mato grosso


Roteiro no Mato Grosso: Pantanal, Chapada dos Guimarães e Nobres

Turismo no Mato Grosso:

Paredões rochosos enormes, trilhas entre cavernas, rios cristalinos, pássaros únicos: viajar ao Mato Grosso é um mergulho profundo no Brasil e em alguns dos ecossistemas mais especiais que temos por aqui.

Esse post pede também a leitura do Miniguia da Chapada dos Guimarães e Roteiro completo no Pantanal Norte para informações mais detalhadas.

É incrível como em duas horinhas de voo (pra que vai de São Paulo, como foi o meu caso), você pode chegar em quase outro planeta. O turismo no Mato Grosso costuma ser preterido em relação ao do vizinho Mato Grosso do Sul: de fato, a estrutura no primeiro é mais precária, mas as belezas naturais são comparáveis. E talvez seja essa simplicidade que faça a região tão gostosa de descobrir.

A ideia nesse roteiro de 7 dias é ver o melhor do turismo no Mato Grosso: a Estrada Transpantaneira, com animais mil numa das maiores planícies alagáveis do planeta, a Chapada dos Guimarães, com suas cachoeiras e cavernas, e Nobres, um primo mais singelo de Bonito que também oferece flutuações em rios cristalinos.

Vou explicar o roteiro passo a passo porque faz muita diferença os horários de deslocamento para poder chegar a tempo de fazer os passeios (que sempre começam de manhã). Outra coisa muito importante: nessa viagem, o melhor é ir em grupo, tipo pelo menos 4 pessoas. Isso porque em muitos locais você vai ter que arcar com a diária do guia/barqueiro, e acaba ficando muito caro pra quem está em duas pessoas. Fora que é uma boa também pra dividir as despesas do carro, que precisa ser alugado. Se você não todo esse tempo proposto, pode cortar o roteiro, eliminar algum destino ou diminuir os dias em cada lugar.

Turismo no Mato Grosso: roteiro dia a dia para o Pantanal, Chapada dos Guimarães e Nobres:

DIA 1: Chegada a Cuiabá

Pegue um voo de manhã para Cuiabá, alugue um carro e almoce no Lélis Peixaria. Nesse restaurante, o rodízio (R$ 89 por pessoa) inclui pirarucu no espeto, filé de arraia á milanesa, piraputanga recheada de cebola na manteiga, lambari frito, linguiça de jacaré e pintado ao creme de banana: uma ótima introdução ao Mato Grosso e uma refeição pra lembrar por um bom tempo. Depois do almoço turbinado, siga até a cidade de Poconé (a 103 km) e encha o tanque do carro ali. Logo saindo da cidade já começa a Estrada Transpantaneira (e não há postos ao longo dela). Chegando no cair da tarde, é o horário perfeito pra ver os animais saracoteando por ali: lobinhos, veados-campeiros, jacarés, emas, tuiuiús.

Escolha uma pousada na estrada pra pernoitar e passar os próximos dias. Sugestão: Pousada Rio Claro, no km 42, que tem piscina, quartos ajeitadinhos, um restaurante de comida simples, mas gostosa, e um rio que passa dentro da pousada. Na noite da chegada já dá pra embarcar num safári noturno.

Turismo no Mato Grosso

DIA 2: Passeios na pousada

Faça os tours previstos pela pousada (a diária de quase todas elas já os inclui): cavalgada, trilhas e passeio de barco. Com sorte, vai dar pra ver antas e ariranhas. E a maior variedade de pássaros que você possivelmente já viu. De noite, curta o silêncio e o céu forrado de estrelas.

DIA 3: Passeios na pousada e ida à Chapada de tarde

Acorde no nascer do sol e faça uma caminhada: é a melhor hora pra ver os bichos. Curta a pousada até depois do almoço e aí dirija até a cidade da Chapada dos Guimarães (cerca de 200 km, dependendo de onde você estiver hospedado na Transpantaneira). Se chegar cedo, dá pra ver a Cachoeira do Véu da Noiva e o Mirante do Centro Geodésico. Sugiro hospedagem na Pousada do Parque.

DIA 4 – Chapada dos Guimarães

Agende com um guia (veja a lista completa de guias credenciados aqui) um tour como o Circuito das Cachoeiras ou o Vale do Rio Claro e a Cidade das Pedras. Vale assistir o pôr do sol no Mirante Alto do Céu, da onde você enxerga até as luzes de Cuiabá. Depois, vá jantar no centrinho da Chapada ou no restaurante Morro dos Ventos.

Dia 5 – Chapada dos Guimarães e ida a Nobres de noite

Faça outro passeio na Chapada (eu gosto do circuito de cavernas Aroe Jari) e dirija até Nobres no fim da tarde (200 km). Check-in na pousada (sugiro a Bom Jardim).

DIA 6 – Passeio em Nobres

Nade nas águas cristalinas do Aquário Natural – compre o passeio direto na sua pousada ou em agências como a Roma.

aquario-encantado-nobres

DIA 7 – Volta a Cuiabá

Turismo no Mato Grosso: de Nobres são cerca de 130 km de volta a Cuiabá. Tente marcar o voo da volta de tarde pra dar tempo de visitar a Cachoeira da Serra Azul pela manhã.

A autora

Betina Neves

Betina Neves

Editora do Carpe Mundi, viaja pra trabalhar e trabalha pra viajar. É jornalista freelancer e já escreveu pra Viagem e Turismo, ELLE, Claudia, Vamos LATAM, Superinteressante, Cosmopolitan, VEJA São Paulo, Folha de S. Paulo, entre outras publicações.


Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *