Conhecer um destino pode ser trabalhoso:

exige certa pesquisa, montagem de roteiro e organização. Mas, ao mesmo tempo, não há nada melhor que poder curtir a sua viagem aproveitando do seu jeito. E contratar um passeio com guia de turismo pode se tornar o oposto disso.

LEIA TAMBÉM: Checklist de viagem: 14 coisas pra fazer antes de sair de casa

TOUR GUIADO VALE A PENA?

Veja aqui as 11 situações mais chatas dos passeios com guias de turismo:

tour-guiado-chato

1) MAIS HISTÓRIA QUE CULTURA

Quando o guia acha mais importante contar sobre a história infinita do destino do que apresentar as peculiaridades da cultural local.

2) DETALHES QUE NÃO QUEREMOS SABER

Quando o guia faz questão de te contar detalhadamente sobre cada tijolo que vê pela frente, tornando o passeio muito mais cansativo, demorado e desinteressante.

OU…

3) RITMO FRENÉTICO

Quando o ritmo do guia é apressado demais e você mal tem tempo pra curtir o tour. Fotos? Esquece.

4) RESTAURANTES PEGA-TURISTA

Quando o guia te leva num restaurante bem turisticão com buffet que serve comida ruim, custa uma pequena fortuna e toca samba em espanhol. Você não foi viajar pra ouvir samba fajuto, né?

5) TOUR EM “PORTUGUÊS”

Quando o guia húngaro com sotaque fortíssimo fala em português de Portugal. Dá pra piorar?

6) TRABALHO MAL FEITO

Quando você está na Ásia e o guia te leva pra conhecer as igrejas, fortes e museus da colonização espanhola. Você não quer ver esse tipo de coisa quando está na Ásia, mas sim conhecer os pontos turísticos da cultura asiática.

7) ENGRAÇADINHO

Quando o guia faz piada (sem graça) de tudo.

TOUR-guiado-ruim

8) DESENCONTRO DE INFORMAÇÕES

Quando cada guia conta a sua própria versão da coisa. Um guia fala uma coisa e o guia seguinte fala outra. Quem nunca?

9) VERGONHA ALHEIA

Quando o guia anda com aqueles bastões coloridos extremamente chamativos e espalhafatosos que dá até vergonha de andar atrás.

10) PROLIXO

Quando o guia é lento e prolixo e simplesmente não consegue prender seu interesse no que ele está falando.

11) O INSPIRADO

Quando o guia fala como se tivesse recitando uma poesia. E pra piorar fala no microfone e anda com uma caixinha de som na cintura.

TOUR GUIADO VALE A PENA?

Mas claro que existem as exceções…

Tem guia que saca a sua vibe na hora e te leva em roteiros práticos e legais. Tem guia que só acrescenta na viagem, se torna amigo e faz os dias fora de casa ficarem muito melhores – e a gente consequentemente acaba indicando ele ou ela pra todo mundo depois. E tem lugar difícil, sem explicações ou sinalizações que foi feito pra andar com guia, como a Cidade Velha de Jerusalém, onde sem guia você não acha sozinho por nada o local da Última Ceia, por exemplo. O ideal é sempre dosar: fazer um ou dois tours guiados na viagem e aí deixar o resto por conta própria.

Tour guiado vale a pena: e você, qual a sua opinião?

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

37 comentários

Deixe seu comentário

voltar ao topo