JUQUEHY LITORAL NORTE

São Paulo não deixa a desejar em praias no Litoral Norte no estado. Por lá estão as faixas de areia mais bonitas, os melhores serviços, a melhor vibe. E Juquehy, dentro as mais de 170 praias da região, desponta por unir perfeitamente essas características.

COMO CHEGAR EM JUQUEHY

Localizada no município de São Sebastião (o mesmo onde estão as praias mais nobres do litoral paulista como a Praia da Baleia, Camburi e Maresias), Juquehy fica a 163 quilômetros da capital, que podem ser feitos em 2h30 de estrada passando pela Imigrantes, as lindas pontes suspensas da serra, a Rodovia de Piaçaguera-Guarujá, e, por fim, a mão única da Rio-Santos, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro. Em tempo que aos finais de semana de verão e em feriados, o tempo pra percorrer o trajeto pode dobrar (gostoso mesmo é estar em Juquehy naqueles finais de semana ao longo do ano sem afetação de turistas).

LEIA MAIS: Nossa lista oficial das 9 melhores praias pra curtir o verão no Litoral Norte de SP

JUQUEHY LITORAL NORTE

Juquehy é uma praia que vingou entre famílias que ali se instalaram há anos, mas que recebe tão bem todo mundo graças as suas várias facetas que tem boa democracia entre seus mais de 3 quilômetros de extensão de orla. Amigos, casais, jovens, terceira idade. Frequentadores de anos, turistas de bate-volta e moradores locais. Crianças pequenas e até cachorros do lado de lá do riozinho, à esquerda da praia (mesmo que não seja legalizado por lei, nas primeiras horas da manhã e no fim do dia é de praxe brincar com os cães ali). E a verdade é que eu, que tenho casa de veraneio na praia há 5 anos, nunca vi alguém falando mal de Juquehy.

cachorros-praia-juquehy

É que em Juquehy, tudo e todo mundo tem vez. Há o mar pro surf, da metade da praia até o final do chamado Canto Nobre, o mais bonito, e o mar pra boiar, onde deságua o riozinho principal e a água é calma. Há as casas pé na areia de milhões e as casas simples, onde reina o simple living. Há tendinhas de artesanato e lojas vendendo biquínis de grifes brasileiras num centrinho animado nas noites de verão. Fora que Juquehy tem todo tipo de serviço na melhor qualidade do litoral.

praia-verao-tendencias

ONDE COMER EM JUQUEHY

Nenhuma outra praia ganha de Juquehy, por exemplo, no quesito restaurantes. Tem o Chapéu do Sol e o disputado beach lounge do Badauê (foto ao lado), que há 15 anos é referência em serviço de praia e frutos do mar, onde todo mundo quer uma tenda pra chamar de sua nos dias de sol; em frente, no point mais procurado da Avenida Mãe Bernarda pontuada por coqueiros, o melhor açaí e sorvetes da praia estão no Badalatte. As opções de japonês, burger e poke do Juquehy Shopping, além da confeitaria com deliciosos bolos pra sobremesa; o Bistrô (que também tem um lounge de praia pé na areia que faz drinks e caipirinhas no Canto Nobre) e o Gulero ao lado da tradicional feirinha em frente ao portão 2 da praia, com climinha romântico; e tem a melhor pizzaria de Juquehy, a Freijó, também lojinha interessante de decorações típicas à base de madeira.

ONDE FICAR EM JUQUEHY

E, em instalações, há pousadas acessíveis na avenida principal Benedito Izidoro de Moraes, da entrada da praia, do Shopping Monjolo e do supermercado Costa Azul, como a Pousada Moryba (diárias desde R$ 308), e pousadas e hotéis de charme pé na areia como a Casatua Pousada (diárias desde R$ 450) com uma estátua de Buda instalada no quintal frente mar, a Chez Louise et Louise (diárias desde R$ 590) que é adults only (foto ao lado), e o Juquehy Praia Hotel (diárias desde R$ 621), o hotel mais lindo de Juquehy localizado no Canto Nobre que também sedia casamentos.

HOTEL-CHEZ-JUQUEHY

JUQUEHY LITORAL NORTE

E há pessoas, pessoas de todos os tipos. A fama e o gosto por Juquehy tenham, talvez, origem nesses seus vários lados. E, claro, na união perfeita entre a beleza natural de sua faixa de areia com mar esverdeado que fica transparente quando não chove e a Mata Atlântica emoldurando a praia.

O QUE FAZER EM JUQUEHY

Curtir a faixa de areia de Juquehy é embarcar numa caminhada matinal ou num rolê de bike; é estender a canga ou armar barraca na praia e curtir o dia ali comendo milho, jogando frescobol e comprando artesanatos; é sentar numa tenda colorida do Badauê pra ser atendido com uma das melhores gastronomias do litoral enquanto toma sol; é brincar com os dogs do lado de lá do riozinho (meu programa favorito sempre!); é dar um mergulho no mar ou andar de stand up paddle até a ilha com pedras onde você pode ver tartarugas; é fazer um passeio de barco até as maravilhosas prainhas das Ilhas, entre Juquehy e Barra do Sahy (um barqueiro local cobra na faixa de R$ 50 por pessoa pra fazer o passeio ou dá pra alugar uma embarcação mais top com empresas como a Maré Alta Charter Náutico a partir de R$ 1 250).

Já passeios e atividades de ecoturismo na natureza de Juquehy como praticar canoagem e caiaque no rio e fazer trilhas pelo Parque Estadual da Serra do Mar que levam a pequenas cachoeiras são possíveis com a Greenway, agência receptiva que também organiza aulas de surf e aluga pranchas.

QUANDO IR A JUQUEHY

Juquehy é uma praia linda e tranquila e que, ao mesmo tempo, fica lotada e sem espaço pra caminhar no feriado de final de ano, um tanto quanto insuportável. Repito: o melhor de Juquehy está nos finais de semana de outono e de primavera sem grandes levas de turistas, quando a previsão estiver boa e ninguém estiver planejando ir pra praia. Vai ser aí que você vai viver dias memoráveis e também se apaixonar por Juquehy.

Anna Laura

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi registra o mundo com sua Nikon desde que se entende por gente - e hoje cultiva um feed milimetricamente pensado. Passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo e, depois de uma temporada em Paris, resolveu ser viajante full time: você pode encontrá-la por aí, cobrindo paraísos tropicais.

Deixe seu comentário

voltar ao topo