inspiração


15 livros de viagem para ver o mundo sem sair de casa

Livros de viagem inspiram, dão ideias de novos destinos, ajudam a conhecer melhor o mundo, refletem sobre o ato de viajar e fazem a gente se sentir por aí sem sair de casa.

Aqui, fiz uma seleção dos melhores livros de viagem que li nos últimos anos, de clássicos até publicações contemporâneas, de crônicas divertidas a relatos contínuos e complexos. É só rolar pra baixo e escolher o seu!

LEIA TAMBÉM:
Tatuagens de viagem incríveis pra você se inspirar
É melhor viajar com pacote ou por conta própria
As melhores frases de viagem de todos os tempos

Manual prático pra viajar sozinho: por que e pra onde ir
Melhores app pra editar fotos no celular

Os melhores livros de viagem:

um-lugar-na-janela

UM LUGAR NA JANELA – MARTHA MEDEIROS

Como a própria cronista descreve no prólogo, o livro é um regaste despretensioso de viagens realizadas em momentos diversos de sua vida. É leve, fácil (ótimo pra levar pra praia ou pra aquele fim de semana no sítio) e conta sobre a primeira vez de Martha na Europa, suas reflexões sobre viver em Santiago, seus suspiros diante da beleza da Grécia, seus périplos pelo Japão, com cada capítulo, ou crônica, dedicado a um destino.

grande-bazar-ferroviario

O GRANDE BAZAR FERROVIÁRIO – PAUL THEROUX

O escritor americano também é consagrado na ficção, mas foram seus livros de viagem que o tornaram um mestre desse tipo de literatura – uma pena ser difícil encontrar traduções de algumas de suas obras por aqui. O Grande Bazar Ferroviário foi publicado em 1975 e trata-se de um longo relato de uma viagem de trem pela Ásia, passando por Irã, Índia, Myanmar, Tailândia, Malásia, Vietnã, Japão, entre outros. O narrador praticamente se isenta da história no sentido de que pouco sabemos suas motivações; Theroux foca em descrever o que vê e as pessoas com quem conversa, com análises profundas sobre os países que visita. Muito mudou na Ásia nesses 30 anos que se passaram, mas seu relato ajuda a entender o que o continente é hoje. E dá vontade de ir correndo pra lá.

ioga-pra-quem-não-está-nem-aí

IOGA PARA QUEM NÃO ESTÁ NEM AÍ – GEOFF DYER

O livro (que não tem nada a ver com yoga) é um “mapa rasgado e nada confiável de algumas das paisagens” que formaram a vida do autor britânico, que fala de “lugares onde coisas aconteceram ou não aconteceram, lugares onde ficou e coisas ficaram com ele, lugares que ele queria ver ou onde simplesmente foi parar”. As várias crônicas curtas que pairam entre a ficção e a não-ficção contam casos curiosos, alucinantes, hilários, reflexivos. Há sacadas geniais que repensam o ato de viajar e o reconhecem tanto fascinante quanto sombrio e desconfortável.

encaramujado

ENCARAMUJADO – ANTONIO LINO

Descobri este livro por acaso nas prateleiras de uma livraria qualquer – e que sorte a minha. Encaramujado relata uma viagem feita entre 2006 e 2007, na qual o escritor paulistano se enfiou numa kombi e cruzou o Brasil do Oiapoque a São Paulo, do Acre a Minas, do Mato Grosso à Bahia, com mais de 30 mil km rodados. O resultado são fragmentos do país apresentados em pequenos contos, com uma linguagem poética cheia de frases que dão vontade de anotar num caderninho (minha preferida é “paredes não aprisionam espíritos livres”). Lino vive em uma comunidade hiponga na Chapada dos Veadeiros, escala o Pão de Açúcar, cursa os Leçóis Maranhenses, se embriaga com o Santo Daime. Permeiam a história suas reflexões sobre estar sozinho e viajar pra dentro de si mesmo.

na-estrada

PÉ NA ESTRADA – JACK KEROUAC

Clássico dos anos 1950, é considerado um manifesto da geração beatnik, um movimento de jovens anti-materialistas e anti-conformistas, que, na época, veja você, eram chamados de hipsters (o que não me parece ter muito a ver com o que a gente chama de hipster hoje). O livro, levemente autobiográfico, é narrado por Sal Paradise, que, com sua gangue de amigos (liderados por Dean Moriarty) erra pelo país de leste a oeste, principalmente entre Nova York, Denver e San Fracisco, com carros, ônibus e caronas e poucos dólares no bolso. Entre noites alucinantes de jazz, trabalhos ocasionais, mulheres que vêm e vão, é uma jornada sem propósito maior do que simplesmente cair na estrada.

amyr-klink

CEM DIAS ENTRE O CÉU E O MAR – AMYR KLINK

O livro é uma espécie de diário de viagem que apresenta um dos maiores feitos do navegador brasileiro: varar o Atlântico, do sul da África à Bahia (cerca de 6500 km) num minúsculo barco a remo. Você rapidamente se familiariza com os termos náuticos (bolina, lastros, escotilha) e embarca na jornada meticulosamente calculada de Amyr, num tempo (1984) sem internet e GPS. Ele negocia com ondas gigantes, estremece diante da constante presença de tubarões, pena com o mau tempo. Momentos delicados e sublimes são descritos por Amyr, das cores do nascer e o pôr do sol ao momento em que uma enorme baleia passeia debaixo de seu barquinho, enquanto ele entende sua pequenez diante do mar e atinge um respeito pela vida que nunca imaginou antes.

livre

LIVRE – CHERYL STRAYED

O filme homônimo lançado em 2014 e indicado ao Oscar é excelente, mas é preciso ler o livro pra mergulhar dentro da jornada da escritora Cheryl Strayed. A americana cursou a pé 1800 km em três meses a chamada Pacific Crest Trail, que vai da Califórnia até o estado de Washington. A viagem tem carga dramática em dobro, porque além da caminhada longa, acometida por extremos de frio e calor, ursos e coiotes, calos e feridas, comida desidratada e noites insones, Strayed descreve a barra que passou com a morte de sua mãe, o desmantelamento de sua família, seu divórcio e envolvimento com heroína. A trilha é uma espécie de redenção e ferramenta pra escritora se encontrar dentro de si novamente. O livro é tocante a todo tempo e dá vontade de programar uma trilha para as próximas férias.

pelas-trilhas-compostela

PELAS TRILHAS DE COMPOSTELA: O RELATO DE UMA VIAGEM LAICA – JEAN-CHRISTOPHE RUFFIN

Num dos percursos de peregrinação mais emblemáticos do mundo, o médico e escritor francês parte por uma jornada laica com o objetivo de simplesmente pegar a estrada pela evidência da caminhada. Numa linguagem objetiva, irônica e sem firulas, ele descreve as paisagens do caminho, as noites nos mosteiros com outros peregrinos e sozinho em sua barraca no meio do nada, com todo o misticismo (do qual ele não compartilha a princípio, mas depois é contagiado) ao redor dela. Tem citações, referências literárias e reflexões de bons livros de viagem sobre o ato de viajar.

comer-rezar-amar

COMER, REZAR E AMAR – ELIZABETH GILBERT

Sim, todo mundo já conhece. Mas se você se contentou só com a Julia Roberts no cinema (que não é grande coisa), saiba que o livro que que conta a crise de meia-idade precoce de Liz é de fato bacana. E dá um impulsinho pra quem está pensando em largar o emprego e cair no mundo, o que é sempre é um bom negócio. Afinal, comer pizza na Itália, rezar nos ashrams da Índia e amar em Bali não é nada mal.

cidades-invisiveis

AS CIDADES INVISÍVEIS – ITALO CALVINO

Publicado em 1972, o livro traz as histórias que o descobridor veneziano Marco Polo teria contato ao imperador Kublai Khan no século 13. Seguindo o estilo realismo mágico, em voga na época da publicação, Calvino descreve cidades imaginárias, que levam nomes de mulheres como Leônia, Cecília, Pentesileia. As descrições, geniais, flutuam entre a fábula e o conto popular, com simbologias lindas. O livro é fininho, com cada minicapítulo dedicado a uma cidade.

viva-mexico

COLEÇÃO DE VIAGEM DA EDITORA TINTA DA CHINA

Descobri essa coleção maravilhosa numa livraria em Lisboa, e há pouco tempo vi que os livros de viagem chega no Brasil. São livros de diferentes autores portugueses consagrados com relatos de viagem, normalmente focados num determinado destino – aqui já temos alguns títulos como o Viva México e o Murmúrio do Mundo (sobre a Índia). São tão lindos que dá vontade de comprar todos.

MAS VOCÊ VAI SOZINHA? – GAÍA PASSARELLI

Que mulher nunca ouviu a pergunta título do livro depois de anunciar que faria uma viagem solo? Foi pensando nisso que Gaía Passarelli, escritora de viagem, jornalista musical e ex-VJ da MTV, utilizou seu bom humor pra contar sobre suas andanças pelo mundo em forma de livro, sempre acrescentando dicas sobre os destinos citados na narrativa. Você encontra ilustrações fofas enquanto brisa com os diversos episódios hilários de Gaía seja em Machu Picchu, Veneza, Califórnia, Paranapiacaba (sim, Paranapiacaba) ou Nova York.

SOB O SOL DA TOSCANA – FRANCIS MAYES

Para quem viu o filme, o livro é bem melhor (como sempre, né). Ele conta a história de um casal que foram morar numa villa na Toscana e descobrir os prazeres dessa região tão idiossincrática da Itália – serve de inspiração para um sabático e a descobrir o dolce far niente e também ajuda a elaborar um roteiro pelas vilinhas dali. Uma delícia ler os relatos sobre as paisagens locais.

TRACKS – ROBYN DAVIDSON (só em inglês)

Livro que também originou um filme, conta a história de uma mulher que atravessou quase 3 mil quilômetros no hostil deserto australiano nos anos 1980 na companhia de quatro camelos e um cachorro, em tempos pré-internet. Além de ser um passeio por cantos remotos da Austrália e seus povos nativos, esse livro poderoso fala de superação e resistência em situações extremas.

VIAGEM A PORTUGAL – JOSÉ SARAMAGO

“A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. (…) O fim de uma viagem é apenas o começo de outra”. Cheio de frases reflexivas sobre o ato de viajar, o livro do renomado autor portuga traz um misto de crônicas, narrativas e recordações baseadas numa viagem pelos quatro cantos do país entre 1979 e 1980. Sempre bom ler sobre Portugal para aprender mais sobre nós mesmos.

E você, costuma ler livros de viagem? Se tiver algum pra indicar, deixa aqui nos comentários!

Há 18 comentários para “15 livros de viagem para ver o mundo sem sair de casa

  1. Adoro os livros da Marlena de Basi sobre a sua vida na Italia.
    Meus vizinhos Italianos também é bem legal.
    Sob o sol da Toscana( que virou livro).
    acho que curto a vida na Italia

    1. Oi Denise. Logo mais vou postar algum conteúdo sobre Portugal. Se você ainda não conhece o país, sugiro em 12 dias começar em Lisboa e seguir em direção ao norte, passando por Sintra, Óbidos, Alcobaça, Batalha, Coimbra e Porto, esticando para Guimarães e o Douro.

  2. Betina, leia 198: how i run out of coutries, do norueguês Gunnar Garfirs , visitou todos os países antes dos 37 anos. O livro sai fora de todos padrões de livros de viagens , fala de cada país e sua não tão convencionais experiências .

  3. Portas Abertas – Aline Campbel
    Procure no facebook
    Tem a versao e-book gratuita e tem a versão fisica para comprar direto com a autora.

  4. VIAGEM AO UMBIGO DO MUNDO – Urda Alice Klueger. A autora, na garupa de uma Harley-Davidson, viajou milhares de quilômetros percorrendo lugares fantásticos da América do Sul, como Salta, Paso de Jama, Cordilheira dos Andes, Deserto do Atacama, Cusco, Machupichu…Um tributo à vida!

  5. Amor até debaixo d’água! Um livro muito bem construído, de uma delicadeza e inspirador. Conta a história de um casal, um veleiro (Grace) e a vontade de desbravar o mar. Recomendo!

  6. Gosto muito de um livro: O BRASIL DO SOL NASCENTE. Mas não é um livro para se levar na viagem, pois é pesado pra caramba. Ele detalha muito os 100 anos de imigração japonesa. Na verdade é uma belíssima homenagem à nação nipônica, e é do tipo decorativo, daqueles que ficam na mesa da sala e todos ver. Custa em média uns R$80,00 reais numa livraria. Ele me inspirou a fazer uma matéria no meu blog, que leva o mesmo título. Blog: https://www.comoeuamoviajar.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *