulevard Gastronômico, uma feirinha gastronômica esporádica com estandes dos melhores restaurantes da cidade, por vezes com apresentações de orquestras uruguaias.

Se é sua primeira vez por lá, saiba que Punta é o nome genérico dado a uma região bem grande que vai englobando pequenos povoados. É só passar a famosa escultura La Mano, com os dedos que saem da areia, e seguir reto. Como eu disse, a badalação tem se mudado cada vez mais para longe da Península.

EXTRA: Casa Pueblo
Antiga residência do artista uruguaio Carlos Páez Vilaró, a casa meio Santorini, meio Gaudí, fica debruçada sobre a água na Punta Ballena, a 13 km da Península. Todo dia rola uma “cerimônia” no crepúsculo, com um poema do Vilaró sendo recitado enquanto o sol some no horizonte. Há também uma lojinha e uma galeria com obras do artista.
Pra visitar: Das 10h às 18h30, diariamente.

O QUE FAZER EM PUNTA DEL ESTE

LA BARRA

Você sabe que chegou a La Barra quando sente frio na barriga nas duas ondulações da Ponte Leonel Vieira. A avenida principal de La Barra é relativamente charmosa, com lojas de decoração e alguns restaurantes.

la-barra-em-punta-del-esteShopping OH! La Barra
É um novo centro de compras ao ar livre projetado pelo arquiteto uruguaio Carlos Ott. Os dois andares de lojas exibem vitrines chicosas de marcas internacionais junto a lojas locais. No térreo há bancos encimados por guarda-chuvas coloridos e balancinhos.

Café Flo
Bistrô afrancesado, é um microcosmo de Punta: nas mesas e sofás, disputadíssimas no almoço, casaisbem vestidos pedem omeletes de salmão defumado com ovas, servido por garçonetes com cara de parisienses.

Al Forno
O concierge do hotel chiquérrimo Playa Vik (RESERVE AQUI!) me indicou esse restaurante, sobre o qual eu não tinha lido em lugar nenhum. Escondido entre as casas de La Barra, numa rua de terra, seu salão lembra uma sala de estar, com lareira, tapete persa e prateleira com livros – bem aconchegante, pra aproveitar que de noite sempre faz um friozinho. Da cozinha vêm pratos como a lasanha de centolla (caranguejo gigante).

Parador Mantra
O que fazer em Punta del Este: é o clube de praia do resort Mantra, que fica entre La Barra e Manantiales, na Playa Montoya. Tem uma vibe tranquila, pra jantar com os amigos, e eventuais festas.

Tequila
Balada bem popular, fica numa construção com paredes pintadas de verde-fluorescente. É conhecida por tocar ritmos mais variados que a onipresente música eletrônica dos outros clubes – aqui também rola reggeaton, pop e hip hop. Ah, sim, lembrando que balada em Punta só começa depois das 2h.

JÁ CURTIU NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK?

O QUE FAZER EM PUNTA DEL ESTE

MANANTIALES

Esse antigo vilarejo de pescadores que virou point de veraneio chique tem pra mim a melhor localização de Punta. Fica entre La Barra e José Ignacio, perto das atrações “rurais” de Punta, tem uma oferta ótima de restaurantes, uma galeria de arte (a Galeria del Paseo) e um pedaço de areia badalado, a Bikini Beach.

Fish Market
Point descoladex pra comer em Bikini Beach no pós-praia, em uma varanda agradável com mesas de piquenique verde-claras envolvidas por plantas. A cozinha aberta deixa ver os cozinheiros trabalharem – serve-se peixes e frutos do mar grelhados, sanduíches e ceviches criativos com curry e leite de coco.

La Linda
O La Linda tem um salão arejado com janelas que dão para uma área externa com deque de madeira. Uma mesa comprida exibe os quitutes do dia: pães, tortas, doces e sanduíches feitos na casa. Ótimo para um café da manhã tardio, já que em Punta só se acorda depois das 11h,

la-linda-manantiales-puntaBikini Beach
O que fazer em Punta del Este: nesta praia jovens endinheirados chegam junto com coolers pra curtir o fim de tarde. Um quiosque cuida da trilha sonora, com DJ’s convidados.

O’Farrell
Um sucesso desde que abriu, em 2002, tem ambiente elegante com varanda, sofás vermelhos e uma grande mesa central iluminada com lâmpadas arroquís – próprio para um jantar mais sofisticado. A cozinha mediterrânea prioriza ingredientes vindos de produtores locais – já a carta de vinhos vai longe, do Uruguai a Austrália.

Não vale a pena: Castos y Pescados – tive uma péssima experiência ali, com um peixe caro e insosso.

O QUE FAZER EM PUNTA DEL ESTE

JOSÉ IGNACIO

Passando a Laguna Garzón, 20 km depois de Manantiales, chega-se a José Ignacio. É um minivilarejo, mini mesmo, com um punhado de ruas e umas áreas meio descampadas. Se aparecer ali fora de temporada não vai entender nada. Mas, no verão, o lugar ganha vida. Há clubes de praia, hotéis-butique, lojinhas e restaurantes – prepare o bolso.

La Olada
Fica no meio de umas casas em La Juanita, colada em José Ignacio. Veterano, há dez anos em Punta, tem cozinha aberta e bar decorado com garrafas de vidro. Prove os ravioles caseiros.
Avenida Soria y Las Focas, La Juanita

Mostrador Santa Teresita
Restaurante novo do chef argentino Fernando Trocca. Um bufê central começa o dia com quitutes de café da manhã (bolos, pães, frutas, ovos) e com o passar das horas vão sendo adicionados pratos para o almoço (carnes, saladas).

jose-ignacio-farol-punta

La Huella
Uma instituição de José Ignacio. O lado de dentro tem pinta de restaurante, com carnes, peixes e frutos do mar assados na parrilla. Lá fora rola música e drinques coloridos (clericot, clericot, clericot).

parador-huellaLa Caracola
Dos mesmos donos do La Caracola, esse parador fica instalado numa ilhota privativa onde chega-se de barquinho. É tipo um quiosque de praia arrumadinho, também com peixes e frutos do mar feitos na parrilla e um bufê de saladas e sobremesa. O terraço tem vista para a vegetação virgem, o mar (e uma língua da Laguna Garzón) e o pôr do sol.

Marismo
O restaurante, frequentado por celebridades, é meio misterioso: não tem site, nem página no Facebook, abre somente à noite e fica no fim de uma estrada de terra levemente suspeita. O salão é pé na areia (os garçons andam descalços) e tem tendas e mesas ao ar livre, iluminadas por velas e uma fogueira que remete a uma espécie de luau. A comida também vem da parrilla. E a experiência geral é incrível.
Ruta 10, km 185, José Ignácio, telefone: +598 486-2273

La Susana
É o beach club do Vik, a rede de hotéis chiquérrima de Punta (fica logo ao lado do hotel Bahia Vik (RESERVE AQUI!), o último inaugurado). Ele traz um pouco do estilo de decoração dos hotéis, com obras contemporâneas da coleção dos proprietários penduradas nas paredes. A estrutura é de madeira, com um bar no centro (que também serve petiscos), áreas cobertas com mesas e um pergolado no exterior pra beber, claro, clericot, e dançar com o pé na areia. Fica aberto de 12h30 até meia-noite – cheque a programação pra festas especiais.

la-susana-jose-ignacio2 Almacén del Palmar
Na Calle Las Garzas, a principal de José Ignacio, o chef francês Jean-Paul Bondoux, há mais de 30 anos em Punta, abriu este novo restaurante. O lugar simpático tem uma construção no meio que abriga uma mercearia gourmet com rotisserie (tem umas tortas lindas expostas). Fora e no terraço há mesas coloridas rodeadas por plantas. A comida é francesa.

José Ignacio Internacional Film Festival
Em janeiro, rola em José Ignacio e no povoado vizinho, Garzón. No site tem a programação com os filmes e o local onde serão exibidos, com telões ao ar livre – a maioria é na “bajada de los pescadores”, na vilinha de José Ignacio.

Haras Godiva
O lugar promove cavalgadas na praia de José Ignacio, passando do campo à areia entre a bonita paisagem preservada da região. Anda-se 14 km em duas horas (no final dá pra relaxar no bar do haras).

O QUE FAZER EM PUNTA DEL ESTE: FESTAS DE RÉVEILLON EM PUNTA DEL ESTE

O site Brasileiros no Uruguai fez um bom apanhado das festas de fim de ano em Punta, dá uma olhada lá.

Betina Neves

Seus 10 anos de experiência no Jornalismo de Turismo deram o tom da linguagem do Carpe Mundi. Perita em traçar roteiros e na eterna busca pela passagem aérea mais barata, escreve um e outro post por aqui enquanto explora metrópoles insones, prova comidas exóticas e relaxa em praias vazias deste mundão.

1 comentário

Deixe seu comentário

voltar ao topo