israel


O que fazer na região do Mar Morto em Israel

A região do Mar Morto, em Israel, guarda passeios que vão além de suas águas com a maior concentração de sal do mundo, nas quais é impossível não boiar.

O ideal é ficar na região por pelo menos uma noite – ou duas, se você não quiser fazer os passeios com pressa. Dá perfeitamente pra dedicar uma manhã ou tarde à experiência de flutuar no Mar Morto e, no restante do dia, conhecer três lugares igualmente impressionantes: a fortaleza de Massada, o Deserto da Judeia e o oásis de Ein Gedi.

LEIA MAIS: Como é a experiência de boiar no Mar Morto em Israel

OS TRÊS PASSEIOS MAIS LEGAIS DA REGIÃO DO MAR MORTO:

DESERTO DA JUDEIA

A leste do Mar Morto, montanhas de areia e sal ao redor de um extenso planalto numa área de cerca de 1 500 km² formam o bíblico Deserto da Judeia, onde viveu o profeta Elias e João Batista batizou Jesus. Hoje, há uma reserva natural cheia de vida, com raposinhas, roedores, aves, escorpiões e cobras – mas é dificílimo avistar os animais, majoritariamente noturnos. O mais interessante do lugar é o tour de jipe 4×4, que adentra o deserto e deixa ver cenários inspiradores. Você sobe e desce as montanhas dentro do veículo, explora as formações de sal cobertas por areia e entra em pequenas grutas branquinhas – a região provavelmente já foi parte de um lago salgado como o Mar Morto que secou e deixou toneladas de sal por ali. É um dos passeios mais fotogênicos da viagem.

LEIA TAMBÉM: Férias sem fim: 9 maneiras de prolongar a viagem

israel-deserto-judeia

MASSADA

Fortaleza construída no topo de um íngreme penhasco por Herodes, o Grande, o rei louco, que deixou como legado outras obras colossais como o imenso Templo de Jerusalém. Anos depois de sua morte, após a destruição do templo pelos romanos, o povo judeu fugiu pra Massada e fez dali sua casa, inatingível para os inimigos pelo difícil acesso. A história diz que os romanos, então, obrigaram seus escravos judeus a construir uma rampa de pedra até os muros do castelo, que em poucos meses foi finalizada. O povo de Massada terminou fazendo uma corajosa escolha: matou suas famílias e cometeu suicídio em massa pra não ser capturado. Hoje, você visita os restos do que era o majestoso palácio, das casas de banho com sauna (que funcionavam mesmo no calor de mais de 40 graus do deserto; Herodes queria usufruir de todo o chiquetê existente na época) aos imensos depósitos de comida que serviam como estoque para os dias de resistência dos judeus rebeldes de Massada. O jeito tradicional de subir ao topo é de bondinho, mas há quem se arrisque na trilha em ziguezague que serpenteia pela montanha, mesmo debaixo do sol escaldante que aparece 330 dias por ano. Dica 1: vá cedinho ou no fim da tarde pra não sofrer com o calor; não se esqueça de levar protetor solar, chapéu e óculos.

Dica 2: há uma espécie de praça de alimentação ao fim do passeio, que tem até Mc Donald’s (kosher). A comida não é nada demais e é cara, mas é a melhor opção de almoço nesse dia de passeio pela região do Mar Morto – não existe glamour fora dos hotéis de luxo.

marmortomassada

EIN GEDI

É um oásis de 2 800 hectares no meio do deserto com rica flora e fauna, além de grutas, cânions, cachoeiras e piscininhas naturais. Assim como o Deserto da Judeia, é de extrema importância bíblica – Ein Gedi aparece no Cântico dos Cânticos e foi onde que Davi se escondeu do Rei Saul. Há cerca de 10 trilhas pra fazer na reserva; a mais procurada é a que leva à bonita Cachoeira de Davi. Há ainda um jardim botânico com mais de 900 espécies de plantas onde fica o Ein Gedi Kibbutz (em tempo: kibbutz são espécies de comunidades que guardam minicidades, com mercado, clínica médica e até escola dentro dependendo do tamanho, superpopulares pelo país), também base do Ein Gedi Kibbutz Hotel (diárias desde US$ 220, RESERVE AQUI!).

LEIA MAIS: Tensão pré-viagem: você não sofre disso sozinho

10 dicas pra quem tem medo de viajar de avião

EMPRESAS DE TOURS:

ABRAHAM TOURS – Massada, Ein Gedi, Mar Morto e Deserto da Judeia em passeios diferentes.

ARTZEINU – Massada, Ein Gedi e Mar Morto no mesmo dia.

EG’GED TOURS – mais de 9 tours diferentes pela região do Mar Morto.

KFAR HANOKDIM – tours no deserto, passeios da camelos e tendas beduínas no Deserto da Judeia.

*O Carpe Mundi fez todos os passeios em Israel com a guia brasileira Aline, que conhece o país como ninguém e faz explicações rápidas e precisas em português, sem enrolação. Pra entrar em contato com ela: alinetourism@gmail.com ou @alineguiaemisrael no Instagram.

*O Carpe Mundi viajou a Israel à convite do Ministério do Turismo de Israel. O conteúdo relatado aqui reflete apenas a opinião independente da autora.

A autora

Anna Laura Wolff

Anna Laura Wolff

Jornalista por formação e fotógrafa por vocação, a editora do Carpe Mundi passou pelas redações da CARAS Online e da Viagem e Turismo. Depois de uma temporada em Paris, decidiu ser viajante full time.


Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *